Milhas: o que são, como funcionam e o que fazer com elas

As milhas podem ajudar a economizar em viagens ou mesmo na compra de produtos e serviços. A seguir, entenda como funciona essa bonificação

arrow_forwardMais sobre

Mesmo com a evolução da vacinação e o maior controle sobre a pandemia, não dá para dizer que o cenário está favorável para quem deseja viajar no fim de ano ou nas próximas férias.

O motivo é simples: as passagens aéreas tiveram aumento de 50,11% no acumulado dos últimos 12 meses. Por sua vez, os pacotes turísticos tiveram reajustes de quase 17% no mesmo período. É o que apontam os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 10 de novembro.

Em meio à alta geral dos preços, utilizar milhas pode ser a solução para viabilizar aquela viagem planejada. Pensando nisso, o InfoMoney criou esse guia com tudo o que você precisa saber sobre milhas.

• O que são milhas
• Como funciona um programa de milhas
• Diferença entre pontos e milhas
• Como acumular milhas
• Como transferir pontos para milhas
• Como consultar as milhas
• Como vender as milhas

O que são milhas?

As milhas aéreas são uma retribuição concedida pelas companhias aos clientes. Ao se cadastrar em um programa de milhas, você passa a ser bonificado cada vez que voa pela empresa.

Trata-se de um incentivo para que você utilize a mesma companhia cada vez que for viajar. Fatores como distância percorrida, classe da cabine e valor da tarifa influenciam na quantidade de milhas que serão recebidas pelo cliente. Ao acumular milhas, você pode receber descontos nas passagens ou, em determinados casos, até mesmo o valor integral do bilhete aéreo.

Como funciona um programa de milhas?

Um programa de milhas oferece a chance de acumular bonificações, que podem ser trocadas por passagens aéreas ou por outros produtos ou serviços.

A adesão a um programa de milhas é gratuita. Basta entrar no site da companhia aérea e realizar o cadastro. Para a validação do cadastro, não é preciso realizar nenhuma compra.

Na sequência, conheceremos os principais programas de milhas aéreas do Brasil.

Pontos e milhas: existe diferença?

De forma geral, pontos e milhas são utilizados como sinônimos quando nos referimos a passagens aéreas. E, de fato, a proposta de ambos é bem semelhante.

Os pontos são bonificações que você acumula cada vez que utiliza o seu cartão de crédito. Você pode trocar esses pontos por produtos e/ou serviços diversos (a depender do programa de cada banco) ou transferi-los para companhias aéreas para transformá-los em milhas.

É importante também saber que a transferência de pontos só pode ser feita de bancos para companhias aéreas. Isso significa que não é possível transferir pontos entre bancos ou entre as empresas aéreas. Por isso, se você está pensando em aderir a um programa de milhas, é melhor concentrar os seus pontos em um deles do que diluí-los em várias companhias aéreas, ao menos no início da acumulação. Dessa forma, conseguirá mais rapidamente obter a quantidade de milhas necessárias para trocar por um trecho aéreo.

Quer sair da poupança, mas não sabe por onde começar? Esta aula gratuita com a sócia da XP mostra como fazer seu dinheiro render mais, sem precisar assumir mais riscos.

E como escolher o melhor programa de milhas?

Cada programa de milhas possui as suas próprias peculiaridades. Para escolher o melhor, você precisa analisar as regras de funcionamento de cada um e, então, entender qual o mais adequado às suas necessidades.

Essas diferenças podem estar na quantidade de milhas exigidas para trocar por uma passagem, na validade dos pontos, nos benefícios oferecidos (como franquia de bagagem, acesso à sala VIP do aeroporto ou check-in preferencial, por exemplo).

Outro aspecto importante a considerar é a sua rotina de viagens. Se você é um viajante habitual, quais trechos costuma realizar com mais frequência? Quais companhias atendem esses trechos? Se o seu objetivo são voos internacionais, procure saber quais são as companhias parceiras que realizam os trechos de sua preferência. Tudo isso lhe ajudará a fazer a escolha do programa de milhas mais adequado.

Como acumular milhas

A utilização do cartão de crédito (tanto para compras quanto para pagamento de boletos) e a compra de passagens aéreas são as formas mais conhecidas de acumular milhas.

No caso das passagens aéreas, é importante saber que a pontuação não acontece automaticamente quando você faz a compra. Dessa forma, você precisa solicitá-la no momento do check in. Caso esqueça de pedir os pontos no balcão de embarque, é possível fazer a solicitação posteriormente à companhia.

Para isso, você precisará entrar no site da companhia, preencher a solicitação de pontuação e anexar uma cópia da passagem e do seu cartão de embarque. Mas atenção: existe um prazo para fazer esse pedido, que vai de seis meses a um ano do embarque, dependendo da companhia. Por fim, mesmo que você tenha feito a solicitação de pontuação no embarque, é bom confirmar dias depois no site da empresa se os pontos efetivamente entraram na sua conta. Isso porque, eventualmente, há falhas nesses registros.

Além do cartão e das passagens, existem outras estratégias que ajudam a aumentar a velocidade com que você acumula milhas. A seguir, confira as principais.

1 – Compras em sites de parceiros

Todos os programas de fidelidade possuem parcerias com empresas de e-commerce, hospedagens, locação de veículos e diversos outros serviços. Ao comprar algum produto ou serviço desses parceiros, você estará pontuando duplamente: pela utilização do cartão de crédito e pelo bônus oferecido pelo parceiro na compra.

Por exemplo, a Localiza oferece um programa de fidelidade para todos os clientes que alugarem um carro. No momento da adesão ao programa, é emitido um cartão virtual que fica à disposição do participante, que ele pode consultar no site ou aplicativo da empresa.

Basicamente, esse programa concede um ponto a cada real gasto com a locação do veículo. Com o passar do tempo e a utilização dos serviços, a categoria do cliente vai evoluindo (existem três) e pontos-bônus vão sendo conquistados.

No caso da Localiza, existem também vantagens para os clientes do programa de fidelidade da GOL, o Smiles. Os clientes Smiles ainda ganham cinco milhas por real gasto na locação do carro e, se for assinante do Clube Smiles (veremos na sequência como funcionam os clubes de milhas), o número de milhas passa para sete a cada real gasto.

Outro exemplo é o programa de pontos Livelo, que possui parceria com o LATAM Pass (programa de fidelidade da LATAM) e com algumas varejistas. Frequentemente, esses parceiros anunciam promoções de curta duração, que multiplicam os pontos no programa de fidelidade. Por exemplo, se o normal é um ponto a cada real gasto, em uma promoção você pode encontrar uma bonificação de 10, 20 ou até mais pontos a cada real. Vale a pena acompanhar esses sites.

2 – Promoções de transferências de pontos

Outra boa forma de multiplicar as milhas são as promoções de transferências de pontos do cartão de crédito para os programas de fidelidade das companhias aéreas, que acontecem com frequência.

Por exemplo, uma companhia aérea oferece 80% de bônus a quem transferir 100 mil pontos para o seu programa de fidelidade. Dessa forma, o cliente que fizer isso passará a ter 180 mil pontos para converter em milhas aéreas.

Mas atenção: para que esse tipo de promoção valha a pena, é muito importante observar o vencimento das milhas promocionais. Isso porque, normalmente, o prazo de validade dessas milhas é menor do que o das conquistadas por meio do cartão, companhias aéreas e parceiros.

A validade das milhas muda de acordo com as regras de cada companhia. Em média, o prazo é de dois anos, podendo chegar a 10 anos em algumas categorias do programa Smiles da GOL, por exemplo. Porém, no caso das milhas promocionais, esse tempo costuma ser reduzido para um ano ou, eventualmente, até seis meses. Portanto, fique atento a esse detalhe antes de transferir seus pontos nesse tipo de promoção.

3 – Parcerias de cada programa de milhas aéreas

Os principais programas de milhas aéreas do Brasil são o Smiles (da GOL), o LATAM Pass (da LATAM) e o TudoAzul (da Azul).

Algumas das parceiras internacionais da GOL são American Airlines, Aerolineas, Copa, Avianca, KLM, Air France. Por sua vez, são parceiras da LATAM as companhias British, Cathai Pacific, Delta, Finnair, Malaysia, Qatar, entre outras. Já a Azul possui acordos de voos com Copa, TAP, United, Turkish e Air Canada, por exemplo. Isso significa que você também pode acumular pontos dos programas das companhias brasileiras quando voa com suas parceiras.

4 – Clubes de milhas

Os programas de fidelidade possuem os clubes de milhas. Mediante o pagamento de uma mensalidade, os membros dos programas podem acumular uma quantidade determinada de milhas fixas por mês.

O Clube Smiles, por exemplo, oferece seis planos diferentes, com assinaturas mensais de R$ 39,90 a R$ 778,00. Já o LATAM Pass trabalha com mensalidades de R$ 42,90 a R$ 369,90 e três categorias de associados. No caso do TudoAzul, são cinco opções de planos, que vão de R$ 39,00 a R$ 699,00 por mês.

Mas não são somente milhas adicionais que os membros desses clubes ganham. Há também outras facilidades, como valores diferenciados na transferência dos pontos do cartão para a companhia e descontos no resgate de passagens, por exemplo. Além disso, esses clubes oferecem comodidades nos aeroportos, como acesso às salas VIP, embarque preferencial e outros peculiares de cada companhia.

Para quem viaja com regularidade e usa outras fontes de acumulação de pontos, os clubes são um bom complemento para acelerar a geração de milhas.

Como transferir pontos para milhas

É por meio dos programas de fidelidade que você consegue transformar seus pontos em milhas. Por isso, a primeira coisa que deve fazer é descobrir qual o programa de fidelidade do seu banco.

A maioria dos bancos oferece, ao menos, uma categoria de fidelidade gratuita. Por isso, é importante checar junto ao banco como funciona cada programa. No caso dos pagos, é preciso avaliar se o volume de gastos no cartão compensa os valores que serão cobrados.

Feita a transferência dos pontos para o programa do banco, o próximo passo é fazer o cadastro no programa de fidelidade da companhia aérea. Você pode se cadastrar em todas as companhias que quiser, pois nenhuma delas cobra pelo cadastro.

Por fim, com o cadastro feito na empresa aérea, você já pode transferir os seus pontos para transformá-los em milhas. Porém, nesse momento, há alguns detalhes que você precisa observar. O primeiro deles é saber se o seu banco possui um limite mínimo de pontos para a transferência. Esses valores podem variar com o tempo ou de acordo com o tipo de programa de fidelidade ao qual você aderiu.

A segunda questão a observar é o momento no qual você fará a transferência. Como vimos, é sempre melhor transferir os pontos para as companhias em períodos de promoções, para que você possa multiplicar as suas milhas.

Como saber quantas milhas eu tenho?

Para consultar as suas milhas, basta você fazer o login no site da companhia aérea na qual você se cadastrou. Lá, você encontrará o número de milhas que você adquiriu com o tempo, bem como os pontos a vencer.

Posso vender minhas milhas?

Se você tem milhas acumuladas e não pretende viajar, vendê-las pode ser uma boa alternativa para rentabilizar esse benefício antes do vencimento. Mas primeiro, é preciso entender como funciona esse processo, pois você não pode, simplesmente, pegar as suas milhas e vendê-las a uma pessoa da forma que desejar.

Atualmente, a maioria dos programas de fidelidade do Brasil já permite que os seus participantes transfiram milhas entre si. No entanto, cada empresa tem a sua forma de tratar esse tipo de operação e, normalmente, os custos de transferência de titularidade de milhas são elevados.

A alternativa a isso é negociar as milhas por meio de empresas especializadas nessas transações.

Basicamente, essas empresas funcionam de duas maneiras. Uma delas é como um marketplace, no qual você anuncia a quantidade de milhas que deseja vender (em múltiplos de mil) e estabelece o valor desejado. Se houver comprador interessado, a empresa intermediará a negociação, e cobrará uma comissão por isso.

A outra forma é quando a própria empresa compra as milhas. Nesse caso, você entra no site e informa o seu programa de fidelidade e a quantidade de milhas que deseja vender. Minutos depois, a empresa encaminha cotações para o seu e-mail, com diferentes valores que consideram o prazo de pagamento.

Veja um exemplo de cotação de 50.000 milhas realizada em 21/11/2021 nos sites da MaxMilhas e HotMilhas, duas das principais empresas de negociação de milhas do Brasil:

MaxMilhas

  • LATAM Pass: R$ 750 (pagamento em 33 dias)
  • Smiles: R$ 1.000 (pagamento em 33 dias) ou R$ 700 (pagamento em 2 dias)
  • TudoAzul: R$ 1.100 (pagamento em 33 dias) ou R$ 950 (pagamento em 2 dias)

HotMilhas

  • Latam Pass: R$ 950 (pagamento em 45 dias)
  • Smiles: R$ 1.000 (pagamento em 45 dias)
  • TudoAzul: R$ 1.250 (pagamento em 45 dias)

Perceba que, na maioria das vezes, as empresas realizam o pagamento depois de vários dias da negociação. E, quando o fazem em menos tempo, o valor pago sofre um considerável desconto. Esse é mais um ponto a ser avaliado na venda de milhas.

Atenção aos riscos nas vendas de milhas

Para concluir a operação, você precisará passar para a empresa que comprou as suas milhas o seu login e senha do programa de fidelidade. De posse dos seus dados, a empresa emitirá o bilhete aéreo ao beneficiário de suas milhas e, posteriormente, fará o pagamento a você.

O mercado de milhas não possui regulamentação no Brasil. Embora hoje a maioria dos programas de milhagem já admitam essa prática, há sempre algumas barreiras sendo criadas, como taxas altas para a transferência de pontos e a limitação de CPF, que define uma quantidade máxima de bilhetes que podem ser emitidos para terceiros.

Por outro lado, as empresas que negociam milhas se amparam no fato de que não existe proibição expressa para a transação. Além disso, defendem que o consumidor tem o direito de decidir o que fazer com seus pontos.

O fato é que essas empresas possuem total acesso a dados sigilosos dos clientes. Por isso, é muito importante pesquisar a sua idoneidade antes de fechar qualquer negócio. Ao consultar o Reclame Aqui, veremos que, mesmo as empresas maiores e que atuam há mais tempo no mercado possuem inúmeras reclamações sobre atrasos de pagamento ou não recebimento, muitas delas sem retorno ou respondidas com bastante atraso. Enfim, a venda de milhas é um negócio arriscado e, como vimos, sem regulamentação que ampare o consumidor.

Principais programas de milhas

A seguir, veja mais detalhes sobre os três principais programas de milhas do Brasil:

Smiles

O cartão de crédito GOL Smiles possibilita a acumulação de 1,35 a 2,2 milhas por dólar gasto, dependendo da categoria do cartão. Nas compras de passagens no site da GOL, o cliente ainda ganha uma milha adicional.

No Shopping Smiles, o cliente tem a opção de trocar as suas milhas por produtos junto aos seguintes parceiros: Magazine Luiza, Ponto, Netshoes, Postos Shell, Camicado, Polishop, Rede Accor, Extra e Top Store.

LATAM Pass

Além das passagens aéreas, o programa permite acumular pontos também ao utilizar os parceiros de e-commerce, hospedagens e outros serviços. Esses pontos podem ser trocados por passagens e por produtos e serviços junto a empresas como Casas Bahia, PontoStore, Avent, Intelbras, Concha y Toro, LG, L’Occitane, Kopenhagen, Motorola, Nespresso, Philco, Phillips, entre outros.

TudoAzul

O programa possui quatro categorias de participantes, que oferecem vantagens na compra de passagens, franquias de bagagens, descontos em estacionamentos, cortesias no Espaço Azul em voos nacionais, entre outros.

No Shopping TudoAzul, é possível resgatar e acumular pontos junto a parceiros como Americanas, Casas Bahia, Apple, Renner, Rappi, Rentcars, Magazine Luiza, Portal das Malas, Rede Accor, Netshoes, Ponto, entre outros.

Cadastre-se na IMpulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.