Em mercados / acoes-e-indices

Reservas da Petrobras crescem; ALL, Santander e mais 8 empresas estão no radar

Ainda entre os destaques, OGX consegue US$ 50 milhões para financiar exportações; Santander emitirá equivalente a R$ 6 bilhões em notas no exterior

Petrobras 07 - Navio
(Divulgação Petrobras)

SÃO PAULO - A quarta-feira (15) inicia agitada em meio a uma série de notícias. A Petrobras (PETR3PETR4) ganha o holofote do mercado nesta manhã. A estatal terminou 2013 com 16,565 bilhões de boe (barris de óleo equivalente), comunicou a empresa nesta terça-feira (14). Esse é um aumento de 0,8% frente ao que a companhia havia declarado em 2012. Com a produção de 2 milhões de barris por dia, a empresa precisa de 22,81 anos para extinguir suas reservas. Contudo, é muitíssimo provável que a companhia encontre novas reservas nos próximos anos - há vários poços sendo testados. Deste volume, 13,895 bilhões é referente às reservas de petróleo da companhia. 

Ainda sobre a estatal, foi informado na véspera um reajuste de 15% no óleo combustível no final do ano passado. Já se especulava que a empresa realizaria esse aumento no preço. Mas enquanto o mercado levantava os rumores, a companhia obtou por ficar em silêncio. Em comunicado divulgado na última terça-feira, a petroleira disse que não achava necessário divulgar um fato relevante acerca do assunto. "Entendemos que o reajuste de preços de sua dezenas de produtos é parte corrente dos negócios", avaliou a companhia, que destaca que só avisa os reajustes do diesel e da gasolina - que são mais relevantes. Embora o óleo estivesse cerca de 20% abaixo do preço de paridade internacional, a Petrobras afirma que os preços dos derivados tendem a convergir às paridades internacionais, no longo prazo. Além disso, esse produto e o impacto exclusive deste aumento "não é material para os resultados da companhia", avisou a companhia.

OGX consegue US$ 50 milhões para financiar exportações
A OGX Petróleo (OGXP3), agora Óleo e Gás Participações, fechou um empréstimo de até US$ 50 milhões para financiar suas exportações e pagar os custos e as despesas relacionadas, comunicou a empresa na terça-feira. 
Esse é um passo para reestruturação da companhia, conforme havia sido anunciado no dia 24 de dezembro. A petroleira terá 60 dias depois do desembolso inicial para pagar esse empréstimo e deve ser obrigatoriamente pré-pago na ocorrência de alguns eventos, cujas condições foram divulgadas no dia 24 de dezembro.

ALL confirma conversas com governo
A ALL (ALLL3) esclareceu por meio de comunicado divulgado na noite da véspera que continua aberta a negociar com o governo novos desenhos para suas concessões que venham ao encontro do interesse público, sempre com equivalência econômica, e que promovam maior produtividade nas malhas operadas pela companhia. Além disso, a empresa informou que as tratativas em discussão com o governo podem ou não resultar em desenhos operacionais diferentes dos atuais, bem como na realização de novos investimentos em trechos estratégicos da ferrovia. O mercado especula, conforme matéria da Folha de S. Paulo, que a ALL quer R$ 10 bilhões para reforçar a linha entre Estrela d'Oeste e Campinas, valor que é considerado adicional e, portanto, não faria parte das obrigações impostas pelo contrato de concessão com o governo. 

Santander emitirá R$ 6 bi em notas no exterior
O Santander Brasil (SANB11) divulgou na noite de terça-feira, em comunicado, que o conselho de administração aprovou a emissão, no exterior, de notas, como parte de seu plano de otimização da composição do patrimônio de referência. Em dólares, o valor da emissão corresponderá a R$ 6 bilhões. De acordo com comunicado, a instituição financeira pedirá ao Banco Central autorização para que os papéis componham o nível 1 e nível 2 de seu patrimônio de referência. As notas terão valor unitário mínimo de US$ 150 mil. Os termos e as condições das notas serão definidos em prospecto suplementar, com data de 15 de janeiro. 

Copel levanta R$ 1 bi em recursos
A Copel (CPLE6) informou na terça-feira que levantou pouco mais de R$ 1 bilhão em recursos, segundo comunicado ao mercado. Do total, R$ 856,9 milhões foram levantados com ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que serão destinados à construção da UHE Colíder e da UHE Cerquilho III. Os R$ 150 milhões restantes foram levantados pelos empreendimentos que formarão o complexo eólico Copel Renováveis, por meio de notas promissórias, acrescentou a companhia.

Cade aprova venda de galpões da BR Properties 
O Cade (C
onselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, um acordo entre a companhia de investimentos em imóveis comerciais BR Properties (BRPR3) e o grupo WTGoodman sobre a venda de galões industriais e de logística, segundo despacho publicado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira. Dessa forma, as empresas poderão levar adiante o acordo fechado em novembro do ano passado, pelo qual a BR Properties concordou em vender 34 imóveis industriais e de logística para o grupo WTGoodman, joint-venture entre a construtora brasileira WTorre e a australiana Goodman, por R$ 3,18 bilhões. Na ocasião, a BR Properties informou que iria usar os recursos da venda, que será paga à vista e em dinheiro, para reduzir sua dívida líquida, recomprar ações e pagar dividendos extraordinários.

TAM pede 9 mil voos extras para a Copa
A TAM (LATM33) solicitou à Anac mil voos extras para o período da Copa do Mundo, segundo comunicado à imprensa. Desses, 850 serão domésticos e 150 internacionais. Todos atenderão as cidades em que haverá jogos durante o evento. Ao todo, as empresas aéreas brasileiras solicitaram cerca de 1500 voos extras para a Anac, e a resposta do órgão deve sair hoje. O anúncio ocorre no mesmo dia em que a Avianca fixou teto de R$ 999 para passagens entre fevereiro e julho, e uma semana depois de a Azul limitar o preço para o período da Copa no mesmo valor.

Conselheiro da Kroton renuncia cargo
A Kroton (KROT3) informou que, em reunião do conselho de administração realizada na véspera, tomou conhecimento do pedido de renúncia de Newton Maia Salomão Alves ao cargo de conselheiro de administração e aos demais cargos de comitês ocupados na companhia. A renúncia terá efeito a partir de 14 de janeiro de 2014. Os membros do conselho agradeceram Alves pela dedicação e contribuição à companhia ao longo do período em que exerceu suas funções. 

Kepler Weber: expectativa de mais uma safra forte
A Conab confirmou a expectativa de aumento de 5,2% da safra de grãos de 2013/14. Se a previsão se concretizar, a produção vai chegar a 196,6 milhões de toneladas. O maior destaque será mais uma vez a soja, que poderá superar os 90 milhões de toneladas colhidas ou chegar até a 95 milhões. Os números reforçam a visão de que a Kepler Weber (KEPL3) deverá ter mais um ano muito forte a semelhante do que foi 2013, tendo como drivers: safra recorde, insuficiência de estocagem de grãos, preços de commodities em patamares interessantes e abundância de crédito com linhas específicas para o investimento em armanezagem, informaram os analistas da XP Investimentos.

GP Investments aprova programa de recompra de ações
A GP Investments (GPIV33) comunicou que foi aprovado a recompra, para o período de 14 de janeiro de 2014 a 14 de janeiro de 2015 inclusive, de até 10.131.329 ações classe A de emissão da companhia, incluindo as ações negociadas na forma de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) - que atualmente representam aproximadamente 10% das ações em circulação no mercado. A operação de recompra de ações classe A e BDRs será realizada por meio da bolsa de valores de Luxemburgo e da BM&FBovespa, respectivamente, a preços de mercado na data de cada aquisição através de uma ou mais dentre as seguintes corretoras: Credit Suisse, Morgan Stanley, Merrill Lynch, BTG Pactual, Itaú Corretora, Citigroup Global Market Brasil e Goldman Sachs. 

Presidente da Telebras renuncia
O conselho administrativo da Telebras (TELB3; TELB4) aceitou hoje a renúncia do presidente Caio Cezar Bonilha Rodrigues, que também integrava o conselho administrativo da companhia. O executivo alegou motivos pessoais para sua saída. Rodrigues será substituído interinamente por Francisco Ziober Filho, que assume como presidente e diretor de relações com investidores.

Além disso, a companhia celebrou memorando de entendimento com as empresas Silica Networks Argentina e Silica Networks Chile para estabelecer parceria para construir, operar e manter uma rede de fibra ótica para estabelecer uma conexão entre o Brasil, na cidade de Uruguaiana (RS), e a Argentina, na cidade de Paso de Los Libres, província de Corrientes, com ligação direta ao Chile, o que possibilitará à Telebras o acesso às redes na costa do Pacífico. 

 

Contato