Em mercados / acoes-e-indices

CVM suspende oferta da Oi; HRT aprova eleição de diretores; veja mais 3 destaques

CPFL Energia divulgar resultado do quarto trimestre enquanto a Sabesp aprova pagamento de juros sobre o capital próprio

logo e slogan da Oi
(Nacho Doce/Reuters)

SÃO PAULO - A noite desta quinta-feira (27) segue agitada, mesmo após o fechamento do pregão. Chama atenção a notícia da suspensão por parte da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) da oferta primária de ações da Oi (OIBR4), fundamental para a conclusão da fusão da companhia com a Portugal Telecom, por até 30 dias. Segundo a CVM, a decisão ocorreu por causa de publicação de "matérias jornalísticas publicadas na data de ontem nos websites Exame.com, R7 Notícias e Estadão.com.br”.

Um dos fatores que pesou na decisão foram as declarações do presidente da Oi, Zeinal Bava, à imprensa sobre a oferta na véspera, o que não é permitido pela legislação até o seu encerramento, afirmou a autarquia. Na véspera, a Oi promoveu entrevista à imprensa sobre serviços de televisão por assinatura. O executivo foi questionado por jornalistas sobre o andamento da fusão e afirmou que a união das empresas trazia vantagens.

Em fato relevante, a Oi afirmou que "apresentará os devidos esclarecimentos à CVM na maior brevidade possível, e buscará sanear qualquer eventual irregularidade a fim de retomar o curso da oferta".

CPFL Energia
Na temporada de reusltados, destaque para a CPFL Energia (CPFE3), que registrou um lucro líquido de R$ 323 milhões no quarto trimestre de 2013, representando uma alta de 67,9% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No acumulado anual, o lucro chegou a R$ 950 milhões, recuo de 21,4%.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 912 milhões, 25,5% maior que um ano antes. Em 2013, o Ebitda chegou a R$ 3,547 bilhões, alta de 3,2%. Nos três últimos meses do ano passado, a receita operacional líquida da CPFL Energia foi de R$ 3,467 bilhões, recuo de 8,8%. No total do ano, a receita subiu 0,7, para R$ 13,629 bilhões.

Junto com o resultado, o conselho de administração da companhia aprovou o pagamento de dividendos no valor de R$ 0,5900 por ação ordinária. O pagamento será efetuado em data a ser definida e as ações passam a ser negociadas "ex-dividendos" a partir de 30 de abril.

Vanguarda Agro
A Vanguarda Agro (VAGR3) teve prejuízo de R$ 50,8 milhões no quarto trimestre de 2013, prejuízo 12,9% menor que o de R$ 58,3 milhões registrado um ano antes. O lucro bruto foi de R$ 28,03 milhões no trimestre, queda de 59,7%.

O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortização e depreciação) foi negativo em R$ 28,6 milhões, ante Ebitda positivo de R$ 4,97 milhões um ano antes. A receita líquida da empresa foi de R$ 128,7 milhões no quarto trimestre de 2013, queda de 56,1% na comparação anual.

Em 2013, a empresa teve prejuízo de R$ 229,8 milhões, 79,4% maior que o prejuízo de R$ 128,12 milhões em 2012. No ano, o Ebitda foi negativo em R$ 142,9 milhões, ante resultado positivo de R$ 57,9 milhões no ano anterior. A receita líquida recuou 25,8% nesta comparação, para R$ 698,3 milhões.

Sabesp
O conselho de administração da Sabesp (SBSP3) aprovou a distribuição de juros a título de remuneração sobre o capital próprio de R$ 537,464 milhões, correspondentes a R$ 0,7863 por ação ordinária. Os juros serão pagos em até 60 dias após a realização da Assembleia Geral Ordinária de 2014. As ações passam a ser negociadas ex-juros a partir de 08 de abril.

HRT
Enquanto isso, o conselho de administração da HRT Participações (HRTP3) aprovou a eleição de Eduardo Larangeira Jácome como diretor de Gestão e de Relações com Investidores e de José Carlos de Araújo Pedrosa como diretor de Novos Negócios.

 

Contato