XP eleva projeção de IPCA 2024 de 3,8% para 4,0%, por reajustes de combustíveis

Conforme a XP, o encarecimento da gasolina deve elevar a taxa de inflação de 2024 em 0,17 ponto porcentual, enquanto o impacto estimado na inflação do aumento do preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) é de 0,04 ponto

Estadão Conteúdo

Publicidade

A XP Investimentos elevou há pouco sua projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do fim de 2024, de uma alta de 3,8% para 4,0%. O aumento leva em consideração o recente reajuste nos preços dos combustíveis, anunciado na segunda-feira pela Petrobras (PETR3;PETR4). Já a expectativa de IPCA fechado no ano que vem foi mantida em 4,3%.

Conforme a XP, o encarecimento da gasolina deve elevar a taxa de inflação de 2024 em 0,17 ponto porcentual, enquanto o impacto estimado na inflação do aumento do preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) é de 0,04 ponto. Indiretamente, os reajustes devem ter uma influência de alta de 0,01 ponto porcentual nos preços do etanol, com efeito total de 0,22 ponto no IPCA, cita o relatório assinado por Alexandre Maluf, economista da equipe de macroeconomia da XP.

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

A corretora ressalta que o seu cenário base para IPCA incorpora a quitação das contas covid e a escassez hídrica nas tarifas de energia elétrica em setembro, com impacto de baixa de 0,14 ponto.

Mês a mês

Além de alteração na expectativa para a taxa de inflação de 2024, a corretora também modificou as estimativas para o IPCA mensal. A projeção para a taxa fechada em julho passou de 0,13% para 0,36%; a de agosto saltou de 0,01% para 0,13%; e a de setembro permaneceu em 0,08%.