Eike Batista

Ações da PortX se despedem da bolsa com alta de mais de 500%

Contudo, nem todo investidor pode usufruir de toda essa alta, já que esses papéis entraram na bolsa através de uma cisão da LLX

Por  Felipe Moreno

SÃO PAULO – As ações da PortX (PRTX3) estão de partida da bolsa brasileira. A partir de segunda-feira (20) elas não serão mais negociadas na Bovespa, visto que a MMX Mineração (MMXM3) vai incorporar o restante dos papéis da empresa. Assim, Eike Batista funde os papéis da empresa de mineração com a de logística portuária sob o banner da MMX. 

Os ativos da PortX já fizeram parte da MMX. A companhia é fruto da cisão da LLX Logística (LLXL3), que por sua vez também é fruto de outra operação deste tipo. Os papéis PRTX3 estrearam na bolsa brasileira como MMX através do IPO (Initial Public Offering) de julho de 2006 – a primeira abertura de capital realizada pelo megaempresário.

Em ritmo de despedida, esses papéis recuaram 1,42% nesta sexta-feira (17), terminando cotadas aos R$ 2,77. Os papéis da companhia de logística movimentaram R$ 87,03 mil nesta sessão. Mesmo assim, isso garantiu que o acionista que havia recebido o papel na sua estreia, dia 3 de dezembro de 2010, acumulasse ganhos de 544,18%

Alta de 3 dígitos é ilusória
O primeiro dia de negociações de seus ativos foi bastante marcante para o mercado já que esses papéis tiveram uma disparada de 806,98%, com a cotação passando de R$ 0,43 – valor firmado para a estreia – para R$ 3,90 no fechamento do dia.

Contudo, engana-se quem pensa que isso redundou ganhos de três digitos. Isso por que na direção oposta estiveram os papéis da LLX. Aqueles ativos despencaram 40,7% naquela sessão e fecharam a R$ 4,59.A justificativa para a grande diferença foi a estrutura da operação, considera não justa pelo mercado. Por isso, os investidores penalizaram as ações da LLX na sessão ao mesmo tempo em que viram as ações da PortX como baratas frente ao seu potencial.

Por se tratar de uma cisão, cada acionista que possuia uma ação de LLX no dia 2 de dezembro passou a deter também um papel PRTX3 na sessão seguinte. Considerado o preço de fechamento do 1º dia de PortX na bolsa, cada acionista passou a deter dois ativos que somados valiam R$ 8,49 – valor 9,69% superior aos R$ 7,74 do dia anterior. Em relação ao fechamento daquele dia, o investidor acumula perdas de 29,8%, já que além dos R$ 2,77 de PRTX3 há também os R$ 3,19 de LLXL3 – totalizando R$ 5,96.

Compartilhe