Em educacao / guias

Opere como os antigos traders de Wall Street com os gráficos de Ponto & Figura

Formação gráfica limita os ruídos do mercado e pode ser uma ferramenta muito útil para definir os pontos de stop da estratégia

SÃO PAULO - Ao abrirem sua plataforma de negociação, os traders estão acostumados a encontrar cinco tipos de gráficos: candle, barra, linha, montanha e algumas disponibilizam configurações especiais para as Ondas de Elliott.

No entanto, nos primórdios de Wall Street, obviamente não existiam computadores capazes de atualizar as informações em tempo real e os traders da época acompanhavam as oscilações com apenas papel e lápis. Limitados, tinham poucas opções.

Os gráficos de linha não continham muitos adeptos, por restringirem diversas informações intradiárias e pelo aspecto pouco ilustrativo. Candles e barras já tinham maior aceitação, mas ilustrar uma gama de, por exemplo, 50 ativos a cada final de pregão era uma tarefa que demandava muito tempo.

Para resolver este problema, os traders norte-americanos inventaram o Gráfico de Ponto & Figura (P&F), maximizando tempo, informação diária e design gráfico, pois conseguiam traçar suportes e resistências com maior facilidade em relação às linhas.

Gráfico de Ponto & Figura
Esquecido pelo tempo, tendo em vista o avanço tecnológico, o P&F foi desenvolvido para filtrar o movimento dos preços independente do tempo, ou seja, são gráficos atemporais que se preocupam exclusivamente na relação oferta e demanda do mercado, característica que torna-o especial.

Aqueles traders que utilizam o P&F para operar e deixam de lado os consagrados candles destacam quatro vantagens básicas:

  • Elimina com eficiência os ruídos do mercado;
  • Consegue-se traçar com mais clareza suportes, resistências e linhas de tendência;
  • O trader opera com mais fluidez os movimentos de longo prazo;
  • Indica com mais precisão os pontos de stop.

Outra característica inusitada do P&F é sua construção. O gráfico é formado basicamente por "X" e "O". Enquanto os meses são representados por números e letras (1 = janeiro, 2 = fevereiro, 3 = março, ..., 9 = setembro, A = outubro, B = novembro e C = dezembro), e as linhas de tendência, suportes e resistências por "+", como apresentado no gráfico abaixo:

Ativo: Dow Jones
Fonte: StockCharts

Regras e interpretação
Cada alta dos preços do ativo é representada por um "X", ao passo que uma coluna de X significa que os preços estão subindo. O contrário se diz para ao "O", que significa que os preços estão em queda. Cada X e O ocupa um Box do gráfico. Para a construção do gráfico, são utilizadas apenas as cotações de máxima e mínima de cada dia.

Identificado o que cada símbolo significa, há a primeira regra a ser obedecida: em uma coluna de X não existem O, e sempre haverá alternância entre as colunas X e O. Para haver a mudança ou continuação da tendência, existe uma segunda regra, relacionada ao movimento dos preços e ao Tamanho do Box.

Para que haja alteração no gráfico, os preços devem ultrapassar um nível pré-estabelecido pelo trader, limite convencionado por Thomas Dorsey em seu livro Point and Figure Charting, um dos maiores especialistas em P&F. As alterações obedecem a seguinte lógica:

Tamanho do Box
Preço do ativoTamanho do Box
De 0 até 5 0,25
5 até 20 0,50
20 até 100 1,00
100 até 200 2,00
200 até 500 4,00
500 até 1.000 5,00
1.001 até 25.000  50,00 
25.001 para cima 500,00
Fonte: Point and Figure Charting e StockCharts

Com isso, em um movimento de alta, por exemplo, só se marca um novo X quando o preço subir mais do que o valor configurado no Box, assim como no caso de baixa, onde marca-se um novo O quando o preço recuar mais do que o valor do Box.

E para haver uma mudança de coluna, ou seja, uma reversão da tendência vigente, os preços devem obedecer à regra de Soma de Reversão. A Soma de Reversão é o resultado da multiplicação entre o Nível de Reversão (geralmente em 3 Boxes) e o Tamanho do Box.

Obedecendo a lógica descrita, se estamos operando o Ibovespa (Nível de reversão = 3 e Tamanho do Box = 500 pontos) e a tendência vigente é de alta (coluna de X), o preço precisa recuar 1.500 pontos para que uma coluna de O seja criada, e vice-versa.

Ativo: Ibovespa
Fonte: StockCharts

Sinais gráficos

                                

O sinal de compra é dado quando o preço ultrapassa a coluna X anterior, no nosso caso, o nível de resistência em $ 18,00. Ao passo que o rompimento de uma coluna anterior de O representa um sinal de venda (perda do suporte em $ 11,00).

A união entre as linhas de tendência de alta e as linhas de tendência de baixa sugere a formação de triângulos, que também podem ser operados pelos traders através do P&F.

Conclusão
A facilidade em identificar os pontos relevantes de suporte e resistência, como para traçar as linhas de tendência sem a presença dos ruídos do mercado, é o maior atrativo do P&F, que pode ser uma boa ferramenta de auxílio para os swing-traders, por exemplo. Entretanto, a dificuldade de se encontrar este tipo de gráfico nas atuais plataformas de negociação limita a utilidade do P&F.

Por fim, como em qualquer instrumental de análise técnica, o P&F deve ser devidamente configurado para não haver uma interpretação distorcida e auxiliado por um bom stop loss, que tem sua locação facilitada em função dos pontos de suporte e resistência.

 

Contato