Em mercados / acoes-e-indices

BofA reduz projeção para o Ibovespa de 65.000 para 50.000 pontos em 2013

Contudo, os analistas seguem com recomendação overweight para o mercado acionário brasileiro, mas não com base em índice de ações

perdas e ganhos
(Getty Images)

SÃO PAULO - O Bank of America Merril Lynch reduziu drasticamente as projeções para o Ibovespa para o final do ano, após uma queda de 25,3% em 2013, passando de 65 mil pontos e 50 mil pontos, uma queda de 23%. Em relação ao fechamento da última sexta-feira, data em que o índice fechou a 45.533 pontos, a perspectiva é de valorização de 9,8%, mas com queda de 17,97% na comparação com o último fechamento de 2012. 

De acordo com os analistas do BofA, Felipe Hirai e Marina Valle, as expectativas de menor crescimento para o PIB (Produto Interno Bruto) - o economista-chefe do BofA, David Beker, reduziu as suas previsões de crescimento para a economia brasileira de 2,9% para 2% - e os riscos negativos para o curto prazo são fatores para levar ao maior pessimismo para as ações brasileiras. "Apesar do fraco desempenho, ainda vemos riscos de curto prazo para o mercado acionário do País", apontam.

Hirai e Valle destacam que é muito difícil pensar em um catalisador forte para quebrar o ciclo negativo de fraco crescimento, inflação alta, incerteza política e políticas fiscal e monetária ainda bastante frouxas.

Os catalisadores fundamentais para um cenário de saída de capital do País seriam um PIB ainda mais fraco do que o esperado, a desaceleração do setor de consumo, um cenário de pouso forçado e uma surpresa nas eleições presidenciais. "Se qualquer um desses eventos acontecer, pode haver outra queda entre 5% e 10% do Ibovespa no curto prazo", destacam os analistas.

Motivos para seguir overweight com o Brasil
Contudo, os analistas ainda seguem com recomendação overweight (exposição acima da média) para o mercado acionário brasileiro, mas não com base em índice de ações e sim em uma análise bottom-up (com base no balanço de algumas companhias). Eles avaliam que, com base nesta perspectiva, há ainda melhores opções para compra no Brasil do que em outros países.

Os analistas apontam para o relatório escrito em abril, descrevendo 10 razões para não estar tão pessimista com o Brasil, destacando que o governo estava tentando resgatar a credibilidade do governo, com o aumento na taxa de juros e retorno nos projetos de infraestrutura. Essas mudanças foram na direção certa para aumentar as perspectivas de crescimento.

"Contudo, nós subestimamos os riscos políticos e globais do nosso cenário macroeconômico", afirmam enxergando que, após o Ibovespa cair 25% no ano, ainda há mais razões para o Ibovespa ser puxado para baixo ao invés de subir. Contudo, os maiores bolsões de valor na América Latina ainda estão no Brasil, ressaltam, destacando que é um desafio ainda maior encontrar boas opções - e líquidas - na América Latina sem levar em consideração o Brasil. 

Além disso, a desaceleração econômica, apesar de reduzir os ganhos corporativos, pode ser benéfica para algumas companhias, em um cenário de menor inflação e juros. "Na verdade, nós pensamos que a maior parte da queda dos ganhos desse ano deve ser guiada pelas menores margens e não necessariamente pelas menores receitas", apontam os analistas.

Algumas ações para investir no cenário ruim
Desta forma, os analistas veem algumas boas oportunidades dentro do cenário brasileiro, com destaque para o setor de bens de capital, em meio ao bom momento de ganhos para as companhias e de transportes, que podem se beneficiar dos eventos esportivos.

O setor financeiro também é uma boa alternativa, avaliam Hirai e Valle, devido ao seu valuation e aos bons fundamentos das grandes instituições. O setor de educação, com destaque para a Kroton (KROT3), também é visto com bons olhos pelos analistas em meio a penetração ainda baixa no segmento de educação de ensino superior no País e a crescente exposição das empresas no segmento de ensino à distância.

Boas alternativas de ações no mercado brasileiro, segundo o BofA:

Empresa Ticker
Arteris ARTR3
BM&FBovespa BVMF3
BR Properties BRPR3
Pão de Açúcar PCAR4
Cosan CSAN3
Embraer  EMBR3
Iochpe-Maxion  MYPK3
Itaú Unibanco  ITUB4
Kroton  KROT3
Suzano  SUZB5


 

Contato