Em mercados / acoes-e-indices

Lucro da Souza Cruz cai no 3º tri; Klabin mantém Puma e vê investimentos em R$ 5,8 bi

Também em destaque, estão os números operacionais da Gol e a mudança de ticker das ações da Eneva nesta data

Souza Cruz 06 - Linha de Produção
(Divulgação Souza Cruz)

SÃO PAULO - Após a Petrobras (PETR3;PETR4) ser o destaque na sessão anterior em decorrência do leilão do campo de Libra, no pré-sal, outras companhias devem chamar a atenção nesta terça-feira (22). 

Em destaque, estão os resultados da Souza Cruz (CRUZ3), que teve um lucro líquido consolidado de R$ 412,377 milhões no terceiro trimestre, uma queda de 0,88% na comparação com igual período do ano anterior. No acumulado dos primeiros nove meses, o lucro somado foi de R$ 1,302 bilhão, 3,52% superior frente os meses de janeiro a setembro do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Souza Cruz foi de R$ 642,9 milhões no terceiro trimestre de 2013, 1,3% menor na base de comparação anual. Enquanto isso, a margem Ebitda (Ebitda/receita líquida) foi para 44%, alta de 3,7 pontos percentuais.

No trimestre, a receita de vendas de bens e/ou serviços da companhia recuou 9,55% na comparação com o mesmo período de 2012, para R$ 1,461 bilhão. Já a receita nos primeiros nove meses do ano recuou 3,63%, para R$ 4,43 bilhões. 

Klabin prosseguirá com projeto Puma
O Conselho de Administração da Klabin (KLBN4) decidiu prosseguir com o processo de capitalização para a construção da nova planta de celulose de fibras curta e longa em Ortigueira, no Paraná, através do Projeto Puma. 

O Conselho da companhia também decidiu convocar uma AGE (Assembleia Geral Extraordinária) para deliberar sobre a criação de um programa de Units e listagem da Companhia no Nível 2 da BM&FBovespa, conforme proposta dos acionistas controladores. 

A companhia destacou que, após revisões sobre o projeto, o valor industrial do investimento foi revisto para o total de R$ 5,8 bilhões; serão dispendidos também R$ 800 milhões em impostos recuperáveis sobre os equipamentos e R$ 600 milhões em infraestrutura, também recuperáveis por créditos de ICMS, segundo acordo assinado com o governo do Estado do Paraná. O financiamento do projeto também prevê, além da capitalização, financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ), BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e ECAs (agências multinacionais de exportação).

Eneva mudará código de negociação nesta terça-feira
A Eneva (MPXE3), ex-MPX, comunica aos seus acionistas e ao mercado que partir desta terça-feira, 22 de outubro de 2013, as ações de emissão da Eneva passarão a ser negociadas na BM&FBovespa sob o código de negociação ENEV3 e os recibos de ação negociados no mercado de balcão americano sob o ticker ENEVY. As ações passarão a serão identificadas pelo novo código ISIN BRENEVACNOR8.

Além disso, a Eneva firmou contrato com a firma de auditoria independente PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes em substituição a Ernst & Young Terco Auditores Independentes para auditar as demonstrações financeiras do exercício social a findar-se em 31 de dezembro de 2013, incluindo a revisão especial das informações trimestrais a partir de 30 de setembro de 2013.

"A substituição da EY pela PwC visa à otimização do processo de auditoria da companhia e suas controladas e coligadas, bem como de seus acionistas, que assim passaram a compartilhar do mesmo auditor independente", destacou.

Gol tem yield 25% maior em setembro
A companhia áerea Gol (GOLL4) divulgou na última segunda-feira que seu yield (indicador de preços de passagens aéreas) líquido cresceu 25% em setembro na comparação anual, e ficou entre 21,7 e 22,3 centavos de real.

A receita por assento ofertado em seus voos subiu 23% em setembro na comparação anual, com nova redução de oferta e aumento de preços de passagens.

Os dados foram divulgados após o fechamento do pregão desta segunda-feira, dia em que as ações da Gol subiram 6,55%, enquanto o Ibovespa teve alta de 1,26%.

O crescimento da receita, indicador conhecido no setor como "Prask", -teve o 18º aumento consecutivo- foi bem superior ao incremento de 7% no preço médio do combustível sobre o mesmo período do ano passado, informou a empresa.

A demanda de passageiros por voos do grupo caiu 7,5% sobre setembro de 2012, mas subiu 3,4% ante agosto. Já a oferta, caiu 5,6% na comparação anual e 4,4% ante agosto.

No mercado doméstico, a demanda caiu 9,6% sobre setembro do ano passado e subiu 3,4% contra o mês anterior, enquanto a oferta ficou 8,5% menor ano a ano e recuou 4,7% na comparação com agosto.

Já no mercado internacional a demanda subiu 19% ante 2012 e subiu 3% no mês. A oferta subiu 28,6% anualmente e caiu 1,9% sobre agosto.

Transmissão Paulista tem novo presidente
A Transmissão Paulista (TRPL4) informou a indicação de Reynaldo Passanezi Filho para assumir a presidência executiva da companhia, a partir de 1º de Novembro de 2013, em substituição a César Augusto Ramírez Rojas, que assumirá a vice-presidência técnica na nova estrutura corporativa da ISA.

Reynaldo é atual diretor financeiro e de relações com investidores e acumulará as funções no novo cargo.

Valid paga dividendos intermediários
A Valid (VLID3) informou a aprovação de pagamento de dividendos intermediários no valor de R$ 10,368 milhões, equivalente ao valor de R$ 0,1865, e pagamento de juros sobre o capital próprio no valor de R$ 6,115 milhões, ao valor de R$ 0,11 por ativo.

O pagamento será realizado no dia 06 de novembro de 2013, com base na posição acionária constante dos registros da companhia no dia 21 de outubro de 2013, sendo as ações negociadas “ex-direitos” a partir de 22 de outubro de 2013, inclusive.

Unicasa e Renar Maçãs: mudança na participação acionária
A Unicasa (UCAS3) informou que a Una Capital passou a deter participação acionária inferior a 5% das ações ordinárias, administrando um total de 2,304 milhões de ações, correspondentes a aproximadamente 3,49% das ações de emissão da companhia.

Já a Renar Maçãs (RNAR3) destacou que Buena Participações, Edgar Rafael Safdié, MeravBender de Safdié e Clube Oasis elevaram a participação na companhia para um total de 15,69% no capital da companhia. As fatias respectivas são de 3,3313%, 10,0649%, 1,8866% e 0,4072%.

JSL tem receita bruta consolidada de R$ 1,356 bilhão no 3º tri
A JSL (JSLG3) apresentou os dados preliminares e não auditados da sua receita bruta. A receita bruta da JSL Consolidada foi de R$ 1,356 bilhão no terceiro trimestre, uma alta de 15% sobre o mesmo período de 2012, composta de R$ 1,064 bilhão da JSL Logística e de R$ 305,6 milhões da JSL Concessionárias de Veículos, sendo que este valor já contempla as eliminações das operações entre JSL Logística e JSL Concessionárias.

Já no acumulado dos primeiros nove meses, a receita bruta consolidada atingiu R$ 3,824 bilhões, uma alta de 17,6% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Celesc informa desempenho no mercado de distribuição
A Celesc (CLSC3) informou o desempenho do mercado de distribuição de energia elétrica no terceiro trimestre de 2013. De acordo com o boletim de mercado, expedido pela Diretoria Comercial (DCL) da Celesc Distribuição, o consumo total de energia elétrica na área de concessão somou 5.423 GWh no terceiro trimestre de 2013, um incremento de 4,4% no total de energia distribuída (mercado cativo + livre); nos primeiros nove meses do ano de 2013, o consumo total de energia elétrica somou 16.516 GWh, um incremento de 3,9%, quando comparado ao mesmo período de 2012.

CSU Cardsystem aprova novo programa de recompra de ações
A CSU Cardsystem (CARD3) deliberou autorizar o cancelamento de parte das ações mantidas em tesouraria e o lançamento de novo programa de aquisição de ações de emissão da própria companhia. Foi aprovado, por unanimidade, o cancelamento de 500 mil ações ON sem alteração do valor do capital social, que passa a ser representado por 44 milhões de papéis. 

Poderão ser adquiridas até 600 mil papéis ON, que correspondem a 3,40% das ações em circulação. O prazo de aquisição será de até 365 dias, equivalente ao período compreendido entre os dias 21 de outubro de 2013 e 21 de outubro de 2014, inclusive.

BB Seguridade contrata BTG Pactual como formador de mercado
A BB Seguridade (BBSE3) comunica que sua diretoria aprovou a contratação da BTG Pactual Corretora de Títulos e Valores Mobiliários para prestação de serviços de formador de mercado. Em decorrência dessa autorização, a BB Seguridade dará prosseguimento aos procedimentos necessários à efetividade da referida contratação.

(Com Reuters) 

 

Contato