Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa cai quase 1,5% após dados ruins da China; Vale recua mais de 2%

Crescimento abaixo do esperado no PIB chinês derruba ações de mineradoras; Usiminas e construtoras também figuram entre as maiores perdas

ações - bolsa - Bovespa - cotações - mercado financeiro
(Getty Images)

SÃO PAULO - O Ibovespa opera em queda de 1,58%, a 54.094 pontos na cotação das 10h18 (horário de Brasília), seguindo os mercados mundiais, que demonstram pessimismo aos dados piores que o esperado da economia chinesa. Esta segunda-feira (15) marca o vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&FBovespa.

Após a China divulgar seu crescimento econômico de 7,7% no primeiro trimestre de 2013, ante 7,9% no último trimestre de 2012 e projeções de 7,9%, as ações de mineradoras globais despencaram nesta sessão. Por aqui, a Vale (VALE3, R$ 33,81, -2,23%; VALE5, R$ 32,14, -2,40%) e a MMX Mineração (MMXM3, R$ 1,95, -3,47%) não escaparam do movimento e apresentam fortes baixas.

Ainda entre os destaques de queda estão  as imobiliárias Rossi, (RSID3, R$ 3,44, -3,37%) e Brookfield (BISA3, R$ 2,29, -2,97%), além da siderúrgica Usiminas (USIM3, R$ 10,69, -3,08%) e a Tim Participações (TIMP3, R$ 8,28, -2,82%).

Focus, opções e indústria de NY
No Brasil, o relatório Focus mostrou leve queda nas projeções do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). O boletim aponta que a inflação fique em 5,68% neste ano, ante projeção de 5,70% na semana anterior. Já as projeções para o PIB (Produto Interno Bruto) e para a taxa Selic mantiveram-se estáveis em 3,0% e 8,50% ao ano, respectivamente.

Nos EUA, o NY Empire State Index, registrou aumento menor do que o esperado em abril, com 3,1. As projeções para a atividade industrial de Nova York esperavam alta de 5,0, após o indicador registrar 9,2 no mês anterior.

Ainda por aqui, a segunda-feira conta com o vencimento de opções sobre ações negociadas na BM&FBovespa, o que costuma resultar em um maior giro financeiro no pregão, tendo em vista o exercício dos contratos de derivativos. Fechando a pauta doméstica, o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) traz o resultado da balança comercial da última semana.

Chipre e Grécia movimentam resgates
Ainda na Europa, a troika (grupo formado por Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu) terminou uma avaliação dos progressos feitos pela Grécia para garantir a próxima parcela do resgate cedido ao país em 2012, no valor de € 10 bilhões - o resgate total acertado em dezembro foi de € 240 bilhões.

Já no Chipre, o governo afrouxou parcialmente o controle sobre os bancos estabelecidos em março, que foram criados para evitar uma corrida aos bancos após um colapso do sistema bancário no país. Agora, indivíduos podem transferir até € 3 mil por mês entre bancos cipriotas, ante € 2 mil regulados até então. Já as companhias podem transferir até € 50 mil, aumento de € 40 mil na permissão.

 

Contato