Em educacao / guias

Na hora de investir, quanto antes melhor!

Se existe uma regra de ouro que se adapta a qualquer estratégia de investimento é a de que quanto antes você começar a investir melhor

SÃO PAULO - Quando o assunto é investimento, existem várias estratégias que podem ser adotadas. Cada uma busca atender a um objetivo específico de investimento. Mas, se existe uma regra que se adapta a qualquer estratégia, é a de que quanto antes você começar a investir, melhor.

Ainda que nunca seja tarde para começar a investir, é inegável que, quanto antes você iniciar, mais poderá usar o tempo a seu favor. Mesmo que já tenha passado dos 50 anos e que só agora tenha percebido que não acumulou nenhuma reserva de emergência, isso não significa que deva simplesmente abandonar este objetivo, pois a segunda regra de ouro no que refere a investimento é que antes tarde do que nunca!

Muitas pessoas acreditam, contudo, que é preciso acumular uma certa quantia para começar a investir, ou que é preciso ter um certo conhecimento, caso contrário, fica-se à mercê dos bancos. Isso não é verdade.

Dinheiro parado é corroído pela inflação
Mesmo quem conta com uma pequena quantia para investir, e pouco conhece do mercado, pode optar pela aplicação em poupança e certamente estará melhor do que se não tivesse investido. Aqui é importante lembrar que dinheiro parado não está protegido, pois é diariamente corroído pela inflação.

Mesmo em aplicações de baixo retorno como a poupança, investir é muito melhor do que deixar o dinheiro parado na conta corrente, ou gastar em consumo, visto que em ambos os casos o patrimônio do investidor provavelmente teria diminuído. Para quem argumenta que o bem consumido poderia sofrer valorização, resta lembrar que, em geral, isso não ocorre e na maioria das vezes as pessoas sequer conseguem vender esse tipo de bem pelo preço que pagaram.

Corrigindo a tempo
O tempo funciona a favor de quem investe, em primeiro lugar porque permite a correção de erros na sua estratégia. Já imaginou começar a investir aos 40 anos, e logo de cara perder boa parte do capital? Neste caso, o tempo que você tem para recuperar o dinheiro perdido é bem menor do que se tivesse começado a investir alguns anos antes.

Além disso, quanto antes você começar a investir mais rápido aprende; conseqüentemente, as perdas decorrentes dos seus erros tendem a ser menores. Em outras palavras: é bastante provável que, ao começar a investir, você logo conte com um volume menor de recursos; portanto, suas perdas tendem a ser menores. E, como em geral aprendemos com nossos erros, quanto antes você se arriscar melhor.

De grão em grão...
Esta é, sem dúvida, a maior vantagem de se investir o quanto antes. Para ilustrar melhor a situação, vamos assumir duas pessoas distintas. As duas optaram pelo mesmo tipo de aplicação em renda fixa, que rende em termos líquidos, por exemplo, 0,64% ao mês.

A primeira pessoa começou a investir aos 20 anos, e efetuou aportes mensais de R$ 500 por 10 anos, depois do que apenas manteve o dinheiro aplicado por outros 35 anos, quando então se aposentou aos 65 anos. Ao final do período, esta pessoa acumulou R$ 1,318 milhão.

Porém, veja o que aconteceria se esta mesma pessoa começasse a poupar, aos 45 anos, o equivalente a R$ 500 por mês, até completar 65 anos. Mesmo tendo feito aportes por 20 anos, ao invés de 10 anos como no caso anterior, ela acumularia uma quantia bem menor, de pouco menos do que R$ 285 mil.

A diferença se deve ao que chamamos de poder multiplicativo dos juros. Mesmo tendo feito aportes menores, de R$ 60 mil, o fato de ter mantido o dinheiro aplicado por 45 anos garantiu o acumulo de uma reserva mais do que quatro vezes maior do que se tivesse feito um porte maior, de R$ 120 mil, mas investisse por apenas 20 anos.

Quando o tempo é benéfico
É importante notar que investir implica em riscos, e que é praticamente impossível garantir que uma aplicação irá pagar um retorno fixo por um período de 65 anos. Porém, o que se pode afirmar com certeza é que, assumindo uma aplicação em renda fixa extremamente conservadora, e isenta de taxas e impostos, pode se isolar o efeito multiplicador dos juros.

Não há dúvidas de que, dependendo da estratégia adotada, você irá correr riscos, e pode até perder parte do patrimônio investido. Muito provavelmente optará ainda pela diversificaçãode investimentos, o que certamente implicará no pagamento de algumas taxas e impostos, visto que somente a poupança é completamente isenta.

Mesmo sob essas circunstâncias, em que não se pode prever o retorno de forma tão precisa como na ilustração acima, uma certeza é possível ter: quanto antes você começar a investir, maiores as chances de alcançar o seu objetivo financeiro. Pois, pelo menos em investimento, o tempo sempre está a seu favor.

 

Contato