Em mercados / acoes-e-indices

Vale intensifica perdas e Ibovespa firma queda na volta do feriado; Petrobras cai

Ações da Vale caem cerca de 2%, enquanto Petrobras oscila em meio a vencimento de opções; Focus diminuiu expectativa para o PIB e vê inflação acima do teto da meta

SÃO PAULO - Após ficar fechada na última sexta-feira e na véspera por conta dos feriados de Paixão de Cristo e Tiradentes, o Ibovespa firma queda após abrir no zero-a-zero, digerindo as diversas referências mundiais, mas de olho principalmente no cenário nacional. Às 10h30 (horário de Brasília), o índice registrava leve queda de 0,40%, a 51.902 pontos após a disparada da última sessão. Vale ressaltar que esta sessão marca o vencimento de opções sobre ações, o que gera volatilidade adicional ao índice. 

Em destaque, o Focus projetou uma expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014, que diminuiu para 1,63%, ante 1,65% da semana anterior enquanto para 2015, a expectativa foi mantida em 2,00%. Em relação à inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2014, os economistas aumentaram a expectativa, para 6,51% ante 6,47%, enquanto para o próximo ano a projeção se manteve em 6,00%. Com isso, a expectativa de inflação ultrapassou o teto da meta de 2014, de 6,5%.  Já a expectativa para a taxa básica de juros, a Selic, foi mantida em 11,25% para o final de 2014 e de 12% para 2015. 

O mercado também fica de olho nas diversas pesquisas eleitorais, com destaque para o Ibope, divulgado na última quinta-feira (17), e para as pesquisas Datafolha e Eurasia Group revelados na véspera. O Ibope apontou queda de três pontos percentuais de Dilma Rousseff para 37% na última quinta-feira, mas ela ainda seria reeleita no segundo turno. Naquela data, o Ibovespa registrou forte avanço de 1,78% em meio às expectativas de que houvesse uma queda nas intenções de voto de Dilma. Já o Datafolha destacou que há um empate técnico na disputa entre os eleitores que conhecem os candidatos, enquanto a Eurasia Group prevê uma reeleição apertada da presidente Dilma Rousseff. 

Em meio a isso, as ações da (PETR3;PETR4) têm um dia volátil, registrando perdas em dia de vencimento de opções após abrir em alta de cerca de 1%. 

Já as ações da Vale (VALE3;VALE5) têm um dia de queda, repetindo o movimento registrado na Nyse (New York Stock Exchange) na véspera, quando caiu cerca de 2%. O noticiário corporativo da empresa foi movimentado no feriado. Nesta semana o STJ (Superior Tribunal de Justiça) poderá voltar a analisar a questão da taxação sobre o lucro de empresas controladas e coligadas no exterior. Em destaque, está a inada a informação de que o governo da Guiné aprovou as conclusões de uma comissão governamental criada para investigar acordos de mineração do país, que na semana passada recomendou que a Vale e a BSG Resources tivessem suas licenças para o projeto de minério de ferro Simandou retiradas. Além disso, a expectativa por novos dados de produção industrial da China também geram cautela ao mercado. Na próxima data, serão revelados os PMIs (Purchasing Managers Index) da zona do euro e EUA. 


As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 VALE3 VALE ON EJ 30,95 -2,21
 BBAS3 BRASIL ON 23,65 -1,91
 ALLL3 ALL AMER LAT ON ED 8,24 -1,67
 PDGR3 PDG REALT ON 1,37 -1,44
 VALE5 VALE PNA EJ 28,13 -1,44



As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 SBSP3 SABESP ON 21,35 +2,15
 OIBR4 OI PN 2,67 +1,91
 CPFE3 CPFL ENERGIA ON 19,86 +1,59
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 16,38 +1,30
 DASA3 DASA ON 13,57 +1,27

Europa e Ásia
Os principais índices acionários mundiais têm uma sessão em direções opostas. As bolsas europeias reabrem após o feriado da Páscoa em alta mas deve ter um volume de negócios abaixo da média, enquanto os benchmarks da Ásia encerraram o pregão desta terça sem uma única direção, mesmo com o encerramento positivo na véspera das bolsas norte-americanas.

As bolsas nos EUA subiram na última segunda-feira (21) mas com baixo volume de negócios, com investidores mostrando cautela após um forte crescimento na semana passada e antes de importantes divulgações de resultados nesta semana. O S&P e Nasdaq, benchmark do país, registraram o quinto dia consecutivo de alta. Nesta data, o mercado deve ficar de olho nos dados do setor imobiliário dos EUA, com o Existing Home Sales. 

O índice referência do Japão, o Nikkei, chegou a subir no intraday mas terminou a sessão com queda de 0,85%, com o iene mais forte em relação ao dólar. O Hang Seng, índice acionário da China, também fechou o pregão com perdas e acumulou queda de 0,13%. Já o benchmark do gigante asiático, o Shangai Composto, terminou o pregão com alta de 0,34%, com a moeda do país atingindo seu menor nível em um ano frente ao dólar.

Vale ressaltar a cautela frente a economia chinesa, provocadas por preocupações sobre liquidez e resultados, colocando freio em outros mercados acionários da Ásia nesta terça-feira apesar da alta em Wall Street da véspera.

Investidores seguem de olho nas tensões envolvendo Ucrânia e Rússia, após o Departamento de Estado dos EUA anunciarem que novas sanções podem ser impostas à Rússia. A crise entre os dois países aumentou depois que separatistas pró-Rússia invadiram prédios da parte oriental da Ucrânia e se recusam a deixar os lugares invadidos. 

 

Contato