Destaques da bolsa

Ação da Vale sobe 2% com alívio na guerra comercial; Saraiva salta mais de 30% com plano de recuperação aprovado

Confira os destaques da B3 na sessão desta sexta-feira (30)

SÃO PAULO – A sessão é mais uma vez de ganhos para o Ibovespa com o índice de olho na China, após sinais de alívio na guerra comercial com os EUA. Com isso, o minério de ferro registra ganhos, impulsionando papéis como os da Vale (VALE3, R$ 46,00, +2%) e CSN (CSNA3, R$ 14,60, +2,74%). Os ativos da Petrobras (PETR3, R$ 28,09, -0,11%; PETR4, R$ 25,46, -0,16%) têm leve queda seguindo o petróleo após sessões seguidas de ganhos com o alívio comercial. 

A Lojas Americanas (LAME4, R$ 18,56, +3,05%) após celebrar memorando de entendimento para loja de conveniência com a BR Distribuidora, enquanto Saraiva (SLED3, R$ 8,20, +31,92%; SLED4, R$ 2,47, +14,35%) salta com a aprovação de seu plano de recuperação judicial. Já a Linx (LINX3, R$ 31,33, +4,43%) teve sua recomendação elevada a outperform pelo Bradesco BBI e vê seus papéis subirem forte. 

BR Distribuidora (BRDT3) e Lojas Americanas (LAME4)

PUBLICIDADE

A BR Distribuidora e a Lojas Americanas celebraram um memorando de entendimentos, de natureza não vinculante, com a finalidade de guiar os estudos sobre a viabilidade de uma possível parceria estratégica no segmento de lojas de conveniência da BR.

“A assinatura desse memorando representa mais uma etapa no processo de definição do novo modelo de negócio de conveniência e da possível parceria, que tem como objetivo promover a expansão da BR neste segmento e maximizar a geração de valor para a companhia, bem como para seus revendedores”, afirmou a BR Distribuidora em comunicado ao mercado.

A empresa acrescentou ainda que a definição do parceiro está sendo conduzido pela BR Partners e conta, ainda, com a participação de outros potenciais candidatos.

“Isso representa um avanço nas discussões e pode ser um importante catalisador para a Americanas, caso a parceria seja firmada, pois permitiria à empresa acelerar rapidamente seus negócios em lojas de conveniência”, destaca em nota o Brasil Plural. 

Bradesco (BBDC3;BBDC4)

O Bradesco anunciou um novo programa de demissão voluntária (PDV), o segundo na história do banco. O objetivo do movimento, conforme o vice-presidente da instituição, André Cano, é adequar o quadro de colaboradores ao avanço da tecnologia, que, se de um lado permite uma maior produtividade, do outro, diminui a exigência de pessoal.

PUBLICIDADE

O PDV do Bradesco ocorre após os concorrentes Itaú Unibanco e Banco do Brasil também anunciarem iniciativas nesta direção. Enquanto o BB acaba de concluir seu programa, que desligou 2,3 mil funcionários e custou R$ 260 milhões, o Itaú aceita adesões até o próximo sábado e mira um número de 6,9 mil pessoas.

O Bradesco não abriu o número de funcionários almejado com o PDV nem mesmo a economia de gastos que terá após o movimento. Segundo Cano, não há uma meta. Adiantou, contudo, que o Bradesco espera que o programa seja menor que o feito há dois anos na esteira da incorporação das operações do HSBC no País e que atraiu cerca de 7,5 mil colaboradores e um custo de mais de R$ 2 bilhões.

O segundo PDV do Bradesco terá início na próxima segunda-feira, dia 02, e vai até o dia 16 de outubro. Na mira, estão funcionários com mais de 20 anos de casa – no primeiro, a régua era maior e ia somente até dez anos, e aqueles que estão em condição de estabilidade, mas desejam deixar a instituição. Na rede de agências, poderão aderir ao PDV, segundo Cano, apenas os aposentados ou que estão em condições de se aposentar.

Para atrair adesões ao PDV, o Bradesco está oferecendo pagamento único de 60% do salário por ano trabalhado limitado a 12 salários, todos os direitos, incluindo Fundo de Garantia, e o plano de saúde será estendido para 18 meses de cobertura. O banco oferecerá ainda seis meses adicionais de vale alimentação.

“O objetivo do PDV é no fundo a adequação do quadro do banco à uma nova realidade em termos de processos e tecnologia que estamos investindo há bastante tempo e tem levado o banco a uma produtividade maior”, disse.

Apesar do aumento da concorrência com fintechs e novos entrantes, o executivo disse que o PDV não tem relação com o ambiente de competição mais acirrada no País. “Não é isso ainda. Tem naturalmente uma visão permanente de controle de custos”, rebateu.

Sobre a projeção de despesas do banco para este ano, Cano reiterou o cumprimento das metas estabelecidas junto ao mercado. Explicou, contudo, que o PDV não está contemplado nas projeções do banco uma vez que se trata de uma despesa não-recorrente.

Oi (OIBR3;OIBR4)

PUBLICIDADE

Segundo o Balor, a Oi trabalha para fechar na próxima semana a escolha da instituição financeira que será responsável por estruturar uma operação de captação de dívida garantida, segundo informou fonte que acompanha o processo. Diversas instituições financeiras têm se reunido com a direção da companhia ao longo das últimas semanas com o objetivo de discutir os termos da captação, que provavelmente seria feita no exterior de modo a garantir maior agilidade, disse a fonte para o jornal.

Incorporadoras

Diante de um cenário dramático de necessidade de corte de despesas em 2020, o governo avalia suspender novas contratações do programa Minha Casa Minha Vida e redirecionar recursos do Sistema S para bancar alguns gastos do Orçamento.

Apenas a suspensão das novas contratações do Minha Casa Minha Vida por um período pode garantir uma economia de despesas de R$ 2 bilhões. As duas propostas, porém, enfrentam resistências e não há definição.

O corte pode vir num momento de recuperação dos financiamentos para a compra e a construção de imóveis no País, que atingiram R$ 6,7 bilhões em julho, alta de 10,5% em relação a junho e avanço de 36,0% frente ao mesmo mês do ano passado. Este foi o maior montante mensal de empréstimos em 2019.

Os dados foram pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), cuja pesquisa considera apenas os empréstimos com recursos originados nas cadernetas de poupança.

Nos sete meses de 2019, os financiamentos somaram R$ 40,4 bilhões, elevação de 33,8% em relação a igual período do ano passado. Nos últimos 12 meses, os empréstimos foram de R$ 67,6 bilhões, alta de 39,2% em relação ao apurado nos 12 meses anteriores.

No ano, a Caixa liderou o montante de empréstimos (R$ 12,155 bilhões), seguida por Bradesco (R$ 10,032 bilhões), Itaú Unibanco (R$ 8,829 bilhões), Santander (R$ 6,087 bilhões) e Banco do Brasil (R$ 2,259 bilhões).

PUBLICIDADE

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Modec, empresa que está atuando no descomissionamento e remoção do FPSO Cidade do Rio de Janeiro, informou à Petrobras que a equipe de Salvage embarcou novamente no navio para dar continuidade aos trabalhos, depois do vazamento detectado na Bacia de Campos.

Segundo a Petrobras, a prioridade desde que o vazamento foi detectado era garantir a segurança das pessoas e a preservação do meio ambiente. O desembarque dos empregados foi realizado entre os dias 24 e 26, e nesse momento, o foco é concluir o descomissionamento com segurança.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

 

A Modec informou que a plataforma tem 450 metros cúbicos de óleo diesel e 169 metros cúbicos de borra oleosa, estocados em tanques não afetados pelos danos. A capacidade total de armazenamento é de cerca de 250 mil metros cúbicos. Não há óleo cru em nenhum dos seus tanques. E a equipe Salvage trabalha num plano para redução de forma segura dos produtos armazenados no navio.

A estatal afirmou que os danos à lateral do navio não progrediram e permaneceram estáveis em comparação com a última análise, ainda confinados a um único tanque. As condições de calado e inclinação da embarcação também permanecem estáveis. A mancha de óleo no mar detectada nesta quinta-feira foi reduzida. E as embarcações continuam trabalhando na limpeza e na dispersão do produto.

A Petrobras ainda informou o início da fase vinculante referente à venda integral de sua participação de 34% na Compañia Mega, por meio de sua subsidiária integral Petrobras International Braspetro B.V.. “Os habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções detalhadas sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes”, informou.

Linx (LINX3)

A Linx teve sua recomendação elevada a outperform pelo Bradesco BBI. O preço-alvo da empresa de tecnologia é R$ 37.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

As Assembleias Gerais Extraordinárias das subsidiárias da Eletrobras Eletrosul e Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) que seriam realizadas hoje, para incorporação da primeira pela segunda, foram suspensas.

Em comunicado, a Eletrobras informa que a suspensão ocorre por causa de liminar concedida pela 2ª Vara Federal de Florianópolis. A nota não explica o teor da liminar, mas diz que a Eletrobras “está avaliando as medidas a serem adotadas”.
Na página do sindicato Sinergia, ligado à CUT, há informação de que os sindicatos que compõem a Intersul protocolaram um pedido de Tutela Cautelar em caráter antecedente e urgente, que foi concedido.

Em despacho da última quarta-feira, 28, como consta na nota do site, “o juiz determinou a suspensão das deliberações societárias acerca da incorporação da Eletrosul pela CGTEE, por um prazo de 60 dias contados do efetivo fornecimento dos documentos objeto do Mandado de Segurança anteriormente concedido a Intersul, e ainda não cumprido pela Eletrobras”.

Aliansce (ALSC3) Sonae Sierra (SSBR3)

A Aliansce Sonae Shopping Centers fez a aquisição indireta de participações adicionais de 14,0% no Shopping Taboão, 25,0% no Shopping Grande Rio e 42,5% da Loja C&A do Shopping da Bahia. O montante total da aquisição dos ativos soma R$ 250,6 milhões.

Após a consumação de tais operações, a Companhia passará a deter participações de 92,0%, 50,0% e 87,0% nos ativos, respectivamente, diz a empresa.

“O Shopping Taboão e o Shopping Grande Rio são ativos líderes em seus respectivos mercados. O investimento está alinhado com a estratégia de gestão de portfólio da Aliansce Sonae, que busca concentrar participação em shoppings localizados em cidades com alta densidade demográfica e dominantes em suas regiões de atuação”, destacou.

Saraiva (SLED4)

A Saraiva informou que foi aprovado o plano de recuperação judicial da companhia e de sua controlada, Saraiva e Siciliano. “O referido plano será submetido à homologação pelo Juízo da Recuperação Judicial, nos termos da lei”, diz a empresa.

Copel (CPLE6)

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) comunicou a celebração de contrato de suprimento de combustível entre a Petrobras e a UEG Araucária (UEGA) para a Usina Termelétrica de Araucária. O contrato vigorará até 31 de dezembro de 2019 e prevê o fornecimento de 2.150.000 metros cúbicos de gás natural por dia, sem obrigatoriedade de retirada.

“Com isso, a UTE Araucária voltará a ficar disponível ao Sistema Interligado Nacional – SIN e poderá ser despachada a critério do Operador Nacional do Sistema (ONS), assim que o CVU for homologado pela Aneel”, destaca a empresa.

Com capacidade instalada de 484 MW, a usina, que é uma das mais eficientes do país, opera com a utilização de ciclo combinado, na modalidade Merchant (sem contrato de disponibilidade).

Marcopolo (POMO4)

A Marcopolo fará o pagamento de juros sobre capital próprio de R$ 0,03 por ação, por conta do exercício de 2019. Os juros serão creditados na conta individualizada de cada acionista com base nas posições dos acionistas de 23 de setembro. O pagamento ocorrerá dia 07 de janeiro de 2020. As ações da companhia passarão a ser negociadas ex-juros a partir do dia 24 de setembro.

A empresa fará ainda a recompra de até 10 milhões de ações, o que corresponde a 1,73% do total das ações preferenciais em circulação no mercado.

Hermes Pardini (PARD3)

O Instituto Hermes Pardini fez a aquisição de 100% das ações de emissão do Solução Laboratório de Análises Clínicas (Solução), com sede em Itajaí (SC). O valor da companhia não foi informado.

O Solução foi fundado em 2010 e desde então vem atuando na prestação de serviços de laboratório de apoio, oferecendo soluções Lab-to-Lab a clientes localizados, principalmente, na região Sul do Brasil.

Segundo a empresa, a aquisição irá tornar os serviços Lab-to-Lab para a região Sul do Brasil mais eficiente, gerando sinergias operacionais, melhorando o nível dos serviços prestados e reduzindo o tempo de entrega de resultados aos nossos clientes nesta região.

“A consumação da aquisição estará condicionada a determinadas condições previstas nos respectivos documentos definitivos e que são comumente aplicáveis a este tipo de operação”, afirmou.

Banrisul (BRSR6)

O Banrisul informou que tomou conhecimento quanto à revogação da liminar que condicionava a venda de ações detidas pelo Estado do Rio Grande do Sul no capital social do banco estatal à deliberação judicial, após a apresentação de estudo de viabilidade.

“Por fim, o Banrisul informa que foi mantido o segredo de justiça da Ação Popular”, afirma.

CPFL Energia (CPFE3)

A CPFL Energia celebrou com sua controladora, State Grid Brazil Power Participações, contrato de compra e venda de ações relativo à aquisição, pela CPFL Energia, da totalidade da participação que a State Grid detém diretamente na CPFL Energias Renováveis S.A –controlada indiretamente pela CPFL Energia

“O contrato de compra e venda foi negociado de forma independente pelos representantes da CPFL Energia e da State Grid, e prevê que as ações de emissão da CPFL-R detidas pela State Grid serão adquiridas pela CPFL Energia pelo valor de R$ 16,85 por ação”, informa o fato relevante.

A CPFL Energia informa que utilizará a totalidade dos recursos líquidos obtidos com a oferta pública de distribuição de ações da CPFL Energia recentemente concluída para financiar a aquisição das ações de emissão da CPFL-R.

“A operação permitirá a criação de potenciais sinergias entre a CPFL Energia e suas controladas, correspondendo a um primeiro passo de uma possível reestruturação mais ampla ainda a ser avaliada envolvendo a CPFL Energia, a CPFL-R e outras controladas”, concluiu.

 

(Com Agência Estado e Bloomberg)