Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa abre no vermelho e vai em direção à quinta queda

Investidores se dividem entre temporada brasileira de balanços e atraso na liberação de ajuda à Grécia

compra e venda de ações - bolsa - mercado financeiro
(Getty Images)

SÃO PAULO - A bolsa brasileira abre o pregão desta terça-feira (13) em campo negativo, dando continuidade à trajetória de queda dos últimos quatro dias. Por aqui, a atenção dos investidores fica entre a safra de balanços e o atraso na liberação da ajuda à Grécia. Por volta de 10h20 (horário de Brasília), o Ibovespa recuava 0,53%, aos 56.760 pontos.

Dentre os papéis que são negociados nesta manhã, destaque para Dasa ON (DASA3, R$ 13,20, -4,97%),  Eletrobras PNB (ELET6, R$ 13,14, -3,38%),  JBS ON (JBSS3, R$ 6,32, -3,07%),  Klabin PN ED (KLBN4, R$ 11,80, -2,96%) e Eletrobras ON (ELET3, R$ 9,53, -2,46%).

O principal índice da bolsa paulista fechou o pregão de segunda-feira em baixa de 0,51%, atingindo 57.064 pontos e registrando uma alta acumulada no ano de 0,55%. O volume financeiro foi de R$ 3,93 bilhões.
 

Temporada de resultados
No ambiente nacional, os resultados corporativos continuam dominando o noticiário doméstico, com os números da Copel (CPLE6), Gol (GOLL4), JBS (JBSS3), Lojas Americanas (LAME4), B2W (BTOW3), Brookfield (BISA3), Oi (OIBR4) e Rossi Residencial (RSID3) - publicados após o fechamento do pregão. Antes da abertura desta sessão, Cyrela (CYRE3), Brasil Foods (BRFS3), Gafisa (GFSA3) e Suzano Papel (SUZB5) também soltaram seus balanços.

Na agenda doméstica, único indicador relevante, o comércio varejista registrou crescimento de 0,3% no volume de vendas e 1% na receita nominal no mês de setembro, em relação ao mês anterior.

Sem acordo
No Velho Continente, o primeiro dia de reunião dos ministros de Finanças da zona do euro e do FMI (Fundo Monetário Internacional) chegou ao fim, na segunda-feira, sem acordo sobre a forma como a Grécia pagará sua dívida.

O grupo deu a Atenas dois anos mais para promover cortes orçamentários exigidos e que correspondem a 2% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Contudo, eles adiaram para 20 de novembro a decisão sobre desbloquear a parcela de ajuda à Grécia, no valor de € 31,2 bilhões.

Nesta quarta-feira, o destaque europeu fica com uma reunião dos ministros de Finanças da União Europeia (Ecofin). "Como a questão grega foi discutida ontem à noite e as discussões sobre a forma de alcançar a sustentabilidade da dívida foram adiadas, o encontro de hoje provavelmente atrairá a atenção do mercado", diz o Danske Bank em relatório.

Agenda fraca
No exterior, a agenda de indicadores também é fraca. Na Europa, o sentimento econômico da Alemanha caiu para 5,4 pontos em novembro, ante 10 pontos registrados em outubro, informou o instituto Zew. Nos EUA, o Departamento de Tesouro fornecerá os dados mensais do orçamento governamental (Treasury Budget).

 

Contato