Em mercados / acoes-e-indices

Após abrir em alta, Ibovespa passa por instabilidade nesta manhã

Índice chegou a subir 0,4% nos minutos iniciais, mas já perde força e chega a alcançar o território negativo

análise técnica - gráfico azul - cotações
(Thinkstock)

SÃO PAULO - Instável, o Ibovespa já reverte os ganhos que registrava nos minutos iniciais do pregão desta segunda-feira (15). Depois de chegar a atingir ganhos de até 0,39%, aos 59.391 pontos, o índice perde força e já marca perdas de 0,26%, aos 59.007 pontos, segundo cotação das 10h39 (horário de Brasília).

Já era esperado que o dia apresentasse uma volatilidade acima do normal, uma vez que a sessão marca o vencimento de opções sobre ações, fato que costuma elevar subsatncialmente o volume negociado na bolsa. Além do mais, a bolsa pode não seguir os mercados internacionais, uma vez que não teve negociações na sexta-feira, quando os mercados recuaram. O índice brasileiro de ADRs (American Depositary Receipts) também caiu na ocasião, com leve recuo de 0,34%.

Altas e baixas
Na ponta negativa, o destaque do Ibovespa nesta manhã fica por conta das ações da Ultrapar (UGPA3, R$ 43,90, -4,57%), Cosan (CSAN3, R$ 37,32, -3,32%), Gafisa (GFSA3, R$ 4,35, -2,68%), Cetip (CTIP3, R$ 25,04, -2,57%) e Sabesp (SBSP3, R$ 84,47, -2,35%). 

China retoma exportações
Entretanto, esta manhã é de ganhos para as bolsas internacionais. Durante o fim de semana a China mostrou que a inflação em setembro, com alta de 1,9% na comparação anual, mostrou leve desaceleração sobre agosto. Já os dados de exportação do país superaram as projeções com um salto de 9,9% no mês, contra os 2,7% de agosto - vale notar que setembro deste ano teve um dia útil a mais que o do ano passado.

As importações, que haviam recuado em agosto na comparação anual, mostrou alta de 2,3% em setembro, sem surpresas para os analistas. "Entretanto, dada a recuperação dos preços de commodities ultimamente, nós estimamos que apenas metade da melhora de 5 pontos percentuais veio de recuperação de volume", pondera em relatório Wei Yao, analista do Société Générale.

Nos EUA, a manhã teve algumas sinalizações distintas para o mercado. Enquanto as vendas no varejo avançaram 1,1% em setembro, mais que os 0,7% esperados, a atividade manufatureira na região de Nova York desapontou ao mostrar queda de 6,2 pontos. A expectativa era por uma contração de 2,8 pontos, segundo compilação feita pelo portal norte-americano Briefing.com. A espera agora é pelos estoques das indústrias em agosto, anunciada às 11h00 (horário de Brasília).

Agenda de indicadores forte
Vale lembrar que na noite de quinta-feira, quando os mercados já estavam fechados, o Banco Central divulgou o IBC-Br de agosto, visto como uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto). Em linha com as expectativas, o indicador mostrou alta de 0,98%. Já nesta manhã a autoridade monetária revelou o Boletim Focus, com mais uma revisão negativa nas projeções do mercado para o PIB, agora em 1,54% neste ano.

 

Contato