Em marfrig

Ações da Marfrig sobem 6,80% e se destacam nesta semana no Ibovespa

Papéis seguiram o bom momento iniciado após a divulgação dos resultados trimestrais no final da semana anterior

SÃO PAULO - A forte alta de 16,66% no último pregão da semana passada deu início ao bom momento das ações da Marfrig (MRFG3), que terminaram a semana compreendida entre os dias 14 e 18 de novembro com a maior valorização dentre os papéis que fazem parte da composição do Ibovespa, avançando 6,80%, cotados a R$ 7,85. No mesmo período o Ibovespa recuou 3,10%.

Mesmo diante da forte alta na sexta passada e do rali visto nessa semana, as ações da companhia ainda acumulam fortes perdas de 48,96% no ano, enquanto o benchmark recua 18,14% no mesmo período.

O momentum positivo dos ativos MRFG3 teve início após a divulgação dos resultados do terceiro trimestre, apresentados na última sexta-feira (11). Embora a companhia tenha ampliado seu prejuízo líquido para R$ 540 milhões, ela viu seu Ebitda (geração operacional de caixa) saltar de R$ 236,7 milhões para R$ 637,5 milhões na comparação com o mesmo período de 2010, ficando muito acima das projeções dos analistas.

Na segunda-feira (14), os ativos MRFG3 voltaram a ocupar a ponta positiva do benchmark, com ganhos de 6,80%. Nesta data, o volume financeiro movimentado pelas ações ficou bem acima da média, totalizando R$ 71,98 milhões nesta, contra média diária de cerca de R$ 28 milhões.

Desempenho trimestral impulsionou ganhos
Para o operador da Corval Corretora, João Pedro Malaquias, os papéis da Marfrig têm sofrido grande exposição desde agosto devido a alavancagem do fundo GWI na empresa. Ele ressalta que após o desempenho trimestral e mesmo  com a desvalorização no ano, o papel está sendo visto como um ativo estratégico. “Acreditamos que o papel está bem posicionado. A empresa é um dos maiores frigoríficos do País e diante disso confiamos na recuperação de Marfrig”.

Malaquias enfatiza que o papel é barato, até por ser um ativo endividado com bastante exposição ao dólar. No entanto devido a algumas notícias sobre controle acionário da empresa, com aumento na participação dos principais diretores e acionistas, faz com que a corretora acredita que o papel ainda faça um movimento de recuperação para este ano e no próximo.

Por fim, o operador lembra dos rumores de que a JBS (JBSS3) poderá comprar a Marfrig. "Esses boatos são favoráveis para o papel". Vale mencionar que as duas empresas detém 30% do mercado de carnes, que é bem pulverizado. Além disso, os ativos da JBS registraram a segunda maior alta semanal do Ibovespa, avançando 5,25%, para R$ 5,41.

Outros destaques da semana
Outros papéis que também se destacaram positivamente foram BM&F Bovespa (BVMF3, R$ 10,58, +3,39%),  Light (LIGT3, R$ 27,30, +3,14%),  Klabin (KLBN4, R$ 6,83, +2,86%) e Souza Cruz (CRUZ3, R$ 22,14, +2,17%).

 

Contato