Em educacao / guias

Personagens do mercado: Elliott, da doença incurável às ondas da imortalidade

A história do contador aposentado que, aos 58 anos, começou a estudar o mercado e criou o Princípio das Ondas

SÃO PAULO – Ralph Nelson Elliott, contador que entrou para a história do mercado por antever padrões perceptíveis de comportamento das ações. Do início da carreira como contador à criação da Teoria das Ondas aos 58 anos, o norte-americano pode-se dizer um cidadão da América Latina, por ter vivido grande parte de sua vida na região.

Em 1891, aos 20 anos, Elliott deixou o Texas, onde vivia com sua família, para morar no México, a fim de trabalhar com linhas férreas, durante o boom ferroviário da América do Norte. Aos 25 anos, conseguiu entrar na área de contabilidade, na qual permaneceu até sua aposentadoria.

No quarto de século que se segue ao seu debute como contador, Elliott ocupou posições em empresas no México, na América Central e na América do Sul, incluindo Argentina e Chile. De volta à terra natal, em 1920, Elliott foi contratado pelo governo norte-americano para gerenciar a contabilidade e a reorganização financeira da Nicarágua.

Por lá, escreveu dois livros: “Tea Room and Cafeteria Management” e “The Future of Latin America”, sendo o segundo uma análise de todos os problemas econômicos e sociais da América Latina, acompanhada de uma proposta para criar uma estabilidade financeira na região. Quando os EUA deixaram a Nicarágua, Elliott se transferiu para a Guatemala, para exercer o cargo de auditor em uma empresa do ramo ferroviário. Depois, voltou a Nova York para dirigir uma empresa de consultoria.

Enquanto trabalhava na América Central, o norte-americano descobriu que contraiu uma doença intestinal causada por uma ameba intestinal (Entamoeba histolytica), a qual forçou a antecipação de sua aposentadoria, aos 58 anos.

Distrações geniais
À procura de uma distração enquanto se recuperava dos picos graves da doença, Elliott compilou 75 anos de dados de índices acionários. A busca pela perfeição era tamanha que os índices foram listados nas bases anual, mensal, semanal, diária, por hora e até por divisões de meia hora.

Em maio de 1934, o norte-americano resumiu todas suas observações para criar a Teoria das Ondas. Elliott resolveu mostrar suas idéias a Charles Collins, membro importante da comunidade financeira na época. Collins ficou um pouco reticente com a tese de Elliott, porém durante o ano de 1935 as palavras do ex-contador se tornaram concretas, dada a acuidade na previsão do vaivém de Wall Street.

Em agosto de 1938, o livro “Principio das Ondas” é publicado, partindo da premissa de que, embora os mercados acionários tendam a apresentar trajetórias aleatórias, eles seguem padrões previsíveis.

Mercado é previsível
Para Elliott, a emoção brota e, logo após, surge a ação decorrente. O primeiro capítulo do “Princípio das Ondas” começa desta forma: “nenhuma afirmação é maior do a que diz ‘o universo é regido por leis’. Sem leis, é evidente que tudo seria um caos, e com caos nada existiria. Uma investigação muito extensa da atividade humana nos indica que praticamente todas as manifestações de nossos processos socioeconômicos seguem uma lei que dá lugar a consequências similares e séries de ondas ou impulsos de número definido. O mercado de ações mostra os impulsos e as ondas próprias da atividade socioeconômica”.  

A identificação dos padrões gráficos permitiu a Elliott encontrar as formas existentes no mercado de capitais, medidas pela proporção do Número de Ouro (1,618), extraída da sequência de números de Fibonacci, a qual possui fortes correlações com o seu princípio.

Na Teoria de Elliott, há três aspectos básicos - o padrão, a relação e o tempo (nesta ordem de importância). Elliott reivindica que o mercado segue um ritmo repetitivo, com cinco ondas de avanço e três ondas de declínio. Essas oito podem ser divididas em cinco e três ondas, as quais ainda podem ser decompostas por 21 e 13, respectivamente, assim como mostra o gráfico.

As ondas 1, 3 e 5 seguem a tendência principal e são chamadas de ondas de impulso. Já as ondas 2 e 4 são corretivas. Acabada a onda 5, o avanço está terminado e três ondas de correção começam, subdivididas através da estrutura ABC. Com o encerramento deste ciclo, um novo pode começar.

Uma vez entendido o princípio do ciclo das oito ondas, ou seja, quando o investidor consegue identificar as "cincos" ondas de avanço e as "três" de correção, ele saberá o que esperar do mercado.

Pioneiro
Depois da publicação de seu livro, Elliott escreveu 12 artigos para a revista Wave Principle for Financial World, os quais trazem algo de novo ao campo da Sociologia e da Economia, ao uni-las pela junção do comportamento humano e do vaivém do mercado acionário.

Elliott falece em 1948, pelas decorrências da doença que o fez entrar na história no mercado financeiro. Dois anos antes, publicou um livro final, o qual considera sua obra-prima: “Nature's Law—The Secret of the Universe”. Neste texto, Elliott amplia sua Teoria das Ondas a todos os comportamentos humanos.

 

Contato