Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa cai 0,89% em sua 3ª queda seguida, com abismo fiscal mais próximo

Proximidade da economia norte-americana ao "fiscal cliff" e forte queda das ações da Petrobras contribuíram para o recuo do índice de ações

Financeiro Bovespa
(Agência Brasil)

SÃO PAULO - O que parecia mais um dia de fracas oscilações se tornou um pregão predominantemente negativo para o mercado. Diante do prazo cada vez mais curto para que os Estados Unidos cheguem ao acordo para evitar o abismo fiscal, o Ibovespa consolidou uma trajetória negativa durante a tarde e fechou esta quinta-feira (27) com queda de 0,89%, aos 60.415 pontos. Foi a terceira sessão consecutiva do índice no vermelho, algo que não acontecia desde o começo de novembro. O giro financeiro na Bovespa, no entanto, segue cada vez mais fraco: R$ 4,694 bilhões.

O prazo para o acordo entre republicanos e democratas para está se aproximando do fim, o que pode levar o país a uma recessão ao ter que adotar um pacote automático de corte de gastos e aumento de impostos - o conhecido abismo fiscal. Harry Reid, líder do Senado, disse que muito provavelmente o país caminhará rumo ao abismo. No entanto, a Moody's já avisou que isso não deve fazer com que o rating dos EUA seja rebaixado. 

Os políticos norte-americanos têm até a próxima segunda-feira (31) para chegar a um acordo antes que medidas automáticas entrem em vigor. Os republicanos esperam que o Senado, de maioria democrata, tome a iniciativa de propor um plano para evitar o abismo fiscal.

Na última noite o secretário do Tesouro do país, Timothy Geithner, também chamou atenção. Ele enviou uma carta ao Congresso avisando que o país atingirá o teto da dívida na noite de ano novo. Para evitar um calote, ele tomará medidas extraordinárias, o que deve dar uma folga de US$ 200 bilhões ao país. A estimativa é que os EUA ganhem mais alguns meses com essa quantia, mas caso eles caiam no abismo fiscal os efeitos das medidas de Geithner são incertos.

Destaques de ações
Entre os destaques negativos, aparecem as ações da Rossi (RSID3), que recuaram 7,66%, fechando a R$ 4,58. Contribuiu também para o dia negativo do Ibovespa a forte desvalorização dos papéis da Petrobras (PETR3, PETR4).  As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 RSID3 ROSSI RESID ON 4,58 -7,66 -39,42 34,74M
 VAGR3 V-AGRO ON 0,39 -4,88 +29,05 20,30M
 PDGR3 PDG REALT ON 3,30 -4,35 -42,41 76,38M
 MMXM3 MMX MINER ON 4,37 -3,96 -34,30 22,95M
 PETR3 PETROBRAS ON 19,50 -3,42 -13,22 197,84M

Na outra ponta, o principal destaque ficou com as ações da Cielo (CIEL3), que registraram alta de 2,41%, valendo R$ 56,13. As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CIEL3 CIELO ON 56,13 +2,41 +45,44 83,70M
 CESP6 CESP PNB 19,26 +2,34 -39,17 8,06M
 SUZB5 SUZANO PAPEL PNA INT 6,94 +2,21 +2,97 21,81M
 NATU3 NATURA ON 57,98 +2,17 +67,09 41,48M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 16,57 +1,91 +94,94 46,65M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN 19,41 -3,24 535,98M 486,60M 33.046 
 VALE5 VALE PNA 40,80 +0,27 310,43M 586,32M 15.502 
 PETR3 PETROBRAS ON 19,50 -3,42 197,84M 158,41M 14.183 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 34,95 -1,83 163,91M 234,15M 11.957 
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN EJ 33,18 -1,66 152,80M 267,50M 13.211 
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 13,78 -1,64 138,95M 128,29M 16.381 
 CMIG4 CEMIG PN EDJ 22,36 +0,77 103,85M 108,00M 8.700 
 ITSA4 ITAUSA PN EJ 9,65 -1,53 100,49M 101,36M 16.806 
 OGXP3 OGX PETROLEO ON 4,32 -1,37 95,40M 154,27M 18.896 
 BBAS3 BRASIL ON 25,06 +0,24 91,66M 123,92M 8.171 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

Indicadores econômicos
Ainda nos Estados Unidos, destaque para a pauta econômica. Os pedidos de auxílio-desemprego vieram melhor do que o esperado pelos analistas na semana finalizada em 22 de dezembro ao marcar 350 mil novas solicitações - contra expectativa de 375 mil.

Ainda por lá, a confiança do consumidor caiu para o menor nível em quatro meses em dezembro, indo de 71,5 para 65,1 - economistas esperavam leitura de 70,0. Já o New Home Sales mostrou que foram vendidas 377 mil casas novas no anualizado em novembro, quase em linha com a expectativa de 379 imóveis vendidos.

 

Contato