Queda do mercado imobiliário chinês continuará até 2025, diz ex-oficial do PBOC

Problema no setor, com grande participação no PIB do país, se estende há algum tempo

Bloomberg

(Getty Images)

Publicidade

O declínio do mercado imobiliário chinês pode continuar por mais dois anos antes de ganhar estabilidade, segundo um ex-oficial do banco central.

As vendas de casas novas em todo o país provavelmente diminuirão em mais 50 milhões de metros quadrados este ano e no próximo, com o total anual de 2025 se estabilizando em torno de 850 milhões de metros quadrados, disse Sheng Songcheng, ex-diretor do departamento de estatísticas e análise do Banco Popular da China, em um fórum em Xangai no sábado. A indústria abalada deixará de ser um peso sobre o investimento e o crescimento econômico depois disso, acrescentou.

Os comentários de Sheng ocorrem enquanto o declínio nas vendas de imóveis chineses se acelera em dezembro, mesmo após as autoridades implementarem mais medidas de apoio, que incluíram a flexibilização das restrições à compra de imóveis em grandes cidades. A crise imobiliária sem precedentes no país custou à economia um motor chave de crescimento nos últimos três anos e aumentou o risco financeiro após uma onda recorde de inadimplências por parte dos desenvolvedores.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O mercado imobiliário mostrou sinais de recuperação em novembro e dezembro, colocando as vendas nacionais do ano inteiro em torno de 950 milhões de metros quadrados, disse Sheng no fórum de sábado. Isso significaria que o ritmo de declínio das vendas se moderou pela metade em 2023 em relação ao ano anterior, de acordo com as estimativas de Sheng.

© 2024 Bloomberg L.P.

Tópicos relacionados