Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa sobe seguindo otimismo na Grécia e dólar tem alta com especulações sobre o Fed

Índice segue o movimento altista das bolsas internacionais diante de perspectivas positivas para um acordo dos gregos com seus credores; entrevista de Levy pode marcar mudança de meta do superávit

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa opera em alta nesta terça-feira (23) seguindo o movimento das bolsas europeias, que registram alta em meio a perspectivas de que um acordo entre a Grécia e seus credores esteja próximo, afastando os riscos de um calote e de uma saída do país da zona do euro. No cenário doméstico desponta como destaque a entrevista do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, marcada para as 15h (horário de Brasília). O ministro falará sobre o ajuste fiscal e pode anunciar uma redução na meta de superávit primário do governo. 

Às 13h41, o benchmark da Bolsa brasileira subia 0,48%, a 54.120 pontos. Enquanto isso, o dólar comercial tinha alta de 0,52%, a R$ 3,0962 na compra e a R$ 3,0977 na venda. Segundo analistas, um possível acordo da Grécia amanhã, quando haverá uma nova reunião entre líderes, poderá fazer com que o Federal Reserve opte por elevar os juros dos Estados Unidos mais cedo, o que impulsiona a divisa norte-americana. 

As vendas de novas moradias vieram mais fortes do que o esperado nos EUA, aumentando as expectativas de um aumento dos juros do Fed antes do esperado, o que reduz a alta da manhã nas bolsas do país. 

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 14,82, +1,86%; PETR4, R$ 13,37, +1,29%) registravam ganhos com informação de que a estatal já decidiu, como parte de seu plano de desinvestimento, que não pretende manter sua participação em sete usinas de açúcar e etanol da Guarani, uma das maiores empresas do setor no Brasil, mas terá uma dura negociação com o grupo francês Tereos (TERI3), controlador do negócio, disseram duas fontes próximas do assunto. 

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 BRKM5 BRASKEM PNA 12,97 +4,18
 MRFG3 MARFRIG ON 5,43 +2,45
 MULT3 MULTIPLAN ON N2 49,17 +2,22
 FIBR3 FIBRIA ON 42,90 +2,07
 PETR3 PETROBRAS ON 14,82 +1,86

 

 

As ações da Marfrig (MRFG3, R$ 5,43, +2,45%) voltam a subir hoje, depois de disparada de quase 10% na véspera em meio à notícia sobre a venda da Moy Park para a JBS (JBSS3, R$ 16,16, -2,94%). Analistas ressaltaram ontem que a venda é positiva para a Marfrig, já que ajuda a diminuir sua alavancagem, e neutra para a JBS. Na ocasião, o Bank of America Merrill Lynch elevou a recomendação da Marfrig de underperform (desempenho abaixo da média) para compra, com novo preço-alvo de R$ 7,00 por ação. Mesmo com a alta de hoje, "vemos que o rali deve continuar já que o desinvestimento planejado deve permitir que a empresa reduza o custo da sua dívida", comentaram os analistas Fernando Ferreira, Isabella Simonato e João Almeida, do BofA. 

Também entre as altas estão os bancos, que operam nas máximas de junho, subindo desde o dia 15 quando houve o vencimento de opções. Muitos investidores estavam com opções de venda em instituições financeiras, de modo que quando eles zeraram as posições, as ações ficaram "destravadas" e passaram a subir. Têm alta Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 34,98, +1,42%), Bradesco (BBDC3, R$ 27,81, +1,06%; BBDC4, R$ 28,77, +1,62%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 23,81, +1,06%).

Depois do derretimento na sexta-feira com a Operação Lava Jato, as ações da Braskem (BRKM5, R$ 12,97, +4,18%) voltam a subir hoje na Bolsa, seguindo o desempenho da véspera. No radar, a companhia reage positivamente à notícia de que o governo enviou ao Congresso a Medida Provisória 677 que prorroga o contrato da Chesf com indústrias eletrointensivas no Nordeste até 2037.

O contrato atual foi firmado há mais de três décadas e termina no dia 30 de junho, abrangendo um conjunto de 13 unidades industriais, que compram energia a cerca de R$ 110 megawatt-hora. As maiores empresas diretamente interessadas são Vale (VALE3, R$ 20,00, +1,57%; VALE5, R$ 17,13, +1,30%), Braskem, Gerdau (GGBR4, R$ 7,98, -0,25%), Mineração Caraíba, Dow, Paranapanema e Ferbasa. 

Do lado negativo estão as ações de empresas educacionais, que voltam a cair em meio a incertezas quanto à anunciada segunda fase do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou o programa e disse que ele será mais voltado à formação de professores e profissionais das áreas da saúde e engenharia. Contudo, a falta de mais indicações claras traz pessimiso para ativos como Kroton (KROT3, R$ 12,34, -0,88%) e Estácio (ESTC3, R$ 19,50, -1,96%). 

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 JBSS3 JBS ON 16,16 -2,94
 TIMP3 TIM PART S/A ON 10,11 -2,60
 CMIG4 CEMIG PN 13,25 -2,57
 ESTC3 ESTACIO PART ON 19,50 -1,96
 NATU3 NATURA ON 28,25 -1,91

 

Grécia anima
As bolsas mundiais seguem em alta nesta terça com expectativas de que a Grécia chegue a um acordo com os seus credores internacionais apesar da cautela demonstrada pela Alemanha. O efeito colateral disso é que o euro recuou com o temor de que uma resolução da crise grega abra caminho para que o Federal Reserve eleve os juros dos Estados Unidos antes do esperado. 

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, reiterou nesta segunda-feira que seu governo está buscando um acordo com os credores que resolveria as necessidades de financiamento do país, dizendo que a bola está agora no campo dos credores europeus. "Estamos buscando uma solução abrangente e viável, que será seguida por um pacote de crescimento forte e que ao mesmo tempo torne a economia grega viável", disse ele a repórteres.

No fim de semana a Grécia apresentou uma proposta de acordo que incluía mudanças sobre a incidência de tributos sobre alimentos e setor hoteleiro para aumentar as receitas fiscais e abolição de aposentadorias antecipadas, gerando uma economia de 200 milhões de euros. Também está previsto uma redução nas pensões complementares mais altas.

Entre os indicadores econômicos, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, que mede a atividade nos setores industrial e de serviços, subiu para 54,1 em junho, de 53,6 em maio, atingindo o maior patamar em 49 meses, segundo dados preliminares publicados hoje pela Markit Economics. O resultado superou a previsão de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, que era de estabilidade do indicador a 53,6. Leituras acima de 50,0 indicam expansão da atividade.

Ásia
Os mercados acionários asiáticos fecharam em alta nesta terça-feira depois que as últimas propostas orçamentárias da Grécia aumentaram as esperanças de que o país conseguirá afastar o default da dívida e alcançar um acordo com credores nesta semana.

"O fato de que parece que algo vai acontecer para a Grécia está realmente melhorando o humor do mercado", disse a economista de mercados sênior do Sumitomo Mitsui Trust Bank Ayako Sera. "Mas estes movimentos para cima não estão baseados em fundamentos", ponderou.

(Com Reuters) 

 

Contato