Exportações em alta

Secretário de Comércio Exterior destaca recuperação de exportações para EUA e União Europeia

Houve aumento também nas vendas para a China (28%), que continua sendo o principal comprador dos produtos brasileiros, e para o Mercosul, de 37%.

Por  Estadão Conteúdo -

O secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz, destacou a recuperação das exportações brasileiras para destinos como Estados Unidos, que subiu 44,9% em 2021, e União Europeia, que aumentou 32,1%. Houve aumento também nas vendas para a China (28%), que continua sendo o principal comprador dos produtos brasileiros, e para o Mercosul, de 37%.

Ele ressaltou ainda que, depois das frustrações registradas no ano passado por causa de questões climáticas, a safra de grãos deve ser recorde neste ano.

Importações

O crescimento das importações brasileiras em 2021, de 38,2%, está relacionado ao aumento na importação de combustíveis e energia elétrica, reflexo da crise hídrica enfrentada pelo país, além de compras de itens como vacina e insumos industriais. Além disso, a desvalorização do real, que deixou mais caros os itens importados, também contribuiu para o resultado.

O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia ressaltou que o aumento na corrente de comércio (soma de importações e exportações) de 35,8% reflete o crescimento das exportações (34%) e a alta “mais significativa” nas importações (38,2%).

“Tivemos surpresa positiva nas importações. Há correlação de aumento das importações e recuperação da economia brasileira”, completou.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui!

Compartilhe