Aberturas de capital

Ação da Multilaser é precificada a R$ 11,10 em IPO; Privalia adia abertura de capital por “condições de mercado”

Multilaser deve estrear no pregão da B3 na próxima quinta-feira, negociada sob o ticker MLAS3.

arrow_forwardMais sobre

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da empresa de produtos eletrônicos Multilaser (MLAS3) saiu a R$ 11,10 cada, perto do piso da faixa estimada pelos coordenadores, de R$ 10,80 a R$ 13 reais por papel, de acordo com informações registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A operação envolveu a venda de 198.160.223 ações, movimentando R$ 2,2 bilhões. Desse total, cerca de R$ 1,9 bilhão de reais correspondem à oferta base. Como a operação envolve apenas a venda de ações novas, os recursos devem ir para o caixa da companhia, que pretende usá-los para reforçar o caixa, pagar dívidas e fazer aquisições.

A companhia deve estrear no pregão da B3 na próxima quinta-feira, negociada sob o ticker MLAS3.

A Multilaser diz deter 65% do mercado de pendrives, 39% dos cartões de memória no país e fabrica também smartphones, notebooks e acessórios de computador e para esportes e saúde, além de equipamentos de áudio e vídeo, segurança eletrônica e brinquedos, entre outros.

Já a Privalia Brasil, que iria precificar seu IPO também na véspera, comunicou que a oferta pública inicial com esforços restritos de distribuição primária e secundária de ações ordinárias de emissão foi suspensa em razão da volatilidade das condições de mercado verificadas nos últimos dias. “A companhia divulgará oportunamente qualquer desdobramento sobre a Oferta Restrita, nos termos da regulamentação aplicável”, destacou.

(Com Reuters)

Quer entender o que é o mercado financeiro? Assista à série gratuita “Carreira no Mercado Financeiro” e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.