Em mercados / acoes-e-indices

Após cair 0,66% nos minutos iniciais, Ibovespa zera perdas nesta manhã

Investidores dividem-se entre boas referências internacionais e realização dos ganhos recentes na Bovespa; ata do Copom reforça temor com inflação no curto prazo

ações - mesa - bolsa de valores - Bovespa - cotações
(Rafael Matsunaga/Wikimedia)

SÃO PAULO - Após três dias seguidos de alta, o Ibovespa enfrenta maior volatilidade nesta quinta-feira (18), com os investidores divididos entre as boas notícias internacionais - que impulsionam as bolsas norte-americanas - e a realização dos ganhos recentes na Bovespa. Com isso, o benchmark da bolsa brasileira, que chegou a cair 0,66% nos minutos iniciais do dia, praticamente zerou suas perdas, apresentando leve queda de 0,01% na cotação das 10h48 (horário de Brasília), a 47.401 pontos.

Enquanto os investidores aguardam o segundo dia de discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, eles avaliam os dados melhores que o esperado do mercado de trabalho norte-americano. O Initial Claims registrou menos pedidos de auxílio-desemprego do que o esperado na semana finda em 13 de julho. O indicador mostrou 334 mil solicitações, ante 348 mil esperadas e 358 mil pedidos feitos na semana anterior.

Agora, a expectativa fica com Bernanke, já que na véspera os mercados dos EUA apresentaram forte volatilidade no decorrer do discurso, que teve início às 11h - mesma hora de hoje. Na ocasião, o chefe do Fed reforçou flexibilidade acerca da retirada de estímulos monetários, afirmando que pretende começar o plano de saída ainda este ano, mas isso tudo depende da robustez da recuperação econômica. Ademais, os indicadores recentes ainda indicam manutenção da taxa de juros aos níveis historicamente baixos - entre 0% e 0,25% ao ano - o que pode influenciar na decisão do Fed, assim como os dados sobre o mercado de trabalho.

Destaques de ações
Em meio ao dia volátil na Bovespa, poucos setores apresentam uma tendência definida. Isso fica evidente ao avaliar as empresas de consumo e varejo que fazem parte do Ibovespa. A Hering (HGTX3, R$ 29,55, -2,15%) vê suas ações figurarem entre as maiores quedas do índice, repercutindo balanço trimestral divulgado na noite de quarta-feira, que teve desaceleração nas vendas após o dia das mães. Vale mencionar que na última hora do pregão anterior, as ações da companhia despencaram, com volume acima da média, indicando que investidores já esperavam um resultado ruim.

Por outro lado, a ponta positiva do Ibovespa é ocupada neste momento por outras duas empresas ligadas a consumo: a varejista online B2W (BTOW3, R$ 9,40, +1,80%) e a rede de produtos de higiene Hypermarcas (HYPE3, R$ 16,33, +2,70%). No entanto, outra varejista de vestuário, a Lojas Renner (LREN3, R$ 60,52, -0,79%) opera no vermelho, mesma tendência da controladora da B2W, a Lojas Americanas (LAME4, R$ 15,61, -1,45%).

Dentre as siderúrgicas, a CSN (CSNA3, R$ 5,90,-1,83%) volta a cair após subir forte na véspera, repercutindo a decisão da Fitch de rebaixar o rating da empresa para "BB+", com perpectiva negativa. Segundo a agência de classificação de risco, a medida reflete a mudança na competitividade do aço brasileiro e a queda nos preços de minério de ferro transportado por via marítima.

Já as imobiliárias, que possuem significativa participação no Ibovespa, estendem as altas relatadas na última quarta-feira e operam com ganhos de mais de 1%. É o caso da Brookfield (BISA3, R$ 1,67, +3,09%), PDG (PDGR3, R$ 1,89, +2,16%) e MRV (MRVE3, R$ 7,06, 1,29%).

Copom reforça temor com inflação
Por aqui, a agenda dá destaque para a ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), quando foi definida por unanimidade a elevação da taxa de juros brasileira em 0,5 ponto percentual, para 8,50% ao ano. Segundo o documento, a depreciação do câmbio justifica o reajuste, uma vez que incute mudanças nos preços, mas avalia que a correta condução da política monetária evita que a depreciação se materialize no longo prazo. "A volatilidade da taxa de câmbio verificadas nos últimos trimestres ensejam uma natural e esperada correção de preços relativos."

O mercado de trabalho também foi destacado na ata, uma vez que "a dinâmica salarial permanece originando pressões inflacionárias de custos", com risco na concessão de aumentos salariais incompatíveis com o cresicmento da produtividade. Além disso, o BC comentou também que a percepção dos mercados sobre a inflação influencia negativamente e mostra resistência do quadro, que pode afetar investimentos e consumo no país.

"O Copom destaca que, em momentos como o atual, a política monetária deve se manter especialmente vigilante, de modo a minimizar riscos de que níveis elevados de inflação como o observado nos últimos 12 meses persistam no horizonte relevante para a política monetária", disse o comitê em alta.

Ainda na pauta doméstica, a segunda prévia do IGP-M (Índice Geral de Preços - Mensal) mostrou desaceleração  para 0,24% em julho, segundo informações da FGV (Fundação Getulio Vargas). No mesmo período do mês anterior o índice subiu 0,74%.

EUA: indicadores e resultados
A agenda dos EUA ainda trouxe novos resultados corporativos, com os números trimestrais de Morgan Stanley e BlackRock, ambos acima do esperado por analistas. O banco apresentou alta de 42% em seu lucro trimestral, com US$ 0,41 por ação ou US$ 802 milhões no total, apoiado em receitas maiores com corretagem, assessoria em emissões de títulos e gestão de riqueza. Já a maior gestora de ativos no mundo apresentou lucro de US$ 729 milhões no período, ou US$ 4,19 por ação, com a forte demanda global de seus clientes institucionais e de varejo, além do crescimento nos mercados.

Na pauta de indicadores, destaque para o índice da atividade industrial em Filadélfia (Philadelphia Fed Index) de julho, bem como o Leading Indicators de junho, que consiste em um apanhado de índices divulgados, como custo de mão-de-obra, permissões de construção e até registros de pedidos de auxílio-desemprego no país.

Resultados e Grécia movimentam Europa
A temporada de resultados corporativos também movimenta a Europa, com balanços de Carrefour e Ericsson. A rede de supermercados apresentou resultado positivo, com aumento de ganhos no segundo trimestre e suas ações sobem enquanto os ativos da Ericsson caem após a empresa divulgar seu lucro operacional, que ficou abaixo do esperado pelo mercado.

Ainda no velho continente, o parlamento grego aprovou uma reforma no setor público, que cortará vagas de emprego, o que causou protestos por parte da população. Ainda nesta quinta-feira, o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, visitará a Grécia e ofecererá 100 milhões de euros para um fundo que deve promover o crescimento econômico do país.

 

Contato