Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa afunda 3% puxado por bancos após prisão de André Esteves e Delcídio Amaral

Mercado tem dia de nervosismo com aumento da indefinição no campo político e financeiro por conta da Operação Lava Jato

gráfico queda
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa fecha em forte queda nesta quarta-feira (25), repercutindo a piora do cenário político e financeiro depois das prisões do senador Delcídio Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual. A situação agrava a crise política no governo Dilma, já que Amaral, além de líder do governo no Senado, é o primeiro senador preso no exercício do cargo. Além disso, segundo apurado pela Folha de S. Paulo com ministros, a prisão de Esteves preocupa o Planalto porque, segundo eles, a investigação chegou no setor financeiro, o que pode derrubar a Bolsa de Valores e trazer outros desdobramentos à crise política e econômica. 

O benchmark da Bolsa brasileira caiu 2,94%, a 46.866 pontos. O volume financeiro negociado foi de R$ 7,508 bilhões. Já o dólar comercial teve alta de 1,26% a R$ 3,7506 na venda, ao mesmo tempo em que o dólar futuro para dezembro registrava ganhos de 1,16% a R$ 3,746. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 tinha alta de 4 pontos-base a 15,25%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 subia 24 pontos-base, a 15,50%. 

De acordo com Shin Lai, analista da Spinelli, o aspecto político da crise, que se aproxima do governo com a prisão do seu líder no Senado, se junta ao aumento do risco sistêmico no setor financeiro representado pela prisão do CEO do BTG para provocar um mal-estar no mercado. No caso do dólar, ele vê impacto principalmente por conta do componente político, que piora a já fragilizada situação institucional do País. 

Saindo da Lava Jato, o dia hoje também é marcado pela decisão de juros do Copom (Comitê de Política Monetária). O cenário está todo montado para a manutenção das taxas em 14,25% ao ano. No entanto, isso não é tudo o que o investidor deve observar. "Nós teremos nesta semana uma dessas reuniões do Copom nas quais não há qualquer dúvida a respeito do que o comitê fará com a sua política de juros - neste caso, nada - mas há alguma discussão sobre o que ele sinalizará para o futuro", diz o analista Eduardo Loyo, do BTG Pactual, em relatório. Para ele, os juros DI podem ser pressionados caso o comunicado da reunião traga um tom mais "hawkish" (agressivo), apontando para a possibilidade de virem mais aumentos de juros no futuro.

Ainda temos na agenda doméstica a reunião extraordinária da CMO (Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização) para discutir a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2016. O presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), já confirmou a existência de um plano para votar a LDO esta semana. Questões como a inclusão da CPMF nas previsões de receita do governo devem gerar polêmica.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pediu urgência nas decisões sobre o Orçamento, segundo informações do Valor Econômico.

Ações em destaque
Os papéis da Petrobras (PETR3, R$ 9,66, -7,56%; PETR4, R$ 7,90, -7,06%) caíram forte. No radar, a estatal pressiona o Planalto por reajuste de combustíveis, segundo informações do jornal O Globo. A ideia, entretanto, não tem aval da equipe econômica. Um dos motivos é que um novo aumento dos combustíveis teria impacto na inflação, que este ano deve fechar em dois dígitos, de 10,33%, segundo última estimativa do relatório Focus, do Banco Central. 

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano
 PETR3 PETROBRAS ON 9,66 -7,56 +0,73
 PETR4 PETROBRAS PN 7,90 -7,06 -21,16
 BBAS3 BRASIL ON EJ 17,40 -6,45 -20,10
 QUAL3 QUALICORP ON 16,00 -6,16 -35,92
 CESP6 CESP PNB 14,00 -5,66 -34,57

Também recuaram as ações da Vale (VALE3, R$ 14,06, -2,83%; VALE5, R$ 11,70, -2,74%), que devem suspender o pagamento de dividendos em 2016, segundo estimativas do BTG Pactual. O banco atualizou sua curva de produção para a mineradora, enquanto vê menores preços para metais básicos e incertezas dos impactos possíveis causados pela Samarco. Perspectivas que levaram os analistas a cortar o preço-alvo dos ADRs (American Depositary Receipts) da Vale de US$ 6,50 para US$ 4,50, com recomendação neutra.

Quem também caiu foram os bancos como Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 27,91, -4,91%), Bradesco (BBDC3, R$ 24,80, -4,25%; BBDC4, R$ 21,89, -4,87%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 17,40, -6,45%). Sobre estes dois últimos, eles criarão banco voltado para a população de baixa renda, segundo apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado. A instituição deve voltar a funcionar no próximo ano e terá na largada R$ 1 bilhão em empréstimos e operações com cartões que virão da financeira Ibi Promotora, controlada pelos dois bancos.

 As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% Ano
 FIBR3 FIBRIA ON 56,00 +2,94 +73,34
 BRFS3 BRF SA ON 57,55 +2,73 -7,90
 GOAU4 GERDAU MET PN 1,98 +2,59 -82,19
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 24,58 +2,42 +70,41
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA ED 18,74 +2,35 +68,98

Do lado das altas se encontraram ações de exportadoras de papel e celulose. Destacam-se Fibria (FIBR3, R$ 56,00, +2,94%) e Suzano (SUZB5, R$ 18,74, +2,35%). Por terem as suas receitas denominadas em dólar, estas empresas se beneficiam da alta da divisa norte-americana. 

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN 27,91 -4,91 630,87M
 PETR4 PETROBRAS PN 7,90 -7,06 435,20M
 BBDC4 BRADESCO PN 21,89 -4,87 368,80M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,60 -1,80 343,50M
 ITSA4 ITAUSA PN 7,39 -4,77 256,72M
 BVMF3 BMFBOVESPA ON EJ 12,14 0,00 203,67M
 JBSS3 JBS ON 13,74 -2,21 190,84M
 PETR3 PETROBRAS ON 9,66 -7,56 182,85M
 CIEL3 CIELO ON 37,12 -2,06 178,76M
 BRFS3 BRF SA ON 57,55 +2,73 177,31M

* - Lote de mil ações 
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Cenário externo
As ações europeias hoje reagiram após terem registrado suas maiores quedas em quase duas semanas. Ontem, a maior parte dos mercados internacionais apresentou desvalorização após a Turquia abater uma aeronave russa. Na Ásia, as bolsas chinesas subiram com os investidores acreditando que as intervenções do governo conseguiram estabilizar o mercado.

Ainda no cenário internacional, com as chances de que o Federal Reserve eleve os juros nos Estados Unidos já ultrapassando os 70%, uma série de indicadores do país foi divulgada hoje. Entre os mais importantes estão o índice de sentimento do consumidor dos Estados Unidos elaborado pela Universidade de Michigan subiu de 90,0 em outubro para 91,3 no fim de novembro. A leitura preliminar de novembro havia sido de 93,1. Analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires previam alta para 93,0.

Já as encomendas de bens duráveis nos EUA subiram 3,0% em outubro ante setembro, no cálculo com ajustes sazonais, segundo o Departamento do Comércio, em um sinal de que a demanda pode ter se firmado depois de cair durante a maior parte do ano. O resultado veio melhor do que o esperado, uma vez que analistas consultados pela Dow Jones Newswires previam alta de 1,8%.

Por fim, o número de pedidos de auxílio-desemprego feitos por trabalhadores nos EUA caiu 12 mil na semana encerrada em 21 de novembro, para 260 mil, ficando apenas ligeiramente acima da mínima em quatro décadas atingida em julho, segundo dados do Departamento do Trabalho.

 

Contato