Dados do IBGE

Vendas no varejo crescem 0,9% em outubro, batem novo patamar recorde e superam estimativas dos economistas

A expectativa, segundo o consenso Bloomberg, era de que as vendas no varejo tivessem subido 0,1% na base de comparação mês a mês

arrow_forwardMais sobre
Comércio varejista (Foto: Charles de Moura/PMSJC)

SÃO PAULO – As vendas no varejo brasileiro cresceram 0,9% em outubro na comparação com setembro, mostrou nesta quinta-feira (10) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o patamar do varejo bateu recorde pela terceira vez seguida, ficando também 8,0% superior a fevereiro, nível pré-pandemia.

A expectativa, segundo o consenso Bloomberg, era de que as vendas no varejo tivessem subido 0,1% na base de comparação mês a mês após alta anterior de 0,6% e 7% no comparativo anual, após alta de 7,3% na medição anterior. Na série sem ajuste sazonal, frente a outubro de 2019, o comércio varejista teve aumento de 8,3%, quinta taxa positiva consecutiva.

Esta foi a sexta taxa positiva consecutiva mensal desde maio. A média móvel trimestral foi de 1,4%. No acumulado no ano, o varejo cresceu 0,9%, após ficar estável (0,0%) em setembro e cair nos cinco meses anteriores. Já o acumulado em 12 meses ficou em 1,3%.

No varejo ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas cresceu 2,1% em relação a setembro de 2020, sexta variação positiva consecutiva. A média móvel (2,4%) sinalizou desaceleração no ritmo de vendas. Em relação a outubro de 2019, o varejo ampliado cresceu 6,0%, quarta taxa positiva consecutiva. O acumulado no ano ficou em -2,6%, contra -3,6% no mês anterior. O acumulado nos últimos 12 meses repetiu a taxa de setembro (-1,4%).

O volume de vendas no varejo, em outubro de 2020, mantém a trajetória de crescimento iniciada em maio de 2020, após dois meses de queda por conta da pandemia de Covid-19. Na série livre de influências sazonais, o comércio varejista voltou a demonstrar aumento no ritmo de vendas na passagem de setembro para outubro, destaca o IBGE.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a quinta taxa positiva consecutiva também é a maior variação, em termos de magnitude, dos últimos cinco meses. Tais resultados contribuem para que o patamar de vendas de outubro de 2020 se posicione como o nível recorde da série, 0,9% acima do patamar anterior, o mês setembro de 2020.

O acréscimo de 0,9% no volume de vendas do comércio varejista na passagem de setembro para outubro de 2020, na série com ajuste sazonal, teve taxas positivas em sete das oito atividades pesquisadas: Tecidos, vestuário e calçados (6,6%), Livros, jornais, revistas e papelaria (6,6%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (3,7%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,3%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,9%), Combustíveis e lubrificantes (1,1%) e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%) influenciaram positivamente o resultado geral do varejo.

Por outro lado, o setor de Móveis e eletrodomésticos (-1,1%) apresentou recuo nas vendas frente a setembro de 2020.

Considerando o comércio varejista ampliado, em outubro, o volume de vendas tanto do setor de Veículos, motos, partes e peças quanto o de Material de construção registraram variações positivas na comparação com setembro: 4,8% e 0,2%.

PUBLICIDADE

 

Treinamento gratuito: André Moraes mostra como identificar operações com potencial de rentabilidade na Bolsa em série de 3 lives – assista!