Em educacao / guias

Vantagens e desvantagens das franquias - Para o franqueado

Vantagens e desvantagens das franquias - Para o franqueado

Vantagens

Maior garantia de sucesso
Numa operação de Franchising estruturada corretamente o franqueado adquire o conhecimento necessário à instalação, operação e gestão de um negócio cujo "modelo" já foi testado e comprovado na prática.

Um bom franqueador, que seja ético, sério e profissional e que não queira colocar em risco a sua marca, terá testado exaustivamente, em uma ou mais unidades-piloto (instaladas, operadas e geridas pelo próprio franqueador e não por um "franqueado-cobaia"), o "conceito" de negócio que o franqueado será autorizado a reproduzir. Este é um dos motivos pelos quais a probabilidade de sucesso de uma franquia é maior que de um negócio independente.

Marca conhecida
Muitas vezes, a marca do franqueador já é bastante conhecida do público consumidor. Ou, graças aos esforços cooperados de todos os integrantes da rede, tem melhores chances de se tornar mais conhecida do que uma marca nova que esteja na fachada de um único negócio que o empreendedor precisa desenvolver do zero.

Facilidade na instalação
Um bom franqueador, que esteja preparado de verdade para cumprir seu papel, preocupa-se em oferecer a seus franqueados toda uma série de benefícios e serviços que facilitam a implantação e o início da operação, especialmente no que se refere a:

  • Assessoria na escolha do "ponto".
  • Projeto para a instalação da unidade.
  • Assessoria na aquisição dos materiais, instalações, estoques e insumos.
  • Treinamento e orientação quanto a práticas administrativas e comerciais.
  • Outros aspectos do negócio determinantes para o sucesso do mesmo.

Propaganda e marketing cooperados
Muitos franqueadores organizam e coordenam Fundos Cooperativos de Propaganda e Marketing das respectivas redes, ou se utilizam de outros mecanismos semelhantes, que permitem utilizar englobadamente (e, portanto, de maneira muito mais eficaz) as quantias que os franqueados destinam à divulgação da marca e/ou dos seus produtos/serviços.

Desenvolvimento contínuo
Os franqueadores mais bem-estruturados têm condições de coletar informações e sugestões de cada um dos integrantes da rede para, em seguida, processá-las e repassá-las aos demais. Além disso, os próprios franqueados de cada rede costumam manter contato entre si para a troca de idéias e experiências com relação aos mais diversos aspectos do negócio.

Aliás, vários franqueados afirmam que, depois de algum tempo nessa condição, quando já absorveram do franqueador as informações e os conhecimentos mais importantes que o mesmo tinha a lhes oferecer, a melhor coisa que a franquia lhes traz é, precisamente, a possibilidade de manter um permanente intercâmbio com os demais integrantes da rede, o que garante que cada um aprenda com os demais e que todos trabalhem juntos para o bem e o sucesso da rede como um todo.

 Maior poder de negociação
Um indivíduo, ao adquirir uma franquia, passa a obter um poder de negociação próprio de uma rede com inúmeras unidades, o que seria impossível se ele estivesse sozinho.

Devido ao tamanho da rede e à sua perspectiva de crescimento, o franqueado consegue ter acesso a preços reduzidos e condições de pagamento (e, em alguns casos, de entrega também) mais facilitadas e, inclusive, junto a alguns fornecedores com os quais jamais conseguiria fechar uma negociação por conta própria.

 Desenvolvimento de novos métodos e produtos
Um bom franqueador se preocupa com a pesquisa e o desenvolvimento constante de novos serviços, produtos, métodos e sistemas para sua rede de franquias.

 Um franqueador que se preze estará permanentemente estudando a concorrência, procurando por novas idéias, firmando novas parcerias, fazendo projeções, acompanhando as variações demográficas do mercado e criando novos produtos e serviços para que os franqueados possam manter um bom nível de vendas.

 Veja a seguir, as vantagens oferecidas pelas franquias. 

  • Perspectiva de sucesso de um negócio já experimentado, com marca consagrada no mercado. 
  • Planejamento e pesquisas, orientações e aperfeiçoamentos sob a responsabilidade do franqueador. 
  • Conhecimento do mercado, pontos fortes e fracos, com apoio de especialistas. 
  • Instalação (comunicação visual/arquitetura). 
  • Economia de escala em compras de maiores volumes e custos de propaganda, promoções. 
  • Maiores facilidades de acesso a créditos. 
  • Retorno mais rápido que nos negócios independentes. 
  • Independência jurídica.

Desvantagens

Riscos inerentes à má escolha do franqueador
Há inúmeros riscos que podem resultar de uma escolha mal feita, no que se refere ao franqueador a quem o franqueado se vincula. Há franqueadores que nem chegam a se dar conta de que, ao iniciarem a concessão de franquias, estão ingressando num novo ramo de negócios. Ou seja: nem sabem o que significa ser um franqueador.

Conceder franquias é muito diferente de vender ou ministrar cursos de inglês, comercializar livros, roupas ou sapatos, prestar serviços gráficos, servir refeições etc. Afinal, a franquia é "um produto" em si mesma. Um produto novo, que muitos franqueadores não percebem como tal, daí resultando uma série de problemas para seus franqueados.

 Menos liberdade de ação
No geral, pela sua própria essência, uma boa operação de Franchising implica num mínimo de padronização. O sucesso da rede depende das semelhanças entre as unidades que a compõem. Isso significa que um franqueado geralmente está sujeito a mais limitações do que estaria como dono de um negócio independente.

Risco vinculado à performance do franqueador
Se o franqueador falhar no desenvolvimento de um método, de um sistema, de um produto, de uma campanha publicitária, entre outros, o franqueado acabará sofrendo as conseqüências.

Risco vinculado à imagem da marca
Qualquer fato (ou boato) que afete a imagem da marca pode afetar (e muitas vezes tem afetado) os negócios de cada uma das franquias.

Limitações à venda do negócio
A seleção correta do franqueado é um dos fatores mais delicados e mais importantes para o sucesso de uma operação de Franchising. Sendo assim, é comum que o Contrato de Franquia contenha limitações à transferência, pelo franqueado, dos direitos e obrigações que lhe resultam desse mesmo contrato.

Para que o franqueado venda ou transfira sua franquia, é normal a exigência de autorização expressa e por escrito do franqueador, que se reserva o direito de aprovar, ou não, o pretendente à aquisição. Essa é uma precaução para que o franqueador possa se certificar de que o candidato à franquia tenha o perfil adequado para fazer do negócio um sucesso.

Limitações na escolha de produtos e de fornecedores
É bem comum que os contratos de franquia estabeleçam, para o franqueado, a obrigação de adquirir certos insumos, serviços, etc., apenas de fornecedores licenciados pelo franqueador, ou, ao menos, que observem determinados padrões e determinadas especificações ditados pelo franqueador.

É importante perceber que os benefícios e serviços que são "bancados" pelas taxas pagas pelos franqueados costumam ser indispensáveis para o sucesso destes. São essas taxas que permitem que o franqueador ofereça à rede franqueada uma série de benefícios essenciais ao seu desempenho e desenvolvimento.

Veja alguns riscos, apresentados pelas franquias. 

  • Excesso de Controle Externo (auditorias) por parte do franqueador. 
  • Limitação da Autonomia, do mercado e da criatividade do franqueado. 
  • Excesso de Duração do Contrato (longo prazo). 
  • Custo da Aquisição da Franquia (taxas),com riscos de não cumprimento das cláusulas contratuais. 
  • Erros de Seleção na Escolha (falta de escrúpulos ou inadequação de perfil). 
  • Localização Exclusiva da Franquia (franqueado pode ser impedido de usar o ponto, em caso de recisão contratual). 
  • Os riscos apresentados dependem do tipo ou modalidade da franquia.

 

Contato