Em mercados / acoes-e-indices

OGX terá US$ 125 mi a mais no caixa hoje; Petrobras e mais 8 empresas no radar

Petrobras comprova descoberta em águas profundas na bacia Potiguar; Light pode ter que reduzir remuneração aos acionistas

OGX 03 - Primeiro Oleo
(Divulgação OGX)

SÃO PAULO - A quinta-feira (13) começa agitada, em meio à temporada de balanços e notícias do mundo corporativo. Segundo matéria do Valor, o governo anuncia hoje à tarde modelo de financiamento para cobrir o rombo no caixa das distribuidoras decorrente, dentre outros fatores, do baixo nível dos reservatórios. Na mesma linha, a coluna Radar, da Veja, informou que o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, teria convocado uma reunião para hoje em Brasília para discutir o assunto. De manhã a reunião seria com as distribuidoras de energia e à tarde com todo o setor elétrico. 

Em relação aos resultados, entre ontem à noite e esta manhã, oito empresas reportaram seus números referentes ao quarto trimestre, com destaque para B2W (BTOW3) e Lojas Americanas (BTOW3). Enquanto a Lojas Americanas viu seu lucro líquido crescer 10,1% no quarto trimestre na comparação com o mesmo período de 2012 - resultado acima das estimativas do mercado -, a varejista online B2W registrou prejuízo líquido de R$ 10,5 milhões no período, mas ainda assim menor do que o apresentado no quarto trimestre do ano anterior (R$ 43,7 milhões). A média das estimativas de analistas obtida pela Reuters apontava para prejuízo de R$ 29,5 milhões.

OGX receberá dinheiro novo hoje
Além disso, chama atenção a Óleo e Gás Participações (OGXP3), ex-OGX, que inicia hoje com caixa de US$ 125 milhões, fruto do financiamento atrelado à recuperação judicial da empresa e que foram injetados por meio de uma emissão de debêntures, informou o Valor.

No total, a empresa emitirá o equivalente a US$ 215 milhões em debêntures. A segunda tranche, de US$ 90 milhões, será aberta a todos os credores da empresa. A primeira foi destinada aos detentores de bônus internacionais que aceitaram participar da transação.

Light pode ter que reduzir remuneração aos acionistas
Após anunciar uma gorda quantia em dividendos aos seus acionistas após o resultado de 2013, a Light (LIGT3) poderá ter que rever sua política de remuneração se a atual situação que pressiona o caixa das distribuidoras permanecer ao longo de 2014. A companhia aposta que o governo anuncie em breve a solução definitiva para o problema de caixa das distribuidoras, pressionadas pelo despacho termelétrico elevado e pela exposição involuntária ao mercado spot. "Esperamos uma solução para o início de abril, antes da liquidação do mês de fevereiro", afirmou o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Light, João Batista Carneiro, durante teleconferência de resultados. Para eles, é importante que a decisão a ser tomada pelo governo não provoque desequilíbrio financeiro das distribuidoras.

Petrobras comprova descoberta em águas profundas na bacia Potiguar
A Petrobras (PETR3, PETR4) concluiu a perfuração de um poço em águas profundas da Bacia Potiguar, chamado Pitu, a 1.731 metros de profundidade e a 55 km da costa do Rio Grande do Norte, onde comprovou a descoberta de óleo médio. 
A Petrobras é a operadora da concessão BM-POT-17, com 80% de participação, em consórcio com a Petrogal Brasil, que detém 20%.

Cromossomo adquire 150,8 mi ações da Dasa
A Cromossomo Participações, do empresário Edson Godoy Bueno e Dulce Pugliese, responsável pela oferta pública voluntária das ações ordinárias da Diagnóstico da América (DASA3), informou na noite da véspera que
adquiriu 28.410.071 ações remanescentes no mercado, nas mesmas condições da OPA (Oferta Pública de Ações), pelo preço por ação de R$ 15,00, atualizado pelo IPCA, calculado pro rata temporis desde a data da liquidação financeira do leilão até a data do efetivo pagamento do valor.  

A Cromossomo lançou uma OPA para aquisição da totalidade do capital da Dasa em 23 de dezembro de 2013 e adquiriu aproximadamente 121 milhões de ações da companhia em leilão realizado no dia 10 de fevereiro na BM&F Bovespa, por cerca de R$ 1,8 bilhão. Com as aquisições posteriores ao leilão, o investimento subiu para R$ 2,3 bilhões. Com a conclusão da oferta, foram adquiridas pela Cromossomo o total de 150.769.012 ações, representando 48,35% do capital social da Dasa. A participação da ofertante, em conjunto com a de seus controladores indiretos Edson de Godoy Bueno e Dulce Pugliese representa 71,94% do capital social da Dasa.

Sabesp reduzirá fornecimento de água a cidades
A Sabesp (SBSP3) anunciará nesta quinta-feira que as cidades permissionárias do Sistema Cantareira - aquelas que compram água da empresa no atacado - receberão a partir de hoje menos água e terão que encontrar saídas próprias para evitar o racionamento, informou O Estado de S. Paulo. O governo alega que a medida é necessária para repassar aos clientes da Sabesp a exigência da ANA (Agência Nacional de Águas), que determinou deste segunda-feira a redução em 15,5% da captação de água máxima nas represas do Cantareira. 

Cade sugere solução para impasse entre Kroton e Anhanguera
Envolvidas em processo de tentativa de fusão que passa por complicações promovidas pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), Kroton (KROT3) e Anhanguera (AEDU3) informaram o mercado, na quarta-feira, que o órgão antitruste deu uma sugestão para a solução do impasse que visa evitar a formação de oligopólio no setor de educação. 
Segundo comunicado enviado pelas duas companhias à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o Cade apontou para uma "transferência de mantença" como uma boa alternativa para que as duas possam concluir fusão sem complicações. O termo técnico usado refere-se à alienação de uma instituição de ensino de dentro de um grupo, reduzindo assim seu controle sobre o mercado. Ou seja, uma possível solução para o fator que impede a fusão das duas gigantes do ramo educacional poderia ser a venda de algumas instituições ou cursos para que a atividade delas não pudesse ser configurada como controladora do mercado.

Minerva vai recomprar 9,19% de ações de emissão própria
A Minerva (BEEF3) vai realizar programa de recompra de até 9 milhões ações ordinárias, representativas de 9,198% do total de ações de emissão da companhia em circulação no mercado. O prazo máximo para a realização pelo prazo de até 365 dias, contados a partir de 12 de março de 2014. Segundo a empresa, o programa tem objetivo realizar a aplicação eficiente dos recursos disponíveis em caixa, visando capturar um potencial importante de geração de valor para o acionista em razão do desconto atual das ações da companhia no mercado.

Eternit vai pagar R$ 12,436 mi em dividendos
A Eternit (ETER3) anunciou que vai pagar, a partir de 2 de abril deste ano, dividendos no valor de R$ 12,436 milhões, correspondentes a R$ 0,139 por ação, por conta dos resultados do quarto trimestre. Farão jus ao recebimento os acionistas com posição de ações da companhia no dia 24 de março de 2014. As negociações das ações da companhia a partir de 25 de março de 2014 serão na condição "ex-dividendos". 

No mesmo dia, serão pagos também aos acionistas juros sobre o capital próprio, deliberados em reunião do dia 11 de dezembro do ano passado, no montante de R$ 5,457 milhões, correspondentes a R$ 0,061 por ação. 

Duratex investirá R$1,3 bi para construir fábrica em MG
A Duratex (DTEX3) anunciou nesta quinta-feira que irá investir R$ 1,3 bilhão para a construção de uma fábrica de painéis industrializados em Minas Gerais, também divulgando a aquisição de florestas para garantir suprimento de matéria-prima para a nova unidade. Segundo a companhia, a unidade terá duas linhas de produção, com capacidade efetiva de 1,4 milhão de metros cúbicos por ano.

CCR assina contrato de concessão de trecho da BR-16
A CCR (CCRO3) informou na quarta-feira que assinou o contrato de concessão de serviço público, com prazo de 30 anos, de trecho da BR-163/MS, no Mato Grosso do Sul, com extensão de 847,2 quilômetros, de acordo com fato relevante. 
A empresa de concessão de infraestrutura estima investimento total de 5,5 bilhões de reais para o período inteiro da concessão, sendo que nos primeiros cinco anos a previsão é que sejam investidos 3,32 bilhões de reais.

Copel tem novo diretor de Finanças e RI
A Copel (CPLE6) informou ontem à noite que Antônio Sergio de Guetter é o novo diretor de Finanças e relações com investidores da empresa. Ele foi eleito em reunião ordinária do conselho de administração ocorrida na véspera, em substituição a Luiz Eduardo de Veiga Sebastiani, que deixa a companhia para assumir o cargo de Secretário da Fazenda do Estado do Paraná. 

 

Contato