Em educacao / guias

Mercado a termo de ações na Bovespa: conheça esta modalidade de investimento

Entenda os mecanismos básicos deste mercado e aprenda a calcular o valor de uma ação negociada em contratos a termo

SÃO PAULO - Se você tem interesse e um pequeno conhecimento das regras de mercado financeiro já deve ter percebido que existem muitas formas de participação no mercado acionário. Hoje em dia, graças à evolução dos mecanismos de investimento, a compra e a venda de ações pode ser realizada de diferentes formas nas Bolsas de valores.

Um meio de participação muito utilizado pelos investidores é a compra de papéis e valores mobiliários no mercado a termo. Mas você conhece as regras que regem este mercado?

Como funciona o mercado a termo?
Uma operação a termo nada mais é do que a compra ou venda de ativos para liquidação futura, onde o comprador e o vendedor acertam a cotação e o prazo dos papéis, com a garantia de que na data combinada o comprador entregará o dinheiro e receberá as ações.

Normalmente os contratos podem ser liquidados em um prazo mínimo de 12 dias úteis e máximo de 999 dias corridos, porém na Bovespa a liquidação ocorre entre 30 e 180 dias, sempre em múltiplos de 30, a partir da data da negociação.

A operação pode ser realizada em pregão normal ou através do sistema eletrônico de negociação, sendo que todas as ações negociadas na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) podem ser objeto de um contrato a termo.

As regras de negociação do mercado a termo são muito parecidas com as estabelecidas nos negócios à vista, sendo obrigatória a participação de uma corretora, que responderá pela intermediação do negócio, representando seu cliente, o investidor, em pregão.

É possível acompanhar, pela rede de terminais da Bovespa, todas as operações do mercado a termo realizadas em pregão. Além disso, após o fechamento do mercado, todas as informações relevantes são registradas no site da Bovespa e publicadas diariamente nos principais jornais de grande circulação.

Como calcular o valor de um contrato a termo?
O preço de uma ação negociada a termo é calculado a partir da soma do valor atual de uma ação, mais uma parcela correspondente aos juros, que são livremente fixados pelo mercado, de acordo com o prazo estipulado no contrato.

Toda operação realizada no mercado a termo na Bovespa requer um depósito de garantia na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), órgão responsável pela liquidação e controle de risco de todas as operações realizadas na Bolsa de Valores de São Paulo.

A corretora e o agente de compensação, responsáveis pela operação a termo, poderão também impor a seus clientes garantias adicionais àquelas exigidas pela CBLC. Habitualmente essas garantias são prestadas sob as formas denominadas cobertura ou margem.

O que é Cobertura e o que é Margem?
O investidor, no caso o vendedor a termo, pode realizar a cobertura do negócio, se possuir os títulos-objeto da operação, depositando-os na CBLC. A grande vantagem da "cobertura" é que o vendedor fica isento de prestar garantias adicionais.

Já a margem inicial representa a diferença entre o preço a vista e o preço a termo do papel somado ao valor resultante da avaliação da volatilidade e liquidez histórica dos papéis. Para se chegar a esse valor, a CBLC criou um sistema de avaliação classificando determinadas ações em diferentes intervalos de margem. Desta forma, os ativos com maior liquidez e menor volatilidade são classificados nos menores intervalos e requerem menores depósitos iniciais.

Além disso, o investidor tem a obrigação de "reforçar" seu aporte inicial sempre que, devido a variações na cotação dos títulos-objeto ou dos títulos depositados como garantia do negócio, a margem inicial apresentar redução em seu valor.

Finalizando, além das garantias exigidas, o investidor tem de arcar com outros custos como a taxa de corretagem, taxa de registro, emolumentos, taxa cobrada pela CLBC e imposto de renda que incide sobre todas as operações financeiras.

Como liquidar um contrato a termo?
O detentor de um contrato a termo pode optar por liquidar uma operação tanto no vencimento do contrato como em qualquer dia anterior. Porém, independente da data escolhida para liquidação, o comprador do contrato a termo terá de pagar o valor integral combinado.

Quanto um investidor compra um contrato a termo, todos os direitos e possíveis proventos que venham a ser distribuído pela companhia emissora dos papéis, a partir da data de aquisição do contrato, passam a ser de sua responsabilidade. Caso exista, o repassasse desse valor será concretizado na data de liquidação do contrato, concomitantemente à entrega das ações-objeto ou segundo norma da CBLC.

 

Contato