Em mercados / acoes-e-indices

Renner quer pagar 40% do lucro em dividendos; Oi e mais 4 notícias agitam o radar

Confira os principais destaques corporativos da noite desta quinta-feira (21)

Lojas Renner Varejo
(Divulgação Lojas Renner)

SÃO PAULO - Noite agitada nesta quinta-feira (21), principalmente em relação às small caps, que divulgaram diversas mudanças em participações acionárias. Porém, o destaque fica com a proposta "generosa" de pagamento de dividendos da Lojas Renner e para a divulgação de dados prévios da Energias do Brasil. Confira os destaques:

Lojas Renner (LREN3)
A companhia varejista Renner enviou comunicado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) afirmando quem na próxima reunião do conselho da companhia, ainda sem data para ocorrer, será proposto o pagamento de 40% do resultado do exercício de 2015 em dividendos e juros sobre capital próprio. De acordo com a nota da empresa, a decisão ocorre em meio a política de crescimento sustentado da companhia e seu plano de investimentos.

Oi (OIBR4)
O conselho diretor da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) adiou novamente a aprovação do acordo proposto pela Oi no valor de R$ 1,2 bilhão. O conselheiro Anibal Diniz estendeu, por até 30 dias, o prazo do pedido de vista do processo apresentado na reunião anterior, em dezembro.

A celebração do acordo com a Oi está condicionada à análise prévia das condições pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A assinatura garante a troca de valores de multas por investimentos em projetos com retorno financeiro negativo.

Energias do Brasil (ENBR3)
A Energias do Brasil, da portuguesa EDP, informou nesta quinta-feira baixa de 5,7% no total de energia distribuída no quarto trimestre sobre mesmo período de 2014, impactada pela desaceleração da economia que reduziu o consumo de clientes industriais. O total distribuído no trimestre foi de 6.383.783 megawatts-hora. Com isso, em todo 2015, a empresa apurou recuo de 2,8% na eletricidade distribuída, para 25.713.338 MWh.

No segmento cativo, a energia vendida a clientes finais caiu 2,1%, como "reflexo da queda do consumo das classes industrial e comercial, influenciadas pela desaceleração da economia e pelo aumento das tarifas de energia em cerca de 50%", afirmou a empresa. Enquanto isso, o consumo da classe residencial manteve-se estável.

No mercado livre, houve queda de 12,4% na energia distribuída, em função da desaceleração da produção industrial nos Estados de São Paulo e do Espírito Santo. No ano, o recuo foi de 5,5%.

A Energias do Brasil afirmou que o aumento das tarifas no ambiente regulado (ACR) ao longo de 2015 e a redução nas estimativas dos preços no mercado livre (ACL) provocaram aumento das migrações dos clientes do ACR para o ACL.

Sabesp (SBSP3)
A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) divulgou em fato relevante no site da CVM que celebrou hoje um Protocolo de Intenções com o município de Mauá para elaborar estudos e avaliações visando o equacionamento das relações comerciais e das dívidas existentes entre o município e a companhia.

Fleury (FLRY3)
A Fleury comunicou que a Integritas Participações S.A., realizou a transferência de ações ordinárias de emissão da empresa representando 16,31% do capital social da companhia aos seus acionistas ("médicos-sócios"). "A transferência não representa alteração na estrutura acionária da Companhia, uma vez que tais ações já eram anteriormente detidas, de forma indireta, pelos médicos-sócios por meio de Integritas e permanecerão vinculadas ao Acordo de Acionistas da Companhia", disse a companhia em nota.

Bombril (BOBR4)
A Bombril informou que foi aceita a renúncia apresentada pelo Diretor Financeiro, Luis Blecher, em 5 de janeiro de 2016. Diante disso, as funções até então exercidas por ele passarão ao cargo, de forma interina, do Diretor Presidente da companhia, Marcos Henrique Scaldelai, sem acréscimo em sua remuneração.

Com Reuters

 

Contato