Em laep

Adiamento de assembleia da Laep é vista com desconfiança; fusão sai ou não?

A companhia está envolta de controvérsia, o que já fez surgirem movimentos de minoritários unidos e a justiça bloquear os bens e as participações societárias da companhia e do controlador

caixas de leite Parmalat - Laep
(Wikimedia)

SÃO PAULO - A Laep Investments (MILK11) vê os seus BDRs (Brazilian Depositary Receipts) recuarem 3,92% na tarde desta quarta-feira (13), atingindo os R$ 0,49. O movimento é estranho, visto que a companhia em breve deverá fechar o capital, para fundir-se com a empresa Prosperity. 

A companhia está envolta de controvérsia, o que já fez surgirem movimentos de minoritários unidos e a justiça bloquear os bens e as participações societárias da companhia e de Marcus Elias, seu controlador. A companhia, acreditam a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e o Ministério Público Federal, infrigiu normas que regem o mercado de valores nacional - atendendo à um pedido dos minoritários da companhia, que se sentiam prejudicados pela constante emissão de ações para capitalização e desdobramentos. 

Dessa forma, a empresa adiou na última terça-feira (12) a assembleia que votaria essa fusão, sendo a segunda vez que essa decisão foi adiada - o primeiro adiamento ocorreu dois depois do dia em que Elias teve seus bens congelados pela Justiça. Assim, posterga-se essa decisão para a semana que vem, dia 19. Cada adiamento não é bem visto pelo mercado, que começa a duvidar se a operação vai ou não ocorrer, o que pode acabar influenciando o movimento das ações.

De 2011 pra cá, a Laep realizou dois grupamentos com o intuito de tirar as cotações dos BDRs da incômoda casa dos centavos, mas o que se viu meses após cada grupamento foi o retorno das ações aos patamres abaixo de R$ 1,00. Contudo, após o anúncio de que a Prosperity pagaria R$ 0,517 para cada BDR que os investidores detivessem, passando a ficar com o total de ações da companhia e todas as suas obrigações no Brasil, o movimento desses ativos ficou bem menos intenso.

Apostas erradas
Há uma justificativa para a queda e o subsequente grupamento de ações para capitalizar a empresa: a Laep apostou no mercado de leites através da LBR, com a famosa Parmalat, e na marca Daslu, de produtos de luxo para mulheres - mas envolta em controvérsia e crimes fiscais.

Atualmente a Daslu está praticamente de mal a pior, com seus principais pontos de venda fechados e o mercado minguando, enquanto o mercado de leites é extramente problemático e conta com margens bastante pressionadas, com a LBR entrando em recuperação judicial. 

 

Contato