Pandemia

Variante sul-africana do coronavírus reduz eficácia de vacina, mostram dados preliminares

"Claramente, as mutações têm um efeito diminutivo na eficácia", disse Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas dos EUA

arrow_forwardMais sobre
(Pexel)

CHICAGO (Reuters) – Dados de ensaios clínicos com duas vacinas contra a Covid-19 mostram que uma variante do coronavírus identificada pela primeira vez na África do Sul está reduzindo sua capacidade de proteção contra a doença, ressaltando a necessidade de vacinar um grande número de pessoas o mais rápido possível, disseram cientistas.

As vacinas da Novavax e da Johnson & Johnson foram saudadas como importantes armas futuras na redução de mortes e hospitalizações em uma pandemia que infectou mais de 101 milhões de pessoas e matou mais de 2 milhões em todo o mundo.

Mas elas foram significativamente menos eficazes na prevenção de Covid-19 em participantes do estudo na África do Sul, onde a nova variante potente está disseminada, em comparação com países onde esta mutação ainda é rara, de acordo com dados preliminares divulgados pelas empresas.

“Claramente, as mutações têm um efeito diminutivo na eficácia das vacinas”, disse Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, em uma entrevista. “Podemos ver que seremos desafiados.”

Quer ser trader e tem medo de começar? O InfoMoney te ajuda a chegar lá: participe do Full Trader, o maior projeto de formação de traders do Brasil e se torne um faixa preta em 3 meses – inscreva-se de graça!