Em mercados / acoes-e-indices

Acordo da Chesf puxa alta da Braskem, Vale e Gerdau e faz disparar em 10% uma small cap

Confira os principais destaques de ações da Bovespa nesta terça-feira

Ações
(Shutterstock)

11h45: São Martinho (SMTO3, R$ 38,70, +1,04%)
A São Martinho atinge maior cotação em quase dois meses após informar que obteve lucro líquido de R$ 286,1 milhões no ano fiscal de 2015, contra R$ 135 milhões no ano passado. A receita líquida atingiu R$ 2,35 bilhões, ante R$ 1,97 bilhão um ano antes. Segundo o Bradesco BBI, como esperado, a companhia mostrou bons números, com fortes resultados operacionais. 

11h30: Gol (GOLL4, R$ 7,70, +0,92%)
A Gol informou ontem à noite seus números prévios de tráfego referentes ao mês de maio. A companhia registrou aumento de 4,3% na demanda por voos domésticos em maio na comparação anual. Na mesma base, a oferta doméstica cresceu 2,2% no mês passado. A taxa de ocupação dos voos domésticos cresceu 1,6 ponto percentual, para 77%. O número de passageiros transportados cresceu 0,7%, para 2,978 milhões. 

11h05: Bancos 
As ações dos bancos sobem em dia positivo na Bolsa. Papéis do Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 35,03, +1,57%), Bradesco (BBDC3, R$ 27,94, +1,54%; BBDC4, R$ 28,80, +1,73%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 23,93, +1,57%) atingem maior patamar de junho. Hoje, saiu o saldo das operações de crédito do sistema financeiro, que cresceu 0,7% em maio, para R$ 3,081 trilhões, de acordo com relatório divulgado pelo Banco Central. O estoque das operações avançou de 54,3% do PIB (Produto Interno Bruto) em abril para 54,4% em maio.

O movimento de alta das instituições financeiras nos últimos dias - passado forte derrocada iniciada na metade de maio - coincide com o vencimento de opções sobre ações na Bovespa, em 15 de junho. Isto porque muitos investidores estavam com opções de venda desses papéis, "segurando" uma recuperação, com o vencimento, esses investidores zeraram suas posições, recomprando ações dos bancos na Bolsa, que, para muitos analistas, já tinham caído demais. Passado esse evento, os papéis ficaram mais "leves", possibilitando que conquistassem patamares mais elevados.

Do fechamento do dia 12 para cá, as ações do Itaú Unibanco, Bradesco e BB dispararam entre 5% e 6% na Bolsa.    

10h38: Embraer (EMBR3, R$ 24,02, +0,23%)
A Embraer recebeu pedido de US$ 30 milhões da Etihad Flight College, subsidiária da Etihad Airways, por quatro jatos Phenom E100, com opção para aquisição de mais três aeronaves do mesmo modelo. O acordo é avaliado em cerca de US$ 30 milhões, baseado nos preços atuais de tabela, caso todas as opções sejam exercidas . As entregas começam no primeiro trimestre de 2016.  

10h15: Braskem, Vale e Gerdau
As ações da Braskem, Vale e Gerdau reagem positivamente à notícia de que o governo enviou ao Congresso a Medida Provisória 677 que prorroga o contrato da Chesf com indústrias eletrointensivas no Nordeste até 2037. As ações da Braskem lideram os ganhos do Ibovespa nesta manhã. 

O contrato atual foi firmado há mais de três décadas e termina no dia 30 de junho, abrangendo um conjunto de 13 unidades industriais, que compram energia a cerca de R$ 110 megawatt-hora. Entre as maiores empresas diretamente interessadas, aparecem as grandes ações da Bolsa Vale (VALE3, R$ 19,93, +1,22%; VALE5, R$ 17,12, +1,24%), Braskem (BRKM5, R$ 12,93, +3,86%), Gerdau (GGBR4, R$ 8,07, +0,88%), além de papéis com menos giro de negócios, como Paranapanema (PMAM3, R$ 4,04, +2,02%) e Ferbasa (FESA4, R$ 8,59, +10,27%). Todas elas mostram reação positiva na Bolsa hoje. 

Braskem afirmou ontem, através de e-mail de sua assessoria de imprensa, que "considera a renovação dos contratos de energia com a Chesf como primordial para a competitividade da indústria brasileira". Vale mencionar que a valorização da Braskem ocorre depois do derretimento dos papéis na última sexta-feira, quando caíram quase 10% com a Operação Lava Jato, que prendeu naquele dia o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, maior acionista da companhia. 

10h10: Marfrig (MRFG3, R$ 5,33, +0,57%)
As ações da Marfrig voltam a subir hoje, embora em movimento bem mais amenos depois da disparada de quase 10% na véspera em meio à notícia sobre a venda da Moy Park para a JBS (JBSS3). Na contramão, as ações da JBS caem 0,42%, a R$ 16,58 hoje. O frigorífico faz nesta manhã uma teleconferência com o mercado sobre a operação. O presidente da JBS, Wesley Batista, disse que vê US$ 50 milhões em sinergias com a Moy Park e que, com a compra, o endividamento da empresa subirá para 2,54 vezes o Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). 

Analistas ressaltaram ontem que a venda é positiva para a Marfrig, já que ajuda a diminuir sua alavancagem, e neutra para a JBS. Na ocasião, o Bank of America Merrill Lynch elevou a recomendação da Marfrig de underperform (desempenho abaixo da média) para compra, com novo preço-alvo de R$ 7,00 por ação. Mesmo com a alta de hoje, "vemos que o rali deve continuar já que o desinvestimento planejado deve permitir que a empresa reduza o custo da sua dívida", comentaram os analistas Fernando Ferreira, Isabella Simonato e João Almeida, do BofA. 

 

Contato