Em mercados / acoes-e-indices

Vale, recomendações e mais 14 notícias agitam o radar desta quarta-feira

Confira os principais destaques corporativos nesta quarta-feira; a matéria será atualizada até a abertura da Bovespa às 10h (horário de Brasília)

Minério de ferro
(Bloomberg)

SÃO PAULO - A agenda corporativa inicia movimentada nesta quarta-feira (20) entre recomendações e uma série de notícias. Nos destaques, a Vale (VALE3; VALE5) vai encerrar contratos com prestadores de serviços e provocar uma série de demissões no Espírito Santo, disse O Globo. O fim dos contratos seriam consequência de um prejuízo de US$ 3,118 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O Sindicato dos Metalúrgicos do estado estima que pelo menos dois mil trabalhadores terceirizados serão dispensados nos próximos meses.

Segundo a XP Investimentos, apesar da venda de quatro navios VLOCs (very large ore carries) para a China Merchants Energy Shipping, anunciada ontem no valor de US$ 445 milhões, ter ajudado a melhorar o desempenho das ações no último pregão, o minério de ferro segue em forte queda hoje, o que deve manter a pressão de venda nas ações da companhia. Mais cedo, a commodity mais cedo operava em queda de 2,4% no mercado spot, sendo negociada a US$ 57,12 a tonelada no porto de Qingdao. 

Petrobras (PETR3; PETR4)
Durante o encontro bilateral ontem do Brasil e China, a Petrobras assinou dois acordos para financiamento, que somam US$ 7 bilhões. Um dos acordos contempla o financiamento de projetos da Petrobras, no valor de US$ 5 bilhões, assinado pelo presidente da estatal, Aldemir Bendine, com o presidente do Conselho do Banco de Desenvolvimento da China, Hu Huaibang. O outro acordo, assinado por Bendine e pelo presidente da companhia chinesa Cexim, também prevê acordo de cooperação para financiamento de projetos da Petrobras.

Segundo a Guide Investimentos, tais acordos, de financiamento e leasing, tendem a ajudar a situação financeira da petroleira. Apesar de não termos muitos detalhes do acordo, o impacto é positivo para a Petrobras, que atingiu dívida bruta de R$ 400 bilhões no primeiro trimestre, no sentido de melhorar a alavancagem, comentaram os analistas. 

Ainda sobre a estatal, a companhia informou nesta quarta-feira que o contrato da Cessão Onerosa, assinado entre a empresa e a União em 2010, por meio do qual a companhia adquiriu o direito de produzir até 5 bilhões de barris em áreas do pré-sal, prevê revisão de valores ao final da fase exploratória, mas ainda não há data para que isso aconteça.

Itaú Unibanco
A Itaú Unibanco (ITUB4) vende US$ 1,05 bilhões em notas seniores a 2,85% para maio de 2018.  

Braskem (BRKM5)
A Braskem teve sua recomendação rebaixada de overweight (exposição acima da média) para neutra pelo JPMorgan. O preço-alvo é de R$ 12,00. 

Eletropaulo (ELPL4)
Além da Braskem, o JPMorgan revisou também suas expectativas para Eletropaulo. O banco elevou a recomendação das ações da companhia de underweight (exposição abaixo da média) para overweight, citando renovação de concessões. O preço-alvo passou de R$ 5 para R$ 20. 

Randon (RAPT4)
A Randon, controladora de oito empresas que atuam nos segmentos de veículos e implementos, autopeças e serviços financeiros, informou que sua receita líquida atingiu R$ 214,9 milhões no mês de abril, 35% menor ao comparado no mesmo período de 2014. No acumulado de janeiro a abril, a receita líquida consolidada totalizou R$ 911,7 milhões, ou 29,8% menor.  

Fras-Le (FRAS3)
A Fras-Le, que pertence ao grupo Randon, informou que registrou receita líquida consolidada em abril com crescimento de 10% na comparação anual, para R$ 55,9 milhões. Em 2015, a receita líquida consolidada subiu 2%, para R$ 259,3 milhões, segundo comunicado de mercado. 

Kroton
A rede de ensino privado Kroton Educacional (KROT3) espera avanço de 37% da receita líquida e de 19% no lucro líquido em 2015, mesmo sem novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no segundo semestre. A projeção de receita líquida da Kroton para este ano é de R$ 5,2 bilhões. A Kroton considerou nenhum contrato novo de Fies para o segundo semestre. 

Para o lucro líquido, a estimativa é de que aumento 19% sobre 2014, a R$ 1,44 bilhão, com margem líquida de 27,6%. A Kroton também trabalha com expectativa de Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,93 bilhão em 2015, avanço de 33% sobre 2014. A estimativa para margem Ebitda é de 37%. A empresa também projetou que seus investimentos no ano serão o equivalente a 7,5% da receita líquida.

Educação
Ainda no setor, a presidente Dilma Rousseff estuda a possibilidade de abrir novos contratos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) este ano. A intenção foi manifestada à presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Vic Barros, durante encontro com Dilma ontem à noite no Palácio do Planalto. Segundo Vic, a presidente afirmou que "o governo está estudando a possibilidade de abrir novos contratos" no segundo semestre de 2015. A notícia pode refletir nos papéis da Kroton, Estácio (ESTC3), Ser Educacional (SEER3) e Anima (ANIM3). 

Copel e Sanepar
O governador do Paraná, Beto Richa, negou que o Estado tenha intenção de vender ações da companhia de energia Copel (CPLE6) e da companhia de água Sanepar (SAPR3), apesar de notícia publicada ontem no Valor em que o secretário da Fazenda paranaense afirma estar estudando vender participações nas duas estatais. "Não autorizei e não discuti esse assunto com ninguém", disse Richa, segundo a agência de notícias oficial do Paraná. 

Embraer
A Embraer (EMBR3) afirmou que está negociando um acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) em uma investigação sobre violação de leis norte-americanas anticorrupção aberto em 2010. Segundo a fabricante de aeronaves, um eventual acordo com o DOJ resultará em "obrigações pecuniárias" que poderão acarretar outras sanções "potencialmente importantes". A empresa informou que não é possível prever quanto tempo as negociações com o DOJ vão durar ou qual será o resultado delas.

A Embraer segue conduzindo uma investigação interna sobre o caso, que deriva de alegações de suborno em um acordo de 92 milhões de dólares acertado com as forças armadas da República Dominicana, segundo documentos obtidos pela Reuters em 2013.

Marfrig
A Marfrig (MRFG3) tem duas plantas de abate de bovinos entre as oito que foram habilitadas a exportar para a China, afirmou o presidente do Conselho de Administração da companhia de alimentos, Marcos Molina, nesta terça-feira, classificando a abertura do mercado chinês como muito positiva.

BRF 
A agência de ratings Standard & Poor's elevou ontem o rating da BRF (BRFS3) em escala global de "BBB-" para "BBB", baseada na forte geração de caixa da companhia e baixo endividamento. A agência também confirmou o rating de escala nacional da BRF em "brAAA". A perspectiva é estável.

Telecom Italia
O presidente do Conselho da Telecom Italia, Giuseppe Recchi, disse que a empresa pretende continuar no Brasil e ter um papel de liderança no país, durante reunião com acionistas nesta quarta-feira. 
A Telecom Italia é dona da TIM Participações (TIMP3) no Brasil.

Ecorodovias
A Ecorodovias (ECOR3) realiza hoje teleconferência. O motivo é que a companhia informou que passará a deter 100% da Elog, cujo controle compartilhava com a Logística Brasil - Fundo de Investimento em Participações. A BRZ Investimentos, gestora desse fundo, exerceu direito de venda da totalidade de suas ações detidas na Elog, equivalentes a 20% do capital votante, comunicou a empresa na véspera. Na terça, os papéis da companhia desabaram 5,3% na Bolsa. O motivo da queda foi por conta do valor pago pela operação, de R$ 214 milhões. Segundo cálculos do Brasil Plural, essa fatia vale apenas R$ 11,2 milhões, o que significa que houve destruição de valor R$ 202,8 milhões, ou R$ 0,40 por ação.  

Prumo (PRML3)
A InterRio vai investir R$ 30 milhões em hotel no Porto de Açu.

Santos Brasil (STBP11)
O Banco Fator Corretora reduziu participação para 3,85% das ações da companhia. 

Com Reuters

 

Contato