Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras sobe puxada por campanha exploratória; Eletropaulo e OGX caem

CCR e JSL mostram interesse em novo modelo de concessões; Souza Cruz obtém autorização para exportar cigarros ao Chile; confira demais destaques

Plataforma P-51 da Petrobras - energia - gás e petróleo
(Divulgação)

SÃO PAULO - Depois de alcançar seu maior patamar desde abril de 2012 no primeiro pregão do ano, o Ibovespa, que opera bastante volátil nesta quinta-feira (3), sustenta ganhos de 0,49% às 13h14 (horário de Brasília), aos 62.850 pontos. 

O acordo, aprovado na noite da terça-feira pela Câmara dos Deputados, liderada pelos republicanos, foi uma vitória para o presidente dos EUA, Barack Obama, que ganhou a reeleição com a promessa de lidar com os problemas orçamentários, num esforço que tem conseguido impulsionar os mercados internacionais. Mas o pacote ainda deixa brechas para potenciais confrontos nos próximos meses sobre cortes de gastos e aumento no limite de empréstimo do país, e que ainda devem pressionar as bolsas mundiais no médio prazo. 

Comunicados sobre campanha exploratória puxam ganhos da Petrobras
Além das informações sobre a economia, os investidores acompanham um noticiário corporativo de peso nesta sessão. Após um 2012 frustante para as ações da Petrobras (PETR3; PETR4), com perdas de até 13% no caso dos papéis ordinários, o ano de 2013 começa melhor para os minoritários da estatal.

Depois de alguns comunicados sobre campanha exploratória e produção, as ações da petrolífera aparecem entre as maiores altas do principal índice de ações da bolsa neste pregão. O ativo PETR3 se valoriza em 1,16%, aos R$ 20,07, enquanto PETR4 registra alta de 1,12%, aos R$ 19,91 - e figuram na quarta e quinta melhor posição do Ibovespa, nesta ordem. 

Na última noite a Petrobras revelou que concluiu a perfuração do poço Carcará e, embora tenha o abandonado provisoriamente, os dados confirmam grande potencial na região. Já nesta manhã a empresa anunciou a declaração de comercialidade de Aruanã e de Oliva, no pós-sal da Bacia de Campos.

A empresa ainda informou que a produção da Petrobras no mês de novembro atingiu 1.968.307 barris por dia, volume 1,5% acima do produzido em outubro. Se somada a parcela operada para seus parceiros, esse volume chega a 2.007.346 barris por dia, ou 1,7% acima do mês anterior. 

Eletropaulo, MMX e OGX lideram perdas
Do outro lado do Ibovespa, as ações da Eletropaulo (ELPL4) figuravam na maior queda do índice, e apontavam desvalorização de 3,81%, aos R$ 16,93, seguidas pelos papéis da MMX Mineração (MMXM3) e OGX Petróleo (OGXP3), que recuavam 1,99%, aos R$ 4,43, e 1,89%, aos R$ 4,67, respectivamente.  

Vale mencionar que na véspera os papéis dessas companhias registram desempenho positivo, com destaque para a expressiva alta de Eletropaulo, de 4,76%, e OGX, de 8,68%.

Novo modelo de concessões atrai investidores
O pacote de concessões de ferrovias, cujas primeiras licitações estão previstas para o primeiro semestre, está atraindo as atenções de empresas que hoje não atuam nesse setor. Dispostas a adicionar mais uma atuação a seu escopo de negócios, companhias como Odebrecht TransPort, CCR (CCRO3), Invepar e JSL (JSLG3) já declararam que possuem interesse no modal.

As atenções estão voltadas ao plano do Planalto de atrair investimentos de R$ 91 bilhões às estradas de ferro do país em 12 trechos a serem concedidos. Anunciado em agosto, o cronograma prevê a publicação dos primeiros editais em março de 2013, licitações em abril e assinatura de contratos até julho.

Souza Cruz obtém autorização para exportar cigarros ao Chile
A Souza Cruz (CRUZ3) recebeu autorização da Receita Federal para exportar cigarros ao Chile, conforme publicação no Diário Oficial da União.

A fabricante de cigarros vai exportar maços da marca Pall Mall (versão Blue), que não é comercializada no Brasil.

Forjas Taurus firma acordo de exclusividade com Diamondback
A Forjas Taurus (FJTA3, FTJA4), uma das líderes mundiais na produção de armas, anunciou um acordo exclusivo de distribuição global com a empresa norte-americana Diamondback Firearms por meio de sua subsidiária Taurus Holdings, sediada em Miami, Florida.

As duas empresas mostram-se confiantes no negócio, que garante à Taurus toda a força de vendas e marketing dos produtos da Diamondback, o que amplia seu portfólio de modelos. “Estou extremamente animado com a concretização desta nova parceria”, declara por meio do comunicado o presidente da Taurus International Manufacturing, Mark Kresser.

Em reflexo, as ações ordinárias da companhia sobem 1,42%, aos R$ 2,85, enquanto as preferenciais avançam 1,72%, sendo cotadas a R$ 2,96.

MPX recebe licença para operar usina
Ainda entre as principais referências, a MPX Energia (MPXE3) comunicou que a SEMA (Secretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão) emitiu no último dia 21 de dezembro de 2012 a licença de operação para a UTE (Usina Termelétrica) Parnaíba I.

De acordo com a companhia, atualmente, a usina se encontra em fase de operação em testes, na qual deve ocorrer a sincronização ao SIN (Sistema Interligado Nacional). A partir disso, a UTE Parnaíba I passará a fornecer energia ao sistema sendo remunerada pelo PLD (Preço de Liquidação de Diferenças) do Submercado Norte até o início da operação comercial.

Silvio Santos apela para Corte internacional e processa BTG 
Os problemas que a fraude no banco Panamericano (BPNM4) causou à Silvio Santos ainda não acabaram. Segundo reportagem do portal Exame, o apresentador entrou com um processo na Corte Internacional de Arbitragem da CCI (Câmara Internacional de Comércio, na sigla em inglês), contra o BTG Pactual (BBTG11).

O BTG devolveu ao grupo Silvio Santos a administradora de cartões de crédito PACC e a empresa que concede empréstimos PAS. Mas o grupo alega que o banco agiu de má fé ao indicar que compraria as empresas e devolvê-las com dívidas fiscais e trabalhistas estimadas em R$ 300 milhões e desfalcada em seu quadro de funcionários, contratados pelo BTG enquanto o banco administrava as empresas, diz a reportagem.

Embraer deve melhorar incentivos após perder encomenda da Delta
A perda inesperada da Embraer (EMBR3) de uma encomenda de jatos regionais de US$ 1,85 bilhão da Delta Air Lines indica que a fabricante de aviões precisa dar mais incentivos, como garantias de recompra e acordos de manutenção, para enfrentar a Bombardier.

Acordos com pilotos da United Continental Holdings, maior companhia área do mundo, e da American Airlines, da AMR Corp., estão aumentando as perspectivas de novas vendas nos Estados Unidos em 2013, à medida que as empresas buscam aviões maiores para suas operações de viajantes habituais, segundo a Drexel & Hamilton LLC, com sede na Filadélfia.

Telebras investirá R$ 200 milhões em Copa do Mundo e de Confederações
A Telebras (TELB4) informou na última quarta-feira que está investindo cerca de R$ 200 milhões para atender as necessidades de telecomunicações nas cidades em que ocorrerão eventos relacionados à Copa das Confederações 2013 e à Copa do Mundo em 2014.

Segundo o comunicado da empresa, a Medida Provisória 600, de 28 de dezembro, dispõe que a União dispensará a licitação para contratar a Telebras, ou empresa por ela controlada, para realizar os serviços de telecomunicação necessários para a realização desses eventos.

Duratex vai adquirir totalidade da Thermosystem Indústria Eletro Eletrônica
A Duratex (DTEX3) comunica aos acionistas que assinou, em 2 de janeiro, o contrato de aquisição da totalidade do capital social da Thermosystem Indústria Eletro Eletrônica pelo preço de R$ 58,1 milhões.

O valor será pago da seguinte forma: 50% em janeiro de 2013, 20% em fevereiro (5 dias úteis a partir do fechamento do balanço de encerramento do exercício de 2012)  e os 30% finais serão pagos em três parcelas anuais e sucessivas, em 30 de abril de 2014, 2015 e 2016. 

Casino pede parecer a Cantidiano (ex-CVM) como resposta a Abílio 
A discussão a respeito do funcionamento do comitê de governança corporativa do Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) extrapolou os argumentos apenas do controlador Casino e do agora sócio minoritário Abilio Diniz e vai opor também dois nomes de peso do direito societário.

O órgão está entre os alvos de uma arbitragem que o empresário brasileiro iniciou contra o sócio francês, alegando desrespeito a suas funções e direitos como presidente do conselho de administração da companhia.

Via Varejo vai incorporar Nova Casa Bahia
Os acionistas da Via Varejo (VVAR3) e Nova Casa Bahia aprovaram os termos e condições da incorporação da Nova Casa Bahia, visando a simplificação de suas estruturas organizacionais e societárias, propiciando, assim, para ambas as companhias, uma redução dos custos administrativos e operacionais. 

Planta da Suzano no MA irá compensar energia de Capim Branco
A energia que a Suzano Papel e Celulose (SUZB5) irá gerar com a planta de celulose no Maranhão, a ser inaugurada no fim de 2013, deve mais que compensar a energia que a empresa obtinha com o Consórcio de Capim Branco, segundo o presidente da Suzano Energias Renováveis.

A Suzano colocou toda a sua participação em Capim Branco à venda para os demais integrantes do consórcio pelo valor total de 320 milhões de reais, sendo que a Cemig já aceitou a oferta. Também participam do consórcio a mineradora Vale e a Votorantim Metais.

BHG consolida participação na região Nordeste
Por fim, a BHG (BHGR3) comunicou que assinou um memorando de entendimento para desenvolvimento de um empreendimento hoteleiro na cidade de Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte, consolidando assim sua presença na região Nordeste, que já contava com um hotel em Natal, o Golden Tulip Interatlântico, um em Recife, três em Fortaleza e três no estado da Bahia - totalizando nove hotéis nessa região.  

A companhia também informou que não terá mais participação no desenvolvimento dos hotéis de Maringá e Palmas, anunciados anteriormente. 

V-Agro anuncia abertura de prazo para subscrição de sobras de ações
A Vanguarda-Agro (VAGR3) comunica aos acionistas nesta quinta o fim do prazo para exercício do direto de preferência, nos termos do aviso de aumento de capital aprovado em assembleia em 23 de novembro, no valor de R$ 350 milhões, com emissão e subscrição privada de ações. 

A empresa também aprovou a abertura para o prazo de subscrição de sobras. Do total de 1,16 bilhão de ações ordinárias relativas ao aumento de capital, 1,1 bilhão foram devidamente subscritas durante o prazo para exercício do direito de preferência na subscrição, resultando num saldo de 65,4 milhões de papéis a serem devidamente alocados no prazo de subscrição de sobras.

Agrenco debaterá valor da empresa com os acionistas em assembleia
Por fim, a Agrenco (AGEN11) comunica que irá realizar uma assembleia com os acionistas no dia 15 de janeiro, às 14h00 (horário de Brasília).

Na ocasião, a companhia vai discorrer sobre o valor dos ativos, da empresa e demais informações acerca das potencialidades de valorização da companhia.

 

Contato