Relatório Focus: expectativa para inflação e PIB melhoram para 2022, mas pioram para 2023

Movimento duplo é efeito das medidas aprovadas no Congresso, com apoio do governo, para baixar os preços e estimular a economia a poucos meses da eleição

Lucas Sampaio

(Montagem/IM)

Publicidade

O mercado continua a revisar as projeções para a inflação e o desempenho da economia brasileira de 2022 e de 2023 (IPCA menor e PIB maior neste ano, mas o contrário no ano que vem), mostram dados do Relatório Focus, levantamento semanal do Banco Central com mais de 100 instituições financeiras.

A estimativa para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 2022 caiu de 7,30% na semana passada para 7,15% agora, mas o de 2023 subiu de 5,30% para 5,33%. É a 17ª semana seguida de alta para a expectativa de inflação do próximo ano.

Já a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano subiu de 1,93% para 1,97%, mas o do próximo caiu de 0,49% para 0,40%, mostram os dados divulgados nesta segunda-feira (1º).

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O movimento duplo é efeito das medidas aprovadas no Congresso Nacional, com apoio do governo federal, para baixar os preços dos combustíveis e da conta de luz a poucos meses da eleição e também estimular a economia.

Apesar dos efeitos benéficos no curto prazo, as medidas tendem a piorar a inflação no médio e longo prazos. Além disso, a economia deve começar a desacelerar neste segundo semestre, como efeito da alta de juros iniciada pelo BC em março do ano passado para controlar a inflação.

Selic e câmbio

O mercado elevou a projeção para a Selic de 2023, de 10,75% para 11,00%, mas manteve a deste ano em 13,75% (o que indica que o BC deve demorar mais para começar a reduzir a taxa básica de juros). Já a estimativa para o câmbio não se alterou (US$ 1 = R$ 5,20 no fim deste ano e do próximo).

Continua depois da publicidade

Fora da meta

A projeção para o IPCA neste e no próximo ano está fora da meta do BC, que é de 3,5% para 2022 e 3,25% para 2023, com tolerância de 1,5 ponto percentual (ou seja: ela será cumprida se o índice ficar entre 2% a 5% neste ano e entre 1,75% e 4,75% no próximo).

Caso isso ocorra, a meta será descumprida por três anos consecutivos.

Desancoragem das expectativas

O Focus também mostra sinais de desancoragem de expectativas mais ampla, com as estimativas do IPCA para 2024 acima do centro da meta pela terceira semana seguida (3,30%), pois a meta para 2024 e 2025 é de 3,00% (também com margem de 1,5 ponto porcentual).

Essa desancoragem em relação à inflação pode exigir da autoridade monetária um prolongamento do ciclo de alta dos juros. A Selic está em 13,25% ao ano atualmente, e nesta semana o Comitê de Política Monetária (Copom) vai definir se eleva a taxa em mais 0,25 ou 0,5 ponto percentual.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.

Lucas Sampaio

Jornalista com 12 anos de experiência nos principais grupos de comunicação do Brasil (TV Globo, Folha, Estadão e Grupo Abril), em diversas funções (editor, repórter, produtor e redator) e editorias (economia, internacional, tecnologia, política e cidades). Graduado pela UFSC com intercâmbio na Universidade Nova de Lisboa.