STOCK PICKERS João Braga, da XP Asset, fala ao vivo sobre o "Micro x Macro" na escolha de ações; assista e participe

João Braga, da XP Asset, fala ao vivo sobre o "Micro x Macro" na escolha de ações; assista e participe

Destaques da bolsa

JBS salta 9%, BRF e Marfrig avançam 5% com possível corte de imposto na China; Vale e CSN sobem seguindo minério

Confira os destaques da B3 na sessão desta segunda-feira (25)

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A sessão desta segunda-feira (25) foi de quase estabilidade para o Ibovespa após duas fortes altas, com os investidores esperando novidades sobre o acordo comercial entre EUA e China, enquanto

Nos últimos dias, o ânimo sobre um desfecho para a assinatura da fase 1 do acordo aumentou, o que impulsiona o minério de ferro nesta sessão para alta de mais de 3%, o que impulsiona os ativos de Vale (VALE3) e da CSN (CSNA3), siderúrgica que também conta com uma operação significativa em mineração. Os futuros da commodity se aproximaram de US$ 90 a tonelada em Cingapura, com aumento nos preços do aço na China apontando para otimismo em relação à demanda para o próximo ano

Já as ações da CVC (CVCB3), que registram forte queda de 17% no mês, chegaram a saltar 4,73% após o anúncio de um programa de recompra de ações, mas amenizaram os ganhos e fecharam com ganhos de 0,38%, a R$ 42,06.

PUBLICIDADE

Por outro lado, bancos tiveram uma sessão de queda,em meio às notícias de que o governo do presidente Jair Bolsonaro estuda taxar dividendos. O setor financeiro, que responde por 22,3% da carteira teórica do índice, tombou em peso, com baixas de Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC3BBDC4), Banco do Brasil (BBAS3) e Santander (SANB11). B3 (B3SA3) também fechou em forte baixa.

Enquanto isso, os papéis de frigoríficos saltaram até 9% com perspectiva de que a oferta de carne deve permanecer apertada no ano que vem e após executivos da Minerva afirmarem que há indicadores de que a China pode cortar o imposto de importação de carne na América do Sul. JBS (JBSS3) foi a maior alta, com ganhos de 9,63%.

Confira os destaques desta segunda-feira (25):

BRF (BRFS3), Marfrig (MRFG3), JBS (JBSS3) e Minerva (BEEF3)

Há indicadores de que Pequim tenha permitido empresas estatais a importarem carne bovina proveniente da América do Sul sem aplicação de imposto de importação de 24%, disse CEO da Minerva Fernando Galletti de Queiroz a repórteres em São Paulo.

Autoridades do Brasil e outros membros do Mercosul negociam isenções de impostos para importação com autoridades chinesas, disse João Sampaio, diretor de relações institucionais da Minerva. O assunto foi discutido em recente viagem do presidente Jair Bolsonaro à China.

As isenções fiscais aumentariam a competitividade da carne bovina da América do Sul, já que a Nova Zelândia e a Austrália já estão livres de tarifas.

PUBLICIDADE

Petrobras (PETR3, PETR4)

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) acatou liminar da Petrobras impedindo que os petroleiros entrassem em greve hoje. A programação era parar por quatro dias, com o argumento de que a empresa está descumprindo partes do acordo coletivo de trabalho, de cláusulas que dizem respeito à segurança do trabalho e do meio ambiente e direitos garantidos aos concursados, segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

A liminar é assinada pelo ministro Ives Gandra, que fixou em R$ 2 milhões por dia a multa por descumprimento. Em sua decisão, ele alega que o acordo coletivo foi assinado no dia 14 deste mês, há pouco tempo, o que não justificaria a decisão da federação sindical de já convocar uma paralisação.

“O ACT de 2019/2020 foi assinado há 18 dias, e as cláusulas cujo cumprimento se exige de imediato são de caráter programático, sem prazo específico para implementação. Ou seja, não há prova nem tempo para o descumprimento da norma coletiva em vigor que justifique a deflagração da greve”, informa o TST em nota.

A FUP, por sua vez, informou que vai manter as mobilizações solidárias nacionais programadas para ocorrer entre os dias 25 e 29 de novembro. Elas serão realizadas parcialmente, sem prejuízo do abastecimento dos combustíveis.

De acordo com a FUP, o objetivo das mobilizações é “alertar a sociedade sobre os riscos da política de demissões em massa e da venda de ativos da Petrobras para o bolso do consumidor, para o meio ambiente e para os trabalhadores do setor (incluindo os terceirizados).”

“A ação será mantida por não ferir a decisão TST, que acatou pedido de liminar da Petrobras impedindo a greve por ela por em risco o abastecimento nacional de combustíveis”, diz o comunicado.

A Petrobras informou que o preço do GLP residencial e empresarial será elevado na segunda-feira (25). De acordo com nota da estatal, o GLP P-13, para botijão de até 13 quilos, o gás de cozinha, o aumento médio nas distribuidoras será 4,0%. Já a alta média do preço do GLP industrial/comercial será de 0,6%.

Desta forma, explica, os preços para ambos segmentos serão igualados. Trata-se do segundo aumento consecutivo em um mês.

No dia 21 de outubro, o aumento anunciado do preço do GLP residencial ficara entre 4,8% e 5,3%, enquanto a elevação no valor do GLP empresarial fora de 2,9% a 3,2%. O gás de cozinha tem alta acumulada de quase 5% este ano.

CVC (CVCB3)

A CVC fará um programa de recompra de ações em uma única operação ou em uma série de operações de até 7,255 milhões de ações, representativas de, aproximadamente, 5,00% do total de ações em circulação, para manutenção em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento.

O prazo máximo para a realização das aquisições é de 18 meses, a partir do dia de 25 de novembro e encerrando-se em 18 de maio de 2021.

GPA (PCAR4)

O GPA publicou, em fato relevante, que a Bolsa de Valores da Colômbia informou que acionistas representando 96,57% do capital do Almacenes Éxito aceitaram a oferta pública de aquisição das ações de emissão do Éxito lançada por sua controlada, Sendas Distribuidora.

Essa adesão representará um desembolso pela Sendas de 7.780.620.024.000 pesos colombianos, valor equivalente a R$ 9,5 bilhões (levando em conta a taxa de câmbio de hoje). A liquidação da OPA ocorrerá em 27 de novembro de 2019.

O Conselho de Administração do GPA se reunirá no dia 28 de novembro para deliberar sobre a migração para o Novo Mercado, com a conversão de ações preferenciais em ações ordinárias, na razão de 1:1.

Taurus (TASA4)

A Taurus Armas informou que assinou adendo de seis meses ao memorando de entendimentos (MoU) que trata do estudo de viabilidade e da constituição de uma joint venture na Índia, com a companhia Jindal Group, maior fabricante de aço local e uma das maiores do mundo, com faturamento superior a US$ 24 bilhões e Ebitda de U$ 5 bilhões.

“A continuidade nas negociações para celebração desse acordo é mais um passo importante na estratégia global da Taurus no processo de restruturação baseado em rentabilidade sustentável, qualidade e melhora dos indicadores financeiros e operacionais, além do forte investimento no desenvolvimento de novos produtos e tecnologias”, informou.

Klabin  (KLBN11)

A Klabin teve sua recomendação rebaixada a underweight pelo Morgan Stanley.

Marfrig (MRFG3)

O frigorífico Marfrig teve sua recomendação elevada a equal-weight pelo Barclays, com preço-alvo de R$ 13.

São Carlos (SCAR3)

A São Carlos foi elevada a neutra em sua recomendação pelo Bradesco BBI, com preço-alvo de R$ 40.

Ecorodovias (ECOR3) e CCR (CCRO3)

A XP Investimentos iniciou a cobertura do setor de rodovias, com recomendação de compra para as ações da Ecorodovias e recomendação neutra para CCR. Segundo o relatório, o preço-alvo da Ecorodovias é de R$ 17, com potencial de alta de 17%, enquanto para CCR o preço-alvo é de R$ 18,80, com potencial de aumento de 10%.

A analista Bruna Pezzin diz que a preferência relativa pelas ações da Ecorodovias é baseada nos múltiplos relativamente mais atrativos; no maior duration (duração) do portfólio; e no crescimento esperado superior nos indicadores financeiros no curto e médio prazos, refletindo a aceleração do tráfego aliada à maturação de ativos incorporados recentemente.

Ainda assim, o relatório ressalta que “o fato da maioria dos projetos da CCR já estar em um estágio maduro nos dá mais conforto de que a empresa continuará a apresentar geração de caixa saudável nos próximos anos.”

“Estimamos um FCF Yield médio (geração de caixa em relação ao valor de mercado) nos próximos 5 anos de aproximadamente 8%, o que se compara a cerca de 4% para a Ecorodovias”, afirma.

Em termos de Taxa Interna de Retorno, que é um dos principais múltiplos do setor, a XP enxerga a Ecorodovias negociando a cerca de 8%, enquanto CCR negocia a aproximadamente 7%, “o que implica em leve prêmio para as taxas reais de juros de longo prazo”.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de açõe