Em mercados / acoes-e-indices

Após 4 altas, Ibovespa fecha com queda de 1,17%; Petrobras e BB lideram perdas

Índice tem movimento de correção um dia antes da divulgação de nova pesquisa Datafolha; petrolífera cai 3,77%, enquanto banco perde 4,28%

SÃO PAULO - O recuo praticamente em cadeia das principais ações brasileiras levou o Ibovespa a encerrar uma sequência de quatro altas nesta quinta-feira (8), ao fechar com perdas de 1,17%, a 53.422 pontos, em movimento de correção. Entre os destaques da sessão, apareceu mais uma vez a temporada de resultados corporativos, o noticiário internacional e a aproximação de uma nova pesquisa eleitoral, que pode balançar mais uma vez o mercado nacional. O giro financeiro da Bovespa é de R$ 6,60 bilhões.

Contribuindo para o forte dia de correção do índice, apareceram ações de Petrobras (PETR3, R$ 16,82, -3,33%; PETR4, R$ 17,88, -3,77%) e Vale (VALE3, R$ 29,47, -1,67%; VALE5, R$ 26,83, -1,51%), com a primeira recuando mais de 3% e a segunda, 1,5%. É importante destacar que a estatal vinha apresentando um forte movimento de alta com um novo rali eleitoral, impulsionado pela pesquisa Ibope do Ceará, que mostrou novo recuo da presidente Dilma Rousseff na corrida.

O atual governo tem sofrido forte repúdio por boa parte do mercado, que se opõe às políticas econômicas que classifica como excessivamente intervencionistas. Desta forma, qualquer perda de espaço de Dilma na corrida eleitoral causa ondas de otimismo na bolsa, sobretudo nas ações das empresas estatais. Vale lembrar que, na próxima sexta-feira (9), o Datafolha apresentará uma nova triagem eleitoral.

As ações da Vale até chegaram a ensaiar um pregão de alta, após o superávit comercial apresentado pela China superar as expectativas, somando US$ 18,46 bilhões em abril, ante US$ 7,71 bilhões em março. No entanto, ainda no gigante asiático a notícia de que o preço do minério de ferro de teor de 62% atingiu US$ 103,70 dólares por tonelada – o mesmo valor de setembro de 2012 – preocupou o mercado. Os papéis da companhia cederam ao pessimismo e acompanharam o movimento de queda.

Movimento negativo também foi visto em dois dos três principais índices americanos, que viraram após ensaiarem um pregão de ganhos. Por lá, o Nasdaq e o S&P 500 fecharam com quedas entre 0,1% e 0,5%, enquanto o Dow Jones apresentou alta de 0,2%. Do lado macroeconômico local, destaque para a redução acima do esperado do número de pedidos de auxílio-desemprego, que marcou 319 mil ordens na última semana.

Já o dólar voltou a apresentar movimento de desvalorização ante o real nesta quinta-feira, mesmo em dia de correção na Bovespa – normalmente a moeda americana sobe quando o Ibovespa cai. A divisa fechou com leve queda de 0,17%, cotada a R$ 2,2144 na venda.

Destaques do pregão
Além da dupla Petrobras e Vale, também apresentaram recuo nesta sessão os papéis das instituições financeiras, que também tiveram forte valorização nos últimos dois meses, também aumentam as perdas. Entre os destaques, apareceram os papéis de Banco do Brasil (BBAS3, R$ 23,94, -4,28%), Bradesco (BBDC3, R$ 35,77, -1,46%; BBDC4, R$ 34,58, -1,12%) e Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 37,18, -1,54%).

No noticiário corporativo, destaque para a Ecorodovias (ECOR3, R$ 13,88, +0,51%), cujas ações driblaram o dia negativo. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) aprovou o início da cobrança de pedágio da concessionária ECO101, da Ecorodovias, a partir de 18 de maio, segundo resolução no Diário Oficial desta quinta-feira. A data apresenta um atraso em relação à previsão da empresa do início da cobrança em 10 de maio. Em teleconferência realizada na véspera, executivos da empresa afirmaram que, com o pedágio no trecho BR-101, administrado pela ECO101, as margens do segmento rodoviário da empresa devem apresentar contínua melhora.

Outra a chamar atenção foi a ALL Logística (ALLL3, R$ 8,63, -1,60%), cujos acionistas aprovaram a incorporação da companhia pela Rumo, do grupo de energia e infraestrutura Cosan (CSAN3, R$ 38,51, -1,05%), em um negócio para criação de uma gigante de logística avaliada em cerca de R$ 11 bilhões. A aprovação segue o crivo dado pelo Conselho de Administração da ALL, em meados de abril. A operação, alvo de preocupações sobre concorrência, ainda precisa ser avaliada por órgãos reguladores como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 GOLL4 GOL PN N2 13,94 -5,49 +33,02 16,47M
 BBAS3 BRASIL ON 23,94 -4,28 +0,36 239,21M
 PETR4 PETROBRAS PN 17,88 -3,77 +11,41 964,72M
 MRFG3 MARFRIG ON 4,49 -3,44 +12,25 5,76M
 PETR3 PETROBRAS ON 16,82 -3,33 +8,95 193,34M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRPR3 BR PROPERT ON ED 18,26 +2,35 +1,09 38,57M
 NATU3 NATURA ON 40,15 +2,24 +0,31 35,63M
 RENT3 LOCALIZA ON ED 34,40 +2,11 +3,86 37,73M
 AEDU3 ANHANGUERA ON ED 15,40 +1,99 +3,38 222,42M
 SANB11 SANTANDER BR UNT N2 15,08 +1,55 +24,33 66,95M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN 17,88 -3,77 964,72M 639,81M 60.056 
 VALE5 VALE PNA 26,83 -1,51 530,10M 431,37M 26.927 
 BBAS3 BRASIL ON 23,94 -4,28 239,21M 180,99M 20.217 
 AEDU3 ANHANGUERA ON ED 15,40 +1,99 222,42M 69,10M 8.584 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN ED 37,18 -1,54 215,93M 422,72M 16.136 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 34,58 -1,12 201,20M 290,18M 13.674 
 PETR3 PETROBRAS ON 16,82 -3,33 193,34M 212,25M 22.655 
 KROT3 KROTON ON 54,03 -0,06 184,89M 122,57M 8.186 
 TIMP3 TIM PART S/A ON 12,46 +0,08 165,41M 47,80M 6.614 
 ABEV3 AMBEV S/A ON ES 16,30 0,00 142,10M 224,05M 19.421 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Outros destaques
Os principais índices acionários de Europa e Ásia tiveram sessão de recuperação, após terem registrado queda na véspera. As ações asiáticas encerraram o pregão em alta, impulsionadas por dados divulgados na China. Já no velho continente, o discurso mais conciliador de Vladimir Putin, presidente russo, aliviou os investidores na abertura do pregão e deixou os índices em patamar positivo.

Além deste fator, a fala de Putin, no qual afirmou que já tinha retirado tropas russas das fronteiras com a Ucrânia deixou investidores mais otimistas. O presidente também fez um apelo para que separatistas pró-Moscou adiem uma votação sobre o referendo que está sendo discutido sobre a independência do leste da Ucrânia.

Na última quarta-feira (7) a chair do Fed (Federal Reserve), Janet Yellen, reiterou sua posição de que a economia norte-americana ainda precisa de apoio dada a "considerável capacidade ociosa" no mercado de trabalho.

Na Europa, o BCE (Banco Central Europeu) manteve inalterada a taxa de juro básica na mínima histórica de 0,25% pelo sexto mês consecutivo. A principal taxa de refinanciamento está, desde novembro do ano passado, em 0,25%. O patamar foi mantido na reunião de hoje no mesmo nível, depois da inflação ter subido em março para 0,7% e dos dados que indicam alguma retomada econômica na zona do euro.

No inicio do pregão desta quinta-feira, o BoE (Bank of England) anunciou que o Comitê de Política Monetária do BC britânico deixou sua taxa referencial de juros em 0,5%, patamar onde tem permanecido desde o pior da crise financeira há mais de cinco anos. O banco central também deixou inalterado o montante de 375 bilhões de libras (US$ 636 bilhões) em títulos do governo que acumulou nos últimos anos em uma tentativa de fazer com que a economia girasse novamente.

 

Contato