Em mercados / acoes-e-indices

Mais uma vítima da crise do petróleo, Warren Buffett encerra investimento na Exxon

Holding do maior investidor do mundo vendeu US$ 3,7 bilhões em ações da petroleira, que viu seu lucro cair 21% no quarto trimestre de 2014 em meio à crise dos preços do petróleo

Warren Buffet 6
(Reuters)

SÃO PAULO - Nem mesmo o maior investidor do mundo conseguiu sair ileso da crise que a mais valiosa das commodities enfrenta desde junho do ano passado. A Berkshire Hathaway, do bilionário Warren Buffett, saiu de um investimento de US$ 3,7 bilhões na Exxon Mobil, por conta da queda livre nos preços do petróleo.

Pressionado de um lado pela oferta maior nos Estados Unidos graças à produção do gás do xisto e do outro pela produção da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), o petróleo entrou em uma trajetória forte de baixa tornada ainda mais aguda devido ao arrefecimento da demanda mundial. O preço do barril do tipo WTI (West Texas Intermediate) caiu 50,75% do patamar de junho de 2014, por volta dos US$ 106, ao preço em que fechou na quarta-feira (18), US$ 52. 

A crise afundou as ações de grandes empresas do setor de energia, tais quais a própria Exxon, que viu tanto o seu lucro como a sua receita cairem 21% no quarto trimestre de 2014 ante o mesmo período do ano anterior. 

As 41,1 milhões ações da Exxon na posse da Berkshire custaram aproximadamente US$ 90,86 por unidade em 2013, de acordo com o último relatório anual. Já na ocasião da venda por Buffett, elas foram negociadas a uma média de US$ 93,27 durante os meses de outubro, novembro e dezembro do ano passado, o que significa que a Berkshire pode ter tido lucro com a venda da participação.

Apesar da empresa de Buffett ter se tornado a quarta maior companhia do mundo fazendo aquisições e investindo em papéis que subiram muito nos últimos anos, como os da Coca-Cola Co. e da antiga Washington Post Co., ela tem sofrido com o setor de energia. 

Além da Exxon, a Berkshire já havia feito uma aposta mal-sucedida nas ações da ConocoPhillips, antes que os preços do petróleo bruto chegassem ao pico em 2008, e um investimento de bonds por US$ 2 bilhões na Energy Future Holdings Corp. cujo valor caiu depois pelo desmoronamento dos preços do gás natural.

(Com informações da Bloomberg)

 

Contato