Em marcopolo

Joint venture da Marcopolo com Caio Induscar tem outras motivações

Para corretora, formação de parceria sinaliza plano conjunto de oferta nos ativos da Busscar, antiga concorrente da empresa

SÃO PAULO - A Marcopolo (POMO4) estuda joint venture com a Caio Induscar, com o objetivo de fabricar peças e acessórios utilizados em carrocerias para ônibus focados no mercado interno. Contudo, o Itaú BBA apontou nesta quinta-feira (24) que o ponto principal do anúncio não é apenas a formação de parceria. As empresas planejam se estabelecer na cidade de Joinville, onde está sediada a Busscar, que costumava ser a principal concorrente da Marcopolo no Brasil, mas parou suas operações no ano anterior devido a deterioração financeira, apontou a corretora.

Apesar do comunicado oficial sinalizar que a localização está baseada na força de trabalho disponível na cidade e sua proximidade com o porto, os analistas Renata Faber e Thiago Macruz acreditam que a motivação principal da companhia com a joint venture é um plano conjunto de oferta nos ativos da Busscar.

Nesse sentido, a corretora apontou a notícia como positiva para a companhia. Através da formação de parceria, as duas empresas indicam a tentativa de manter um ambiente competitivo saudável durante o processo de vendas das ações da Busscar, comentaram os analistas. Entretanto, a corretora ressaltou que a companhia não confirmou as suposições do Itaú BBA sobre o possível lance nos ativos da concorrente.

Recomendação
Com perspectiva favorável para os negócios da empresa, o Itaú BBA manteve recomendação outperform (desempenho acima da média) para suas ações. Além disso, os analistas disseram que o preço atual das ações da Marcopolo está muito próximo do seu preço-alvo para final de 2012, refletindo o resultado do terceiro trimestre deste ano acima das expectativas dos analistas. Adicionalmente, as perspectivas da corretora para novas aquisições abrem caminho para novas revisões de suas projeções, concluíram Renata Faber e Thiago Macruz.

 

Contato