Em educacao / guias

Altos dividendos atrai acionistas, mas pode ser prejudicial à empresa

O pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio pode prejudicar os investimentos da companhia em suas operações

SÃO PAULO - Quando um investidor decide comprar uma ação, ele é recompensado através de duas formas, pela valorização da ação no tempo e pela distribuição de proventos em dinheiro, como dividendos e juros sobre capital próprio (JCP). De fato, cada vez mais o volume de proventos distribuído é valorizado pelo acionista e considerado um indicativo do grau de compromisso da empresa com o mercado.

As ações das empresas que possuem uma política de maior distribuição de dividendos e juros conseguem, em geral, atrair um número maior de investidores. Por outro lado, existe um elemento desfavorável, já que essas companhias utilizam uma fatia dos lucros retidos que poderia ser utilizada no financiamento de novos projetos para pagar os acionistas. Tais projetos poderiam render mais e inclusive aumentar o valor da companhia e conseqüentemente da ação.

Investidor quer bons dividendos
Entre a promessa de valorização das ações no futuro, com os investimentos em novos projetos, ou a entrada de caixa periodicamente, via dividendos, o investidor geralmente tem escolhido este último. Nem sempre o investidor está disposto a esperar tanto pelo retorno do dinheiro que aplicou. Assim, o volume de proventos torna-se relevante.

Não apenas o montante, como também a consistência dos pagamentos é importante. Isso porque não adianta um pagamento expressivo em um ano e nenhum tipo de remuneração no ano seguinte. O acionista valoriza quando recebe pagamentos com regularidade e com um volume mínimo garantido.

É preciso investir na empresa
Entretanto, distribuir montantes elevados de dividendos pode ser prejudicial à empresa. Com raras exceções, as empresas precisam realizar os investimentos necessários para continuar crescendo no seu negócio principal. Isto é, o pagamento de dividendos não pode sacrificar a evolução do empreendimento. Vale lembrar que o lucro retido é uma forma menos onerosa de financiamento da empresa.

Quando as empresas adotam uma política agressiva de dividendos, cresce o número de investidores interessados em suas ações, que trazem mais recursos para as companhias. Além disso, existe uma redução da volatilidade das cotações e vantagens futuras para a evolução do mercado de capitais brasileiro.

Conhecer a política de dividendos da empresa
A empresa deve tentar otimizar seus gastos com proventos, de modo que possam atrair acionistas, mas, ao mesmo tempo, que não sacrifiquem os investimentos em suas operações. Vale lembrar que a companhia não tem total liberdade com relação ao pagamento de proventos, pois existem normas que visam assegurar um mínimo para o acionista, como o intervalo máximo entre os pagamentos.

Mesmo com essas normas, é importante conhecer a política de dividendos da empresa antes de adquirir sua ação. Na grande maioria das vezes essa informação pode ser obtida no Estatuto Social da empresa, que pode ser consultado através do próprio site da companhia, na sessão "relações com investidores". Dados como intervalo de pagamento e volume mínimo distribuído podem estar disponíveis, mas as perspectivas de crescimento da empresa também interferem na distribuição de proventos. Se estiver com dúvidas, é importante tentar se informar, para tomar a decisão de aplicação mais adequada com o seu perfil.

 

Contato