Em mercados / acoes-e-indices

Rating da Petrobras, resultados e mais 8 notícias agitam o noticiário do dia

Confira os principais destaques corporativos desta terça-feira; a matéria será atualizada até a abertura da Bovespa às 10h (horário de Brasília)

Petrobras Plataforma P-56
(Agência Petrobras)

SÃO PAULO - A terça-feira inicia agitada na agenda corporativa, entre manutenção de rating da Petrobras pela Standard & Poor's, mas corte de perspectiva, redução de recomendação da TIM e nomeação para presidente do conselho de administração da Usiminas para votação na próxima assembleia dia 6 de abril. Confira abaixo os principais destaques desta manhã: 

Petrobras
Assim como fez com a nota de crédito do Brasil, a agência de risco Standard & Poor's manteve o rating da Petrobras (PETR3; PETR4) em 'BBB-'. Em compensação, a agência cortou a perspectiva das notas de crédito da estatal de estável para negativa. A mudança na perspectiva da nota reflete a dificuldade da Petrobras de financiar seu plano de negócios e de acelerar o crescimento da produção, que ajudaria a reduzir o endividamento. 

Ainda sobre a estatal, uma reportagem da Agência Estado apontou que propinas de quatro contratos da estatal chegaram a R$ 136 milhões, sendo parte desse montante desviada para o caixa do PT em forma de "doação eleitoral", de acordo com informações da força tarefa da Operação Lava Jato. 

Usiminas
A Usiminas (USIM5) informou nesta segunda-feira que o acionista minoritário Tempo Capital (TEMP3) indicou o advogado Marcelo Gasparino da Silva para o posto de presidente do Conselho de Administração da maior produtora de aços planos do país. Segundo comunicado da empresa ao mercado, a Usiminas não recebeu até agora nenhuma outra indicação de candidato ao posto de presidente do Conselho, atualmente sob cargo do engenheiro Paulo Penido. A votação para a escolha do presidente do Conselho da empresa e de outros membros do grupo ocorrerá em 6 de abril, tendo sido convocada por acionistas minoritários que incluem a Tempo Capital e o fundo Geração L. Par, do bilionário Lirio Parisotto.

CSN
Três funcionários da CSN (CSNA3) foram presos na última terça-feira (23) em São Paulo, por participar de um esquema que pode ter causado desvios de até R$ 100 milhões para a empresa, de acordo com informações do G1. 
Segundo o G1, a CSN fez a denúncia em janeiro e, desde então, a investigação está a cargo do Ministério Público. Ontem, foram cumpridos três mandados de prisão e nove de busca e apreensão no escritório da companhia, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, no Itaim Bibi.

Abril Educação
A Abril Educação (ABRE3) encerrou o quarto trimestre com lucro líquido de R$ 56,2 milhões, contra R$ 63,3 milhões no mesmo período de 2013. Segundo o Itaú BBA, o resultado veio em linha, com grandes avanços em estratégia de sistema de aprendizagem. 

Souza Cruz
Após o conselho de administração aprovar remuneração aos acionistas, na forma de juros sobre capital próprio, o preço da oferta da Souza Cruz (CRUZ3) passou a ser de R$ 26,13 por ação. O preço anterior aos proventos era de R$ 26,75. A análise do edital e o curso do processo de registro da oferta encontram-se suspensos em virtude do pedido da Aberdeen de convocação de assembleia especial para deliberar sobre a realização de nova avaliação da OPA (Oferta Pública de Aquisição) de ações. 

ALL
A ALL (ALLL3) informou que seu conselho de administração aprovou a saída de Rodrigo Campos da diretoria financeira da empresa. Para seu lugar foi aprovado o nome de José Cezario de Barros. 

TIM
A TIM (TIMP3) teve sua recomendação rebaixada de overweight (exposição acima da média) para manutenção pelo HSBC. 

Copel
A Copel (CPLE6) planeja ampliar a termelétrica a gás de Araucária em 200 megawatts e está em vias de fechar um acordo de fornecimento de gás de longo prazo com a distribuidora Compagas, afirmaram executivos da companhia paranaense de energia, na segunda-feira. 
A empresa, que encerrou 2014 com alta de 21,3% no lucro líquido, "não tem nenhuma dúvida" que vai conseguir obter a renovação de sua concessão de distribuição de eletricidade.

Log-In
A Antaq negou pedido de procedência da Log-In (LGIN3) para extensão do prazo para afretamento por tempo, de embarcações estrangeiras, tendo por base o chamado "direito de tonelagem" relativo à construção dos cascos EI-506, EI-507 e EI-508, segundo resolução do Diário Oficial.   

Óleo e Gás Participações
A OGPar (OGXP3), ex-OGX Petróleo, registrou prejuízo de R$ 5,78 milhões no quarto trimestre do ano passado e Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) negativo de R$ 10,2 milhões.    

Diagnósticos da América
A Dasa (DASA3) teve prejuízo de R$ 21,5 milhões no quarto trimestre, ante lucro líquido de R$ 36,9 milhões no mesmo período de 2013. O Ebtida ficou em R$ 54,4 milhões, contra R$ 113 milhões na mesma base de comparação.  

Brasil Pharma
Em resposta às especulações sobre troca de comando, a Brasil Pharma (BPHA3) confirmou na véspera, por meio de comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que existem movimentações nesse sentido, mas que não houve, até o momento, formalização sobre tais assuntos. Uma reportagem do Valor de ontem apontava que a empresa iria contratar a consultoria do ex-presidente do Pão de Açúcar, Enéas Pestana, para trabalhar no processo de reestruturação da companhia, assim como deveria anunciar a saída de seu presidente José Ricardo da Silva. Sobre a contratação da consultoria, a Brasil Pharma não se pronunciou. 

 

Contato