Em mercados / acoes-e-indices

Revolução das small caps: Biosev dispara 44% e Karsten cai 14%; veja mais

Com noticiário agitado e volume chegando a superar 4 vezes a média, 4 companhias chamam atenção dos investidores fora do Ibovespa

SÃO PAULO - Apesar do dia agitado dentro do Ibovespa, muitas ações fora do índice chamaram atenção. Entre as small caps - empresas com menor valor de mercado e que movimentam menos na Bolsa - 4 empresas foram destaque, com volumes bem maiores que suas médias e oscilações que chegaram a alta de mais de 40% durante esta quinta-feira (24).

Após dois dias de fortes quedas, a Tecnosolo (TCNO4) voltou a subir nesta sessão. Após atingir ganhos de 40,54% no intraday, os papéis da companhia perderam força e fecharam com alta de "apenas" 16,22%, cotados a R$ 0,43 - desde o dia 14 de julho os ganhos são de 185%. O volume bateu o dobro da média dos últimos 21 pregões, fechando o dia com R$ 2,45 milhões movimentados.

Em entrevista ao InfoMoney na última terça-feira, o diretor de RI da empresa, André Camacho, ressaltou que a empresa deu a volta por cima depois de quebrar em 2012, conseguindo uma nova carteira de serviços, e que o mercado deve estar acompanhando essa evolução da empresa, o que tem refletido nas ações.

CSU CardSytem
Após chegar a subir 12,39% durante o dia, a CSU CardSystem (CARD3) fechou este pregão com valorização de 7,80%, a R$ 2,35. Mais uma vez o volume chamou atenção: foram R$ 473 mil movimentados hoje contra média de R$ 107 mil. Ontem a companhia informou que foram fechados contratos com empresas de vários segmentos nos últimos meses, promovendo o incremento no faturamento em R$ 60 milhões anuais para a empresa.

Em comunicado, a CSU disse que na unidade CSU ITS, voltada à terceirização de tecnologia com hospedagem de softwares e hardwares e terceirização de data center, foram assinados contratos com Porto Seguro e Europ Assistance. Pela divisão MarketSystem foram assinados contratos com a AMBEV, Pernambucanas e Porto Seguro, por meio da plataforma OPTe+.

Já a unidade de processamento de meios de pagamento, a CSU CardSystem, passou a ter em sua carteira de clientes o Banco BMG, na área de crédito consignado. Na unidade CSU Contact, foram assinados contratos com as empresas Natura, o Grupo Etna e a Europ Assistance.

Karsten
Uma das empresas que chamou a atenção do mercado nesta semana devido a um movimento bastante atípico de suas ações na Bolsa, a Karsten (CTKA4) voltou a ser destaque entre as small caps. Em queda durante todo o dia, os papéis da companhia fecharam com forte desvalorização de 14,17%, cotados a R$ 1,09. O volume atingiu R$ 1,30 milhão, contra média de 21 dias de R$ 397 mil.

Ontem à noite a empresa informou o mercado que um fundo do J. Malucelli vendeu todas suas 406.500 ações que detinha da companhia. O percentual equivale a 4,91% dos papéis preferenciais da Karsten.

A operação do fundo ocorreu em um dia em que as ações CTKA4 fecharam com ganhos de 54%. Vale lembrar que, na última segunda-feira (21), os papéis já haviam apresentado alta expressiva de 60,42%. Na ocasião, chamou atenção dos investidores a franqueza da companhia em prestar esclarecimentos após solicitação da BM&FBovespa. Segundo comunicado emitido, a fabricante estaria em negociação com seus controladores para um aumento de capital de até 6 vezes seu valor de mercado.

Em comunicado publicado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o fundo declarou que a "referida ação não tem como intuito alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia, bem como, não detém bônus de subscrição, direitos de subscrição de ações, opção de compra de ações e debêntures conversíveis em ações de emissão".

Biosev
Desde o dia 14 de julho, as ações da Biosev (BSEV3) têm registrados fortes altas na Bolsa. Caindo apenas no dia 21, os papéis da companhia acumulam ganhos de 87% neste período, sendo que apenas hoje os ganhos foram de 44,44%, com as ações atingindo os R$ 13,00, maior patamar desde junho de 2013. Na semana a alta chega a 63,52%. Assim como as outras empresas citadas, o volume neste pregão também superou sua média, fechando o dia com R$ 106 mil movimentados - ante média de R$ 81 mil.

A companhia chamou atenção na última segunda-feira quando uma "bomba relógio" explodiu nas mãos do controlador da Biosev.Pelo resultado do exercício de opções da Bovespa, todos os acionistas que possuíam opção da Biosev em mãos exerceram.

Isto ocorreu porque quando a empresa entrou na Bolsa, em fevereiro de 2013, a controladora da empresa, a francesa Louis Dreyfus, ofereceu uma opção de venda aos acionistas que entraram na oferta, dando o direito destes investidores receberem o dinheiro investido após 15 meses, caso os papéis não estivessem cotadas a pelo menos R$ 16,57.

 

Contato