Em mercados / acoes-e-indices

Grupo norte-americano Agora virá sócio da casa de research Empiricus

Valor do negócio não foi revelado; analista da Empiricus destaca que operação reforça espaço de casas de research independente no Brasil

Rodolfo Amstalden 2
(Divulgação)

SÃO PAULO - O grupo norte-americano Agora vai virar sócio da casa de análise independente Empiricus, de forma a aconselhar o pequeno investidor em um cenário de juros baixos e redução da rentabilidade em opções convencionais. A Agora está presente em dez países e possui faturamento de US$ 300 milhões. 

O valor do negócio não foi revelado, mas já foi antecipado que a Empiricus terá R$ 2 milhões para investimento em marketing ao longo dos próximos doze meses. A operação envolve um aporte de investimento e a possibilidade de compra de até 49% dos oito sócios atuais da empresa.

De acordo com o analista e sócio da Empiricus, Rodolfo Amstalden, com a entrada da Agora nas operações da Empiricus, haverá um maior apelo ao investidor de varejo. Com isso, avalia Amstalden, haverá mudanças na linha editorial, com os relatórios de análise se mostrando mais afinados com as necessidades dos investidores individuais.

O analista aponta ainda que, como a Agora possui equipe em várias partes do mundo, a expectativa é de maior suporte e qualidade para as análises da Empiricus. A Agora está presente na África do Sul, China e Índia e possui 1,4 milhões de assinantes, disseminando publicações gratuitas, de modo a atrair leitores às versões pagas. Atualmente, a Empiricus possui uma base de clientes com nove corretoras, 41 investidores institucionais e 150 individuais.

A Empiricus prevê um crescimento da fatia do varejo no faturamento nos próximos anos, para uma relação de 50% do investidor de varejo e 50% para o investidor institucional. Atualmente, as receitas são de 30% e 70%. 

Além da parte editorial, Amstalden ressalta que haverá mudanças operacionais, como nas áreas de tecnologia da informação e de marketing, este último através da promoção de campanhas para atrair clientes que não estão tão familiarizados com a bolsa. "Com isso, a expectativa é de que atrair mais investidores, ainda mais levando em conta um cenário de juros baixos, em que os brasileiros têm que buscar por novas opções de investimento", avalia. 

Por outro lado, aponta Amstalden, nada muda muito em termos de análise, como o portfólio de empresas cobertas pela casa de research independente desde a sua criação, em 2009. O foco seguirá em small e middle caps, afirma o analista.

Estilo de atuação foi determinante
De acordo com o analista, o estilo de atuação da Agora foi determinante para que ela virasse sócia da Empiricus, mais até do que os termos financeiros da operação. Amstalden aponta que a linguagem informal com que a companhia norte-americana se comunica, modo bastante usado pela companhia brasileira, foi uma das peças-chave para a conclusão do negócio. 

Amstalden reforça ainda que, com a sociedade da Agora, aumenta a percepção de que há espaço para que casas de análise independentes atuem no Brasil. "Isso em meio ao cenário bastante difícil para a indústria de análise no País, em que vários bancos e corretoras fecharam as suas áreas de análise", afirma, o que sinaliza que é preciso mudar a maneira de atuação no Brasil. 

 

Contato