Fora negativismo

7 ações driblam “sell off” da Bolsa: enquanto tudo caía, elas disparavam

Além de nomes óbvios, como Suzano e Fibria, que subiram com o dólar, outras ações conseguiram reagir positivamente hoje enquanto o mercado desabava

SÃO PAULO – Enquanto o mercado afundou com a notícia do pedido de habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, algumas ações conseguiram driblar o sentido negativo do mercado e ganharam força no pregão desta quinta-feira. 

Alguns papéis até por motivos óbvios, como Suzano (SUZB5) e Fibria (FIBR3), ambas do setor de papel e celulose, beneficiadas pela disparada do dólar em meio a incertezas do mercado quanto ao impacto dos desdobramentos da Operação Lava Jato sobre o ex-presidente e o PT de forma geral. Essas ações ganham com o dólar alto já que, por serem exportadoras, suas receitas são atreladas à moeda americana. 

Outros casos, no entanto, já não tem motivos tão claros, como a impressionante disparada das ações da B2W (BTOW3), que desde às 11h20 (horário de Brasília), quando começou a circular a notícia sobre o recurso e o mercado passou a regiar, as ações da varejista online dispararam quase 5%, como pode-se observar no gráfico abaixo.

Além dela, as seguradoras Porto Seguro (PSSA3) e BB Seguridade (BBSE3) também ganharam força devido ao perfil mais defensivo. Da mesma forma, as ações da educacional Kroton (KROT3) passaram a subir mais forte enquanto a maioria do mercado ia abaixo, assim como o restante das empresas do seu setor. Os papéis da Estácio, por exemplo, afundaram 4% nesta sessão. Outro destaque foi o papel da varejista Lojas Renner, que segue no ano descolado do restante do setor, que afunda em meio às piores perspectivas macroeconômicas. 

Confira os gráficos de 5 minutos das ações que fugiram do sentimento negativo do mercado em dia de “sell off” na Bolsa:

– B2W

– Kroton

– BB Seguridade

– Porto Seguro

PUBLICIDADE

– Suzano

– Fibria

– Lojas Renner

PUBLICIDADE