Em educacao / guias

Como superar seu viés enquanto investidor?

Entenda qual o seu objetivo e estabeleça metas claras de como alcançá-lo; reveja suas decisões periodicamente e nunca deixe de diversificar

SÃO PAULO - Se você é daqueles que mistura emoções com decisões de investimento, certamente está se perguntando como evitar que isso aconteça.

Ao admitir que tem um viés na hora de investir, e que suas decisões não são guiadas puramente por informações e análise, mas também por emoções, você já deu o primeiro passo na direção de superar este problema.

Qual o seu objetivo?
O passo seguinte parece bastante simples, mas nem sempre o é. Você precisa entender por que está investindo o seu dinheiro. Aqui não há espaço para objetivos vagos, como "eu quero ter uma aposentadoria tranqüila". Você precisa ser bastante específico, pois só assim conseguirá, efetivamente, apurar o quanto precisa acumular para alcançar a sua meta.

Por exemplo: estime o quanto irá receber de aposentadoria da Previdência Social; some a isso outras rendas que já possui, e calcule quanto precisa ter de renda adicional para manter o seu padrão de vida. Com esta informação em mãos, e assumindo que irá ter uma sobrevida de 20 anos após sua aposentadoria, você pode estimar o quanto exatamente precisa acumular para alcançar seu objetivo.

A título de ilustração, vamos assumir que precise garantir uma renda extra de R$ 5 mil por 20 anos! E que, durante o período em que estiver aposentado, este dinheiro irá render 0,5% ao mês. Dito isso, você sabe que precisa juntar uma reserva financeira de quase R$ 700 mil ao se aposentar. É a isso que chamamos estabelecer um objetivo!

Na hora de investir, estabeleça regras
Está bem, você já sabe que, para alcançar o objetivo de se aposentar com tranqüilidade, precisa juntar um patrimônio de R$ 700 mil. Mas como chegar lá? Como evitar que o seu viés na hora de investir lhe impeça de alcançar seus objetivos?

Simples, estabeleça critérios quantitativos bastante precisos de como pretende investir. Em outras palavras, nada de argumentos vagos como, "vou colocar uma parte em renda fixa, e outra em renda variável". Ao invés disso, estabeleça metas do tipo, "vou direcionar 80% das minhas economias para aplicações em renda fixa, e o restante em renda variável. Só irei rever este percentual quando o meu patrimônio alcançar ao menos R$ 350 mil."

Mais do que isso, deve ser bastante preciso na escolha das aplicações que irão compor a sua carteira de investimento. Por exemplo, na parcela destinada à renda variável, você pode estabelecer que não investirá em ações de empresas que não sejam cotadas há ao menos dois anos, ou que os analistas não tenham projetado crescimento do faturamento de ao menos 10% ao ano, e assim por diante.

Diversifique sempre
Nada melhor do que diversificar para diluir qualquer tipo de viés de investimento que você possa ter.

Por exemplo, se você é daqueles que adora investir em imóveis, pois gosta da proteção em tijolo, e sempre que pode acaba comprando mais um terreno, vai naturalmente evitar o seu viés, se estabelecer a diversificação como regra básica de investimento.

A adoção de metas claras também ajuda aqui. Ou seja, ao invés de falar em diversificação em termos genéricos, estabeleça critérios do tipo "o investimento em imóveis não vai superar mais do que metade do meu patrimônio".

Mesmo que você só direcione uma parcela do seu patrimônio para o investimento em ações, você não estará diversificando se colocar todo este dinheiro nos mesmos papéis.

Revisão periódica é importante
Uma forma de se impor isso é estabelecer metas periódicas de revisão da sua estratégia de investimento. Separe seu patrimônio em duas partes: uma parcela contendo a maior quantia do seu patrimônio, que deve ser preservada e mantida, e outra que pode ser negociada de maneira mais ativa, e que pode ser redirecionada periodicamente, de acordo com as condições do mercado.

Isso permite que a maior parte do seu patrimônio esteja investida no longo prazo, e assim se beneficie de uma alíquota mais baixa de imposto de renda, mas lhe dá flexibilidade para rever investimentos constantemente, caso as condições de mercado assim exijam. Sempre que se sentir tentado a efetuar uma decisão de investimento, reflita se a mesma se enquadra nos objetivos que traçou, ou se é fruto de um viés que você está, aos poucos, aprendendo a controlar.

 

Contato