Bolsa

Ações de Eike sobem forte e ganham R$ 1,3 bi de valor com rumores sobre BNDESPar

Valor de mercado da empresa subiram de R$ 23,17 bilhões para R$ 24,47 bilhões

SÃO PAULO – Os papéis das empresas do grupo EBX, do megaempresário Eike Batista, disparam nesta segunda-feira (10) – após a coluna de Lauro Jardim, na revista Veja, apontar uma possível venda de parte das empresas para o BNDESPar, o braço de participações do BNDES (Banco Nacional Desenvolvimento Econômico e Social).

Com isso, os papéis da LLX Logística (LLXL3) sobem 7,34% por volta das 13h45 (horário de Brasília), para R$ 2,34, enquanto os da OGX Petróleo (OGXP3) avançam 6,97% para R$ 4,76. A MMX Mineração (MMXM3) vê seu valor de mercado subir em 4,16%, sendo que cada ação agora vale R$ 4,01. A CCX Carvão (CCXC3) avança 2,47%, para R$ 2,49, enquanto a MPX Energia (MPXE3) tem ganhos de 2,89%, para R$ 11,74, enquanto o OSX Brasil (OSXB3) registra alta de 0,79%, para R$ 8,97. As empresas de Eike listadas na bolsa, portanto, ganham 5,61% de valor de mercado, passando de R$ 23,17 bilhões para R$ 24,47 bilhões. 

“Em um primeiro momento, acredito que essa notícia é bastante positiva”, salienta Carlos Müller, analista-chefe da Geral Investimentos. “Ela significa a entrada de um forte novo sócio, capitalização das empresas, e é muito possível que seja isso”, avalia o analista.

De acordo com ele, isso permitiria as empresas aumentarem as suas operações, além de resolver diversos temores que o mercado possui sobre o caixa da companhia. Procurado pelo portal InfoMoney, o Grupo EBX destacou que “não comenta rumores”. 

Diluição de acionistas não preocupa
A nota da Veja, porém, chama a atenção para uma possível diluição das participações dos minoritários. “A nota não especifica que tipo de operação seria, tudo que ela diz é sobre a entrada de um novo acionista”, avalia Müller. Para ele, sem mais informações, só há possível duas operações – e nenhuma delas significa a diluição dos minoritários. 

“Na primeira opção, ou o Eike vende participação para o BNDESPar, ou os atuais acionistas vendem”, afirma. “Mas também pode ocorrer uma nova emissão de ações, e esse direito precisa ser estendido aos atuais acionistas das empresas de Eike Batista”, destaca.

Desta forma, Müller destaca que qualquer temor nesse sentido ainda não faz sentido. “Mas precisamos ter mais informações”, salienta, lembrando que por enquanto isso são apenas rumores e que a operação, se ocorrer, ainda precisa ser descrita.