3tentos (TTEN3) com salto de 17%, TIM (TIMS3) e Porto (PSSA3) subindo mais de 4%: as ações em alta após os resultados

Resultados positivos também foram reconhecidos pelo mercado na sessão desta sexta-feira

Equipe InfoMoney

Publicidade

Se as fortes quedas de Alpargatas (ALPA4) e de Bradesco (BBDC4) apareceram como os destaques negativos do mercado após os resultados, outras ações fecharam em alta após os balanços do quarto trimestre de 2022.

O grande destaque, mas fora do Ibovespa, ficou com a ação da companhia agroindustrial 3Tentos (TTEN3), que viu suas ações saltarem 17,06%, a R$ 12,35, com uma disparada maior na reta final do pregão.

A companhia ainda afirmou nesta sexta-feira que projeta um aumento na originação de grãos na safra 2022/23 e também incremento de 65% na capacidade de processamento de soja este ano, já que prevê iniciar a operação de uma unidade produtora de biodiesel em junho.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em apresentação divulgada ao mercado, a companhia que atua no varejo de insumos agrícolas, originação e trading/industrialização de grãos, farelo, óleo de soja e biodiesel afirmou que está otimista com a safra 2022/23 no Brasil, que deve ser recorde.

Neste contexto, a 3tentos afirmou que deverá ampliar a sua capacidade estática de armazenamento em 2023 para 1,6 milhão de toneladas, assim como projeta um salto na capacidade de esmagamento de soja, após a entrada em operação da unidade de biodiesel em Mato Grosso.

Com conclusão prevista para junho deste ano, a fábrica em Vera (MT) deverá ter capacidade de produção de 1.000 metros cúbicos de biodiesel ao dia, com processamento diário de 2.600 toneladas de soja –a 3tentos conta hoje com uma capacidade total de processamento de 4.000 t/dia, com operações no Rio Grande do Sul.

Continua depois da publicidade

A empresa vê ainda uma recuperação de margens e abertura de mais nove lojas no Rio Grande do Sul e Mato Grosso, esperando ainda aumento da participação da unidade mato-grossense no resultado de insumos, assim como uma maior contribuição de serviços financeiros e digitais.

Com sede em Santa Bárbara do Sul (RS), a 3tentos anunciou na noite da véspera que fechou o ano de 2022 com lucro líquido de R$ 571,2 milhões, aumento de 32,7% em relação a 2021. No último trimestre do ano, o resultado líquido foi de R$ 224 milhões, com crescimento de 34,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com o CEO e Diretor de RI da 3tentos, Luiz Osório Dumoncel, o resultado de 2022 foi “bastante positivo”, considerando o “cenário desafiador”, marcado pela quebra da safra de soja devido à severa estiagem no Rio Grande do Sul, e aos impactos na oferta de fertilizantes por conta da guerra na Ucrânia.

“Encerramos o ano com a certeza de que nosso ecossistema 3tentos enfrenta muito bem cenários adversos e consegue mitigar grande parte dos impactos presentes ao seu redor”, afirmou Dumoncel em nota.

A 3tentos disse que a boa segunda safra de milho de Mato Grosso em 2022 e uma produção recorde de trigo no Rio Grande do Sul compensaram o menor resultado da soja, cuja safra foi reduzida pela seca no Sul no ano passado. O lucro bruto da empresa subiu 20% em 12 meses, para 134 milhões de reais, assim como a margem avançou de 7,9% para 9,9% de um ano para outro.

No seu segundo ano como companhia aberta, a 3tentos disse que entregou crescimento nos resultados e que vai distribuir R$ 57,2 milhões em dividendos.

A XP ressaltou que a companhia apresentou um forte trimestre e fechou 2022 com um desempenho operacional positivo, apesar de um ano desafiador com: (i) La Niña causando perda de safra no RS; (ii) a guerra entre Rússia/Ucrânia empurrando os preços dos fertilizantes para os maiores patamares da história; (iii) volatilidade dos preços das commodities juntamente com custos mais altos impactando negativamente as margens dos produtores.

“Devido ao seu perfil diversificado, vemos riscos positivos e negativos na tese da 3Tentos: preços mais baixos de fertilizantes podem pressionar as margens de insumos enquanto a recuperação do volume de sementes pode ajudar a compensar; uma mudança no mix de grãos poderia retirar a recente melhora nas margens; e um provável aumento além do B10 junto com os preços mais altos do farelo de soja poderia não ser suficiente para absorver os preços mais altos da soja. Acreditamos que a 3Tentos deve conseguir sustentar suas margens arbitrando essas muitas variáveis”, apontaram os analistas.

Já o Itaú BBA destacou que a empresa agroindustrial reportou um lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) ajustado de R$ 295 milhões no quarto trimestre, 4% abaixo da sua projeção mas com alta de 66% em um ano. Isso gerou uma margem Ebitda (rentabilidade operacional) de 13,7%, implicando em uma alta de 2,8 pontos porcentuais na comparação anual. A melhoria no Ebitda foi impulsionada por uma maior contribuição de margem bruta nos setores de grãos e indústria, devido a melhor mix em grãos, com vendas mais robustas de milho e trigo, e maiores prêmios de exportação de farelo de soja na indústria.

Além disso, a 3tentos, mais uma vez, relatou progresso em sua expansão no Mato Grosso por meio da planta de Vera, com o capex (investimento) total alcançando R$ 716 milhões em 2022. “Mantemos nossa recomendação de compra para TTEN3, com preço-alvo de R$ 18 ao fim de 2023”, apontou.

Outros destaques: TIM e Porto

As ações de TIM (TIMS3) e Porto (PSSA3) também foram destaque positivo após os balanços, com altas respectivas de 4,44% (R$ 11,29) e 4,85% (R$ 26,60).

A XP destacou em relatório que a TIM reportou resultados sólidos no quarto trimestre, em linha com suas estimativas e com lucro por ação acima do esperado.

A companhia registrou um lucro líquido normalizado de R$ 590 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22). O número é 23,2% menor do que o registrado em igual etapa de 2021. Já o Ebitda  ficou em R$ 2,930 bilhões no 4T22, um avanço de 19,6% sobre o mesmo período de 2021. O consenso Refinitiv apontava para lucro líquido reportado de R$ 444,87 milhões, queda de 56,17% em relação a um ano antes.

A receita de serviços cresceu 22% no trimestre na base anual em linha com os números da XP. Já a receita de serviço móvel (MSR) totalizou R$ 5,3 bilhões no 4T, crescendo 23% anualmente, enquanto a receita de telefonia fixa registrou um crescimento de 9%.

“O sólido crescimento da receita móvel foi impulsionado principalmente pelas receitas geradas pela base móvel adquirida da Oi e pelo desempenho dos segmentos pré-pago e pós-pago”, apontam os analistas. A recomendação segue de compra para os ativos, com preço-alvo de R$18 por ação e reforçando a companhia como a top pick na cobertura de telecom no Brasil.

O Credit Suisse também ressaltou uma visão positiva para a companhia. “Vale ressaltar que a TIM atingiu ou superou todos os dados do guidance do ano e vemos o sell off recente como injustificado”, apontaram os analistas.

O BTG Pactual apontou que o lucro líquido da TIM ficou acima do esperado, com o resultado sendo “surpreendente e positivo”.

Além disso, atenção para o aumento de 22,7% da receita de serviço móvel, impulsionado pela soma das operações da Oi. “Além da consolidação dos clientes da Oi, reajustes de preços dos planos da TIM e ajuda do governo impulsionaram o sólido resultado”, escreveram os analistas.

O BTG Pactual também tem recomendação de compra para TIM, com o preço alvo de R$ 18 até o fim do ano.

O banco ponderou, porém, que o desempenho em 2023 pode ser mais fraco devido ao processo de aquisição da operação móvel da concorrente, mas que no longo prazo a expectativa é de recuperação.

Já para a Porto, o Credit Suisse destacou que o lucro líquido recorrente de R$ 556 milhões superou em 55% as suas projeções e 39% o consenso, reconhecendo que o mercado de alguma forma antecipou essa melhora ao olhar para os dados de lucro liquido da SUSEP de R$ 415 milhões versus um consenso de R$ 401 milhões.

“Acreditamos que os resultados do quarto trimestre representam um cenário em que o negócio de seguros anualizado (SUSEP) sozinho poderia gerar um lucro liquido de R$ 1,686 bilhão em 2023, independentemente da sazonalidade positiva do trimestre, mas também do benefício total dos prêmios ganhos reavaliados e dos novos prêmios emitidos”, apontam os analistas.

Considerando maior racionalidade e resultados em saúde e em outros negócios fora seguros, somados a melhores retornos de resultados financeiros, isso levaria a um consenso de lucro a R$ 1,75 bilhão com potencial de revisão para cima. Os analistas destacam que as ações já subiram 12% no acumulado do ano, mas os resultados do 4T22 enfatizam o bom momento da empresa, consistente com a recomendação equivalente à compra e preço-alvo de R$ 27.

A Genial Investimentos destacou que o lucro da Porto ficou 31,5% acima das suas estimativas, com a companhia mostrando sinais de que os aumentos de preços no seguro automóvel estão trazendo um resultado de subscrição rentável. “Com um Retorno sobre o Patrimônio Líquido [ROE] de 21,5%, o 4T22 foi muito forte, alcançando o maior resultado recorrente trimestral da história da Porto com expansão em duplo dígito de todas as verticais de negócios”, apontam os analistas da casa.

Com receitas crescendo 27% e a melhora tanto esperada da sinistralidade, o trimestre marca de forma definitiva recuperação da rentabilidade, avaliam, com o ROE saltando de 3,8% no 2T22 para 21,5% no 4T22. “O forte resultado dá sinais de que 2023 pode ser um ano robusto conforme colocamos em nossas perspectivas para este ano”, aponta.

(com Reuters)