Em mercados / acoes-e-indices

Após amenizar com Fomc, Ibovespa azeda e cai pelo 4º dia seguido; dólar sobe 0,5%

Puxado por Vale, siderúrgicas, bancos e elétricas, índice cai 0,42% em dia marcado pela repercussão de resultados corporativos e decisão do Fed pelo 5º corte seguido nos estímulos

SÃO PAULO - Após amenizar perdas e até zerar no começo da tarde desta quarta-feira (30) com a decisão do Federal Reserve de reduzir em mais US$ 10 bilhões pelo 5º mês seguido suas compras mensais de ativos, o Ibovespa não resistiu ao ceticismo do mercado e teve seu 4º dia consecutivo de perdas, ao cair 0,42%, 56.877 pontos. O giro financeiro da Bovespa foi de R$ 5,22 bilhões.

Do lado do noticiário macroeconômico, o dia marcou a decisão do Federal Reserve de provocar um novo corte no QE3 (Quantitative Easing 3) – a política de injeção mensal via compra de títulos públicos da autoridade monetária americana – para US$ 25 bilhões mensais e não dar sinalizações mais claras sobre quando elevações nas taxas de juros locais ocorrerão. O mercado temia por uma sinalização de que o Fomc (Federal Open Markett Committe) iria elevar a taxa de juro nos Estados Unidos, que tem sido mantida perto de zero desde dezembro de 2008.

O Fed, no entanto, mostrou que prefere esperar por indicações mais sólidas que a economia está em trajetória sólida e que não pretende fazer isto até o próximo verão no Hemisfério Norte. "Nós precisamos ter certeza que a economia está em uma trajetória sólida antes de considerarmos uma elevação na taxa", disse o Fomc, em release da autoridade americana divulgada nesta tarde.

A autoridade monetária americana informou ainda que a atividade econômica se recuperou no segundo trimestre, ressaltando que o mercado de trabalho está melhorando mas ainda inspira cautela, a taxa de desemprego segue em queda e a inflação está ficando mais próxima da meta de 2%. Há, no entanto, uma série de indicadores que sugerem que ainda não há uma utilização plena dos recursos do mercado de trabalho, comunicou o BC americano.

Nesta manhã, o Departamento do Comércio informou que o PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA registrou um crescimento de 4,0% entre abril e junho, superando a previsão de alta de 3,0%. Ainda nos EUA, o ADP Employment de julho, por sua vez, mostrou menor criação de vagas do que o esperado: 218 mil ante expectativa de 225 mil. Apesar de ficar abaixo da estimativa, o número segue apontando uma melhora permanente no mercado de trabalho do país.

Sensível às especulações do mercado sobre possíveis decisões do Fed, também se destacaram nesta sessão o movimento dos contratos de juros futuros e o desempenho do dólar. Do lado do DI, os papéis com vencimento entre 2017 e 2019 registraram alta na casa dos 0,7%, após chegarem a subir mais de 1% no intraday. Foi o quinto dia de alta em 6 pregões. Já a moeda americana terminou o dia com alta de 0,52%, cotada a R$ 2,2427 na venda.

Além do Fed, no Brasil, o noticiário eleitoral foi intenso. A partir de hoje, podem ser divulgadas pesquisas regionais Ibope com abrangência nacional. Foram feitos levantamentos em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Distrito Federal. Também vale destacar o encontro promovido pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias) com os três principais candidatos na corrida às urnas - Eduardo Campos (PSB), Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

Destaques do pregão
Puxando o desempenho desta sessão apareceram as ações de Vale (VALE3, R$ 32,22, -2,13%VALE5, R$ 28,93, -1,43%), das siderúrgicas Usiminas (USIM5, R$ 7,97, -2,09%) e Gerdau (GGBR4, R$ 13,37, -2,55%) – esta última refletindo a divulgação de balanço antes da abertura do pregão –. Do lado da siderúrgica, o mercado aproveitou as expectativas pela divulgação de novos dados na China para embolsar os ganhos dos últimos pregões.

Também tiveram queda significativa os papéis dos bancos, empresas do setor elétrico, além das ações de Souza Cruz (CRUZ3, R$ 21,57, -4,13%) e Cielo (CIEL3, R$ 42,15, -4,75%), que apresentaram seus resultados trimestrais ao mercado na noite véspera.

A Gerdau viu sua receita líquida alcançar R$ 10,443 bilhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 5,7% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto o lucro líquido caiu 2,0% no período, atingindo R$ 393 milhões. O Ebitda ficou em R$ 1,17 bilhão, queda de 2,2% na mesma base de comparação. Já a margem Ebitda passou de 13,6% para 12,1% no período.

Já a Souza Cruz teve lucro líquido de R$ 392,9 milhões no segundo trimestre, queda de 9,8% na comparação anual. A receita líquida caiu 4,9% na mesma base de comparação e encerrou junho em cerca de R$ 1,48 bilhão. Enquanto isso, a Cielo apresentou ao mercado seu balanço referente ao exercício do segundo trimestre de 2014. Conforme informou a companhia, a receita líquida obtida entre abril e junho foi de R$ 1,84 bilhões, o que equivale a uma alta de 13,6% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Outra a ver seus papéis refletirem a temporada de resultados foi a Telefônica (VIVT4, R$ 46,20, +2,48%), mas essa com caminhos opostos. A companhia de telefonia apresentou um lucro líquido de R$ 1,9 bilhão no segundo trimestre, um aumento substancial de 118% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. Já a receita líquida da empresa cresceu 5,1% na comparação anual e encerrou junho em cerca de R$ 5,8 bilhões, impulsionada principalmente pela crescente na receita de dados.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CIEL3 CIELO ON 42,15 -4,75 +30,80 246,75M
 CRUZ3 SOUZA CRUZ ON 21,57 -4,13 -8,11 38,43M
 GOLL4 GOL PN N2 13,82 -3,63 +31,87 13,27M
 RSID3 ROSSI RESID ON 1,46 -3,31 -28,43 6,60M
 GOAU4 GERDAU MET PN 16,14 -3,30 -30,25 17,20M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MRFG3 MARFRIG ON 6,66 +4,72 +66,50 13,84M
 VIVT4 TELEF BRASIL PN 46,20 +2,48 +7,26 60,84M
 SANB11 SANTANDER BR UNT N2 15,64 +2,22 +29,85 29,52M
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA 8,52 +2,04 -6,30 33,76M
 JBSS3 JBS ON 8,69 +1,64 +0,09 46,38M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN 19,85 +1,17 554,77M 697,64M 29.554 
 VALE5 VALE PNA 28,93 -1,43 304,92M 309,88M 18.029 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN 35,84 +0,48 265,86M 299,15M 18.287 
 CIEL3 CIELO ON 42,15 -4,75 246,75M 126,78M 13.924 
 BBDC4 BRADESCO PN 34,91 -0,51 180,17M 222,03M 12.115 
 QUAL3 QUALICORP ON 27,04 -1,49 172,88M 61,46M 4.628 
 VALE3 VALE ON 32,22 -2,13 157,51M 109,38M 9.996 
 BBAS3 BRASIL ON 28,47 -0,66 155,05M 161,61M 12.697 
 PETR3 PETROBRAS ON 18,68 +1,36 149,41M 249,52M 13.491 
 ITSA4 ITAUSA PN 9,56 0,00 135,50M 90,54M 18.803 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão) 

 

Contato