Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa sobe mais de 3% e se aproxima dos 49.000 pontos, com Vale e mundo "X"

Benchmark da bolsa brasileira tem apenas duas ações em queda; dados positivos chineses impulsionam ações da mineradora

ações - bolsa - Bovespa - cotações - mercado financeiro
(Getty Images)

SÃO PAULO - Após abrir esta quinta-feira (8) estável, o Ibovespa continua ganhando forças nesta tarde, destoando dos índices norte-americanos, que operam em Wall Street com sinais mistos. Por volta das 14h40 (horário de Brasília), o benchmark da bolsa brasileira avançava 3,10%, a 48.918 pontos, mostrando otimismo após dados da China mostrarem melhora na economia por lá.

Por aqui, além de dados chineses positivos, que animaram os mercados pela manhã, repercute também a temporada de resultados, com a divulgação dos balanços de 16 empresas desde o encerramento do último pregão. Entre os destaques, a Vale (VALE3, VALE5) reportou lucro menor do que o esperado, atingindo R$ 832 milhões, com queda de 84% frente ao mesmo período do ano anterior, resultados estes ofuscados pela balança comercial chinesa.

Ainda na ponta positiva, aparecem as ações do Grupo EBX, de Eike Batista, que caíram forte no último pregão. É o caso da MMX Mineração (MMXM3, R$ 1,74, +7,41%), e da OGX Petróleo (OGXP3, R$ 0,59, +9,26%), que recuaram mais de 6% na véspera; já a LLX Logística (LLXL3, R$ 0,93, +6,82%) também vê as suas ações registrarem fortes ganhos. As imobiliárias MRV (MRVE3, R$ 7,25, +7,25%) e Brookfield (BISA3, R$ 1,67, +9,15%) e PDG (PDGR3, R$ 1,84, +10,84%) também avançam. Enquanto isso, as ações preferenciais Oi (OIBR4) sobem 7,98%, aos R$ 4,33. 

Vale é o grande destaque da bolsa
Em teleconferência para comentar os resultados da empresa, o presidente da Vale, Murilo Ferreira, disse que a companhia estuda começar a utilizar "hedge accounting", o que possibilita "diluir" o impacto do câmbio no resultado por vários trimestres - a diferença no resultado foi vista hoje, com o balanço da Braskem (BRKM5, R$ 17,39, +4,76%).

O lucro líquido atribuído aos acionistas da mineradora ficou em R$ 832 milhões no período, queda de 84,36% na comparação com o mesmo período do ano passado. Esse número reflete o lucro líquido básico (de R$ 5,179 bilhões), incluindo os efeitos de: marcação a mercado das debêntures participativas (-R$ 175 milhões), câmbio e perdas monetárias (-R$ 4,172 bilhões) e perdas com swap de moedas (-R$ 1,707 bilhão).

A mineradora também mostrou queda na produção, no volume de vendas e nos preços praticados no mercado. Apesar de a primeira vista parecer um resultado ruim, diversos analistas divulgaram suas impressões sobre o balanço, reforçando visão positiva para a empresa. Além disso, a balança comercial chinesa cresceu em 5% nas exportações e de 10% nas importações, totalizando saldo positivo de US$ 17,8 bilhões em julho.

A importação de minério de ferro pelo país bateu seu recorde no mês, com 73,14 milhões de toneladas - a China é o maior destino das exportações da Vale. Neste momento, as ações ordinárias da companhia sobem 3,19%, cotadas a R$ 33,02 e as preferenciais 2,62%, a R$ 29,82.

Setor elétrico em direções opostas
Neste momento, 29 das 71 ações que compõem o Ibovespa sobem mais de 2% e apenas uma, a Cemig (CMIG4, R$ 20,42, -1,30%), apresenta queda maior que 1%. 

Entre as maiores altas, a Eletropaulo (ELPL4, R$ 6,32, +6,22%), destaca-se após ver seu lucro líquido renascer no 2º quarto do ano,  chegando a R$ 245,3 milhões - alta de 465%. As receitas da companhia caíram 12,4%, registrando R$ 2,14 bilhões no período. Junto com o resultado, a Eletropaulo anunciou que deve elevar os investimentos para este ano. A companhia planejava investir, inicialmente, R$ 646,9 milhões, mas elevou para R$ 673,6 milhões.

EUA, Japão e Europa
Nos EUA, a agenda fica mais calma, já que nos últimos dias 4 presidentes regionais do Federal Reserve trouxeram volatilidade ao mercado ao discursarem sobre a possibilidade de retirada dos estímulos econômicos do país. Por lá, saiu hoje de manhã o Initial Claims, indicador que mensura a quantidade de pedidos de auxílio-desemprego e registrou aumento menor do que o esperado na semana finda em 3 de agosto. O número de pedidos subiu de 328 mil para 333 mil - as projeções do mercado apontavam para alta de 340 mil.

O Banco Central japonês decidiu não alterar sua política monetária, mas Haruhiko Kuroda, presidente do BoJ pediu disciplina fiscal, destacando que o país pode elevar o imposto sobre vendas e ainda manter a economia forte o suficiente para dar um fim à deflação. Ainda por lá, o ministro de Economia garantiu que o governo decidirá sobre o aumento no imposto sobre vendas entre o fim de setembro e o início de outubro.

Na Europa, as exportações alemãs subiram menos do que o esperado em junho, com alta de 0,6% enquanto as importações caíram 0,8% - projeções da Reuters apontavam crescimento de 0,5%.

 

Contato