Em mercados / acoes-e-indices

A semana nem terminou e 6 ações já subiram mais de 10%; confira quais são

LLX ficou estável nesta sessão, mas segue com ganhos de 20% na semana, enquanto as estatais Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil continuam com altas de mais de 10%

SÃO PAULO - Com um repique que parece não ter fim, diversas ações do Ibovespa estão aproveitando a semana para subirem forte. Enquanto o índice já chega a ganhos de 5,14% nesses quatro pregões, 6 ações têm valorização de mais de 10% no período, enquanto outros 7 papéis acumulam alta entre 8% e 10%.

Nem o fato de ficarem estáveis neste pregão tiraram o posto de maior alta da semana da Prumo, antiga LLX Logística (LLXL3), que subiu 20% nos quatro dias e está cotada atualmente a R$ 0,96 por ação. Sem nenhuma notícia que pudesse justificar esse desempenho, nos últimos dias chamou atenção o movimento de bancos estrangeiros, que lideraram as compras de papéis até a véspera, sinalizando uma movimentação de algum grande investidor. Fato é que nesta sessão os papéis não operaram no positivo, fechando em sua máxima do dia.

Por outro lado, apenas 7 ações ainda registram perdas na semana. Destaque para a Dasa (DASA3), que perderam bastante sua liquidez após a OPA (Oferta Pública de Aquisição) realizada em fevereiro e seguem agora no aguardo sobre uma possível nova oferta de aquisição que pode retirar os papéis restantes do mercado. Em quatro dias, os papéis da companhia recuaram 6,68%, a R$ 14,11. Enquanto isso, a queda de 7,50% da Sabesp (SBSP3) nesta sessão levou a companhia para o segundo pior desempenho do índice na semana, com perdas de 2,29%.

Estatais seguem com os maiores ganhos do índice
Na sequência aparecem as ações das companhias estatais - Petrobras (PETR3; PETR4), Eletrobras (ELET3; ELET6) e Banco do Brasil (BBAS3) -, que há três dias têm subido forte com a expectativa do possível resultado de uma pesquisa Ibope para as eleições presidenciais, que poderia trazer uma menor distância de intenções de votos entre a atual presidente Dilma Rousseff e seus concorrentes. Segundo analistas, o mercado está reagindo de forma positiva porque os investidores entendem que o governo Dilma é muito intervencionista e prejudica a rentabilidade das empresas estatais.

No caso da petrolífera, outro fator ainda tem agitado as ações. Segundo Henrique Kleine, analista da Magliano Corretora, mais do que a pesquisa eleitoral, que traz a esperança de mudança na postura do governo e, consequentemente, a diminuição da intervenção na empresa, está o fato de que hoje a oposição pediu CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras sobre a compra da refinaria de Pasadena em 2006 pela empresa. Com isso, a visão dos investidores acaba ficando positiva, já que eles entendem que pelo menos alguma coisa está sendo feita para que a situação melhore.

Na semana, as ações ordinárias da Eletrobras têm alta de 18,00%, cotadas a R$ 5,77, enquanto os papéis preferenciais avançaram menos, 9,28%, para R$ 9,93. Já os ativos do Banco do Brasil acumulam ganhos de 10,93% nesses quatro dias e são cotados a R$ 20,90. As ações PETR3, por sua vez, são a quarta maior alta da semana e já subiram 10,99%, para R$ 13,43, enquanto os papéis PETR4 avançaram 9,47% no período, a R$ 13,99.

Outros destaques
Entre outras ações que já subiram mais de 10% na semana estão a Braskem (BRKM5) com alta de 11,63% no período, cotada a R$ 16,80 e a Kroton (KROT3) que conseguiu avançar 10,79% nesses quatro dias, atingindo os R$ 48,75.

O desempenho da empresa de educação ocorre após a divulgação dos resultados da companhia, na segunda-feira, com seu lucro avançando 260,7% em um ano, atingindo R$ 137,8 milhões. Segundo a XP Investimentos, o resultado impressionou, com a empresa dando continuidade aos números fortes de crescimento e entregando melhora nas margens.

 

Contato