Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa ameniza perdas após PIB melhor que o esperado dos EUA

Economia norte-americana cresceu 2,0%, contra expectativa de 1,9%, investidores aguardam resultado trimestral da Petrobras após o pregão

ações - mesa - bolsa de valores - Bovespa - cotações
(Rafael Matsunaga/Wikimedia)

SÃO PAULO - Depois do "respiro" do último pregão, a bolsa brasileira  abriu em queda o pregão desta sexta-feira (26), mas ganhou força após o PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos superar as expectativas do mercado. Após chegar a recuar 0,98% no início do pregão, aos 57,268 pontos, as ações reduziram as perdas e recuavam 0,45% por volta de 11h05, aos 57.576 pontos, com o mercado na expectativa pelo balanço da Petrrobras (PETR3; PETR4).

A primeira prévia do PIB referente ao terceiro trimestre de 2012 apontou que a economia norte-americana teve avanço de 2,0% em bases anuais, ficando levemente acima das projeções dos analistas, que esperavam uma expansão de 1,9% na atividade econômica, segundo consenso do portal Briefing.com. Em relação ao trimestre anterior, o número mostra grande melhora, já que entre abril e julho a expansão do PIB dos EUA havia sido de 1,3%, revelou o Departamento do Comércio do país nesta sexta-feira.

Mais tarde, a Universidade de Michigan anuncia a leitura final do índice de confiança do consumidor norte-americano para outubro. "O indicador aumentou quase cinco pontos para 83,1 na leitura prelimar e esperamos que a mediação final aponte um aumento mais modeste, para 81,0", afirma relatório do Danske Bank.

Do lado corporativo, a petrolífera brasileira publica o resultado do terceiro trimestre, após o fechamento do mercado. A expectativa é de que o lucro da companhia no período alcance R$ 6,48 bilhões

Outros dados
Na agenda nacional, o INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção) registrou taxa de variação de 0,24% em outubro, acima do resultado do mês anterior, de 0,21%. Às 10h30, o Banco Central publica a nota de política monetária e operações de crédito.

Na Europa, relatórios mostraram que a confiança do consumidor francês recuou em outubro, enquanto a taxa de desemprego da Espanha subiu no terceiro trimestre. Na Alemanha, o índice de confiança do consumidor aumentou em outubro para o maior nível em cinco anos.

 

Contato